08 - Os Pacificadores

“Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus” - Mateus 5:9.

Ser um pacificador é quase como ser igual ao antigo revólver chamado Pacificador. Aquele revólver era chamado Pacificador porque com ele na mão, alguns homens dominaram o Oeste selvagem. Era um revólver pesado, calibre quarenta e cinco, com seis disparos e um coice que quase o lançava fora das mãos.

Aqueles que Deus chama de “pacificadores” não são um homem ou uma mulher que usam de diplomacia para impedir a erupção de uma crise, adiando-a, com vistas a uma solução. Pacificadores não são pessoas que fogem de questões ou problemas com diplomacia. Deus não age assim. Quando nos voltamos para as Escrituras, vemos que o Senhor não veio trazer paz, mas espada. No entanto, Ele é o Príncipe da Paz. Quando Jesus disse: “Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus”, Ele estava se referindo a um ministério que precisa ser entendido com clareza, pois todo o Reino de Deus que está vindo baseia-se no trabalho desses pacificadores.

O Senhor fala sobre o exército dos últimos tempos, mas este exército não será de pessoas cruéis. Não confunda a violência no espírito delas com crueldade. Não é isso. As pessoas no exército do Senhor precisam iniciar com a batalha nos seus próprios espíritos antes que possam participar com o Senhor da batalha que irá dominar a terra e trazer o Reino. Em um certo sentido, elas são aqueles revólveres de seis disparos, os Pacificadores, enviados para dominar.

Jesus disse: “Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada, pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra. Assim os inimigos do homem serão os da sua própria casa” - Mateus 10:34-36. Você pode dizer: “Pensei que o diabo é que tivesse criado todo esse problema na minha casa.” Ele fez a parte dele, mas é preciso entender que Deus instituiu muitos dos problemas que você tem tido. Ele os criou.

“Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim, não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim, não é digno de mim; e quem não toma a sua cruz, e vem após mim, não é digno de mim. Quem acha a sua vida, perdê-la-á; quem, todavia, perde a vida por minha causa, achá-la-á. Quem vos recebe a mim me recebe; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou. Quem recebe um profeta, no caráter de profeta, receberá o galardão de profeta; quem recebe um justo, no caráter de justo, receberá o galardão de justo. E quem der a beber ainda que seja um copo de água fria, a um destes pequeninos, por ser este meu discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá seu galardão” -Mateus 10:37-42.

O Senhor inicia o problema; esse é o único modo de se ter paz. Quase tudo que o Senhor trouxe de verdadeira paz, vitória e libertação na sua vida, veio porque o problema adormecido sob a superfície foi agitado por Deus, até entrar em erupção. Quando você ora por paciência, o que é que o Senhor lhe dá? O que é que opera paciência? “... a tribulação produz perseverança (paciência)” - Romanos 5:3. Ela faz com que tudo entre em erupção. Quando você ora para que Deus trate com alguma coisa no seu espírito e Ele faz isso, tudo entra em erupção. Você ora: “Deus, trate com isso”, e Ele traz o problema para fora, onde pode tratar com ele.

Deus não pode trazer paz às pessoas que estão se auto-enganando, que enterraram seus problemas, fugiram das suas necessidades e se  recusaram a encarar as coisas que Ele queria que elas encarassem. A paz vem de se fazer a vontade de Deus. E uma impartição de Deus que vem para aqueles que estão na Sua vontade. Quando Deus cria paz na sua vida, seguramente não é por um compromisso, mas sim porque você enfrentou alguns verdadeiros problemas. Ele lhe dá uma promessa que parece não estar funcionando. Você pensa: “Paz? Não tive nada a não ser problemas.” Não é isso. A verdade é que Ele está eliminando de sua vida a raiz do problema. O Senhor está tratando com  o problema e cortando-o pela raiz.

Jesus disse que não veio para trazer paz, mas espada; para perturbar casas inteiras e dividi-las entre si. Nem sempre isso é compreendido. O mundo cria ajustamentos tolos a situações erradas, mas antes que possa haver verdadeira paz na vida de uma pessoa, esses ajustamentos têm que ser mudados; eles causam mais transtornos, mais inquietação e são mais violentos à sua personalidade do que a situação anterior. Na verdade, a cura parece bem pior que a doença. Mas para que você se torne completo e pleno, o Senhor precisa começar com ajustamentos drásticos.

Suponha que um homem tenha uma perna mais curta do que a outra. Suas duas pernas ainda alcançam o chão, mas, por causa da perna mais curta, o resto do corpo fica fora de equilíbrio. O modo dele andar é torto e desequilibrado. Com o tempo, tudo no corpo é afetado. O problema começou com apenas uns centímetros a menos em uma perna. Se Deus curar esse homem, acrescentando-lhe alguns centímetros à perna, ele passará por seis meses de sofrimento. De repente, tendo a perna no comprimento devido, mas com todos os músculos e órgãos funcionando como antes e afetados pela gravidade, ele terá problemas de estômago e dores nos músculos que puxarão tudo o que está fora de equilíbrio. Ele pode dizer: “Obrigado pela cura, mas eu preferiria continuar com meus centímetros a menos.” Mas não, a coisa tem que ser feita da maneira correta.

Quando Deus começa a trazer a Sua paz e a Sua libertação, Ele trata dos conflitos da vida interior. Você ficaria surpreso ao ver a quantas coisas você se ajusta e compensa. Estas coisas precisam ser corrigidas. Uma pessoa pode ter um certo tipo de abertura que poderia levá-la a várias situações. Talvez à concupiscência e sedução. Pode ser um tipo de abertura causada por uma desilusão que levou toda sua ótica de vida e sexo a ser distorcida. Às vezes, os problemas dos homossexuais precisam ser entendidos sob esta luz. Eles não são vítimas de alguma coisa que lhes aconteceu antes de nascerem como as pessoas imaginam. Em geral, as circunstâncias vieram contra eles de uma certa forma, e, devido aos desapontamentos e pressões, eles se ajustaram e se apoiaram do único modo que podiam, para conservarem ainda algum equilíbrio nas suas vidas.

No nosso caminhar com Deus no Corpo de Cristo, quando temos problemas com concupiscência, confusões, ou quando as coisas são deturpadas, nós não saímos pregando uma coisa atrás da outra para endireitar a situação, mas nós acrescentamos alguns centímetros à perna mais curta e tudo o mais começa a se corrigir. Deixe ser assim com você. Não lute nem se debata; tudo irá endireitar-se. Provavelmente você será o único a se preocupar com a situação porque todos os demais estarão cheios de compreensão, amor e oração. Nós caminhamos no Espírito na graça de Deus.

O mesmo acontece com pessoas que têm sido violentas nas suas reações às coisas. Quando Jesus disse: “Bem-aventurados os pacificadores, por que serão chamados filhos de Deus”, Ele não estava se referindo às pessoas que tentam acomodar discussões e brigas. Ele estava se referindo aos que primeiro solucionam seus conflitos interiores pela graça de Deus. Deus os toca. Deus os cura. Deus lhes traz paz.

Esta verdade pode atingir as profundezas do seu ser. Ali, Deus lhe trará paz. Então esta paz se irradiará contagiando tudo, pois todas as coisas do espírito são contagiantes. Se você tem amargura, a Bíblia diz: “...nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados” - Hebreus 12:15.

É uma tragédia se você foi criado num lar onde seus pais tinham amargura. É deixada uma amargura no seu espírito e você fica marcado. Mas Deus pode curar isso. Depois que Deus cura seu espírito e o conflito e turbulência interior terminam, seu espírito fica lindo e você ministra paz. A paz não é criada por todas as circunstâncias serem corrigidas ou por estar tudo nos seus devidos lugares, exatamente como deveria. A paz é um atributo de Deus. É uma qualidade divinamente impartida. É a paz de Deus que excede todo o entendimento (Filipenses 4:7).

“Bem aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.” Eles são aqueles que ministrarão a paz de Deus ao mundo. A maior coisa que se pode fazer é pregar a Palavra que ergue o véu da hipocrisia, engano próprio e evasão das pessoas. Mas será que, ao enfrentarem tudo isso, as pessoas vão pensar que você é um pacificador? Não.

Deus vê todo problema, opressão, tribulação e o mal que há no mundo, mas Ele começa a sanar qualquer relação que essas coisas tenham com as nossas vidas e a nos libertar delas. Então, podemos passar bem no meio de todas essas coisas com o maior dom  que Ele poderia nos dar: Sua paz.

A maioria dos problemas que as pessoas têm ocorre porque está no espírito delas ter problemas. Elas são oprimidas porque está no espírito delas ser oprimidas. A paz que você procura inundará a sua vida quando a guerra civil no seu interior terminar. Só então virá a paz.

Jesus disse: “Estas cousas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” - João 16:33.

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” - João 14:27.

Para Deus trazer paz à sua vida, Ele precisa perturbá-la e revirá-la de cabeça para baixo. Ele agita sua vida  e trata com ela. Você não pode trazer ou ministrar paz ao mundo exterior, sem primeiro ter paz no seu mundo interior. Deus lhe dá a paz. Pacificadores são aqueles que buscaram a Deus para corrigir a confusão, conflito, opressão e turbulência dos seus espíritos. Quando Deus corrige vocês e os coloca em paz consigo mesmos e com Ele, esta paz se irradia e vocês se  tornam pacificadores. Quando duas pessoas estão numa situação em que há confusão e agitação, uma delas pode aumentar ainda mais a confusão por causa da confusão na sua própria vida, mas a outra pode acalmar tudo, se tiver paz no íntimo. A paz começa e o pacificador nasce quando a guerra civil interior cessa por causa da paz de Deus. Você precisa ser um participante do fruto que é a paz. Você não pode ser um pacificador enquanto não tiver paz.

As dificuldades que as pessoas em geral têm ao ministrar em qualquer nível é que elas não têm o que ministram em si mesmas. O mundo é rápido em detectar um cristão que não esteja em paz. Como aquele cristão vai alcançar alguém? Eu nunca fui atraído por um pregador em quem eu sentisse confusão no espírito, não importa com que habilidade ele trouxesse uma mensagem. Como ele poderia estabelecer-se como autoridade para defender meus problemas, quando ele mesmo não tinha as respostas para os próprios problemas?

 Eu tenho evitado firmemente dar respostas, mesmo quando acho que as conheço, se eu mesmo não tiver andado nelas. Não precisamos de pessoas para nos criticarem e nos dizerem o que fazer, quando sabemos que elas mesmas não podem andar no que dizem. É isso que os fariseus faziam. Jesus os repreendeu porque eles lançavam toda a carga da lei sobre o pobre povo, sem mexerem um dedo para ajudá-los, mas eles mesmos não caminhavam naquilo que ordenavam.

Jesus era um pacificador. Até as tempestades se acalmavam quando Ele estava perto. Quando caminhou sobre as águas, as ondas tiveram que baixar e repousar tranqüilamente aos Seus pés. Ele era o Pacificador e o Príncipe da Paz. Você não pode ter uma guerra civil se desenrolando  dentro de si mesmo, com  agitação e batalha, sem paz verdadeira, e ainda achar que pode ministrar paz a alguém e ser um pacificador. A paz de Deus vem quando Deus agita as coisas. Será assim também com você. Quando ministra a alguém, você não resolve os problemas na superfície, mas a Palavra de Deus começa a trazer a solução lá no fundo, na raiz. É nisso que Deus está interessado.

João Batista era um pacificador porque ele veio com a mensagem: “...já está posto o machado à raiz das árvores...” - Lucas 3:9. Demorou um pouco até as árvores parecerem mortas, mas quando Deus cortou a raiz, a fonte do problema morreu. Como  Deus pode trazer  paz, a não ser que comece a atingir violentamente sua vida? “Bem-aventurados os pacificadores...” - como é que você pode ser um pacificador, se não estiver pronto para ir à raiz do problema? O pacificador não é alguém que receita aspirinas; ele é alguém que traz cura divina para a confusão e o conflito.

Estes princípios do Reino são tão profundos que só a superfície do que precisa ser feito no seu espírito foi arranhada. Você está consciente do conflito dentro de si mesmo? Você vê a  inquietação no seu pensamento? Se você vai ser um filho de Deus, um pacificador, Deus precisa tratar primeiro com os conflitos na sua vida. Você não pode ministrar paz a partir dos seus próprios conflitos. A paz domina quando a guerra civil no seu interior cessa.

Outra passagem importante sobre o conflito interior é Gálatas 5:16,17: Digo, porém: Andai no Espírito, e jamais satisfareis à concupiscência da carne. Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que porventura seja do vosso querer.” Você não gostaria de ter as disposições contrárias na sua vida e as coisas que o derrotam eliminadas? Por que é que estabelecemos objetivos e fazemos compromissos no Ano Novo? Porque temos consciência daquilo que guerreia dentro de nós. O que aconteceu com as resoluções do ano passado? Nada demais. Tudo continua igual. As mesmas resoluções serão tomadas no próximo ano. Precisamos descer mais fundo, ir além da carne e chegar às coisas dentro do nosso espírito que precisam ser eliminadas e transformadas. É nisso que se resume o Reino de Deus; é uma esfera de espírito.

“...o reino de Deus está dentro em vós” - Lucas 17:21. Você compreende o que esta passagem significa? Falsos pregadores tentam explicar esta passagem: “Ah, é a vida interior do pensamento.” Mas não é isso. “O reino de Deus está dentro de vós.” Jesus não estava falando sobre você se refugiar em algum santuário da sua mente onde a paz reina com supremacia; Ele estava falando sobre o estado do seu espírito. O Reino de Deus não é um edifício; o Reino de Deus não é um programa; o Reino de Deus não é uma denominação.

 À medida que você entra na esfera do Espírito, você é o Reino de Deus. Ele está dentro de você. É Deus reinando no seu espírito. Isso não quer dizer que o Reino termina aí; quer dizer que o Reino é Deus reinando no seu espírito. A força e o poder do Reino alcançam todas as esferas, pois Deus não deixará nada intacto. Ele invadirá, através do Seu Filho, todas as esferas que existem. “Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu Reino” - Lucas 12:32. O Senhor lhe dá o Reino, é um estado do seu espírito. Deus se move dentro de você e dentro do seu espírito e quando essa obra é concluída, alcança também as outras áreas.

Um dos princípios que tenho observado é que Deus não está agindo tão soberanamente nesta hora, quanto agiu em outras gerações. No passado, quando as pessoas oravam, Deus Se movia em atos soberanos,  curas, milagres, sinais e maravilhas. Tudo o que está sendo feito agora, está sendo feito através do Seu Corpo, do ministério do Corpo. É como se Deus estivesse assumindo uma expressão nova e livre do Seu poder, da Sua glória e da Sua vitória através do Senhor Jesus, por um mover através do Seu Corpo multi-membrado. Ele está fazendo do Seu Corpo a expressão de Si mesmo, para que não possamos mais dizer: “Olhe o fulano; ele não é grande coisa, mas acho que tem alguma capacidade. Ele tem um bom dom da palavra, canta bem; vamos fazer dele um pastor e enviá-lo a algum lugar.” Isso teria menos sucesso agora do que em qualquer outra época. Por quê? Porque o que conta é o que o homem é no seu espírito. É por isso que nesta hora Deus irá se afastar dos profissionais da religião e começar a usar os coxos, os mancos e os cegos.

Quando a perfeição tiver sido operada no seu espírito através dos tratamentos de Deus no profundo do seu ser, quando Ele tiver inflamado as coisas, conscientizado você delas, lançado o machado à raiz, trazido paz à sua vida e ao seu espírito e o seu espírito for reto, então você estará entre aqueles que irão a qualquer lugar, sejam quais forem as aptidões externas e moverá o mundo.

Não estamos falando sobre a salvação elementar, mas da perfeição de espírito. Quando as pessoas tentam entender a Bíblia no nível errado, elas perdem muitas coisas.  O que você pensa de Romanos 7 ? Em que ponto estava Paulo antes disto lhe acontecer? “Porque bem sabemos que a lei é espiritual; eu, todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado. Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o que prefiro, e, sim, o que detesto. Ora se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. Neste caso, quem faz isto já não sou eu, mas o pecado que habita em mim” -Romanos 7:14-17. Isso é sinal de que ele não era cristão? Não, não é isso. Se fosse assim, a situação teria terminado quando ele se tornou cristão e nunca teria se repetido novamente.

Você faz o que detesta, e não consente com o que faz? Você diz: “Não compreendo o meu próprio modo de agir”? “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum; pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e,sim, o pecado que habita em mim. Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim. Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros, outra lei” (este termo “lei” não é um estatuto;  é um “princípio”, como estas bem-aventuranças, através das quais todas as coisas funcionam e são regidas) que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. Desventurado homem que sou! quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente sou escravo da lei de Deus; mas, segundo a carne da lei do pecado” - Romanos 7:18-25.

“Agora, pois, já nenhuma condenação há para, os que estão em Cristo Jesus. Porque a lei do Espírito da vida em Cristo Jesus te livrou da lei do pecado e da morte” - Romanos 8:1,2. Paulo estava clamando por uma verdadeira libertação. Para ser bem honesto na exposição desta passagem, Paulo estava tratando do princípio do pecado que habita na carne de uma pessoa. Nós estamos indo ainda mais adiante e tratando do princípio do pecado que freqüentemente opera até no espírito de um cristão nascido de novo.

II Coríntios 7:1 diz: “...purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne, como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus.” Nós estamos preocupados com a impureza da carne, mas estamos mais preocupados, durante este estudo das bem-aventuranças, em aplicar toda a libertação do Senhor à esfera do nosso espírito e em vê-lo limpo dessa impureza de espírito que sentimos. Nós podemos dizer: “Ah, isso é terrível! Eu nem mesmo sou pobre de espírito, nem sou dos que choram. Eu não sou manso. Eu não estou realmente com fome, nem com sede.” Contudo, assim que nos abrimos para essas bem-aventuranças, uma mudança começa a acontecer imediatamente dentro de nós. É algo bem diferente da purificação da carne. A impureza da carne é vencida de outra maneira. Mas parece que a impureza do espírito, as imperfeições do espírito, vêm num nível diferente das imperfeições da carne. Jesus virou-Se para os discípulos e disse: “Vós já estais limpos (ou “purificados”) pela palavra que vos tenho falado”- João 15:3.

Através destas palavras, Deus está transformando nosso espírito, nos aperfeiçoando e nos levantando. A Palavra tem um poder de transformação. Será que há coisas na sua vida que você quer ver mudadas rapidamente? Ouvir e crer é descobrir que o efeito sobre o seu espírito está vindo imediatamente. Você terá consciência das verdadeiras mudanças que tem buscado; terá uma evidência em seu espírito que você poderá sentir. Você terá consciência de que elas estão ocorrendo no seu interior e que os conflitos internos estão sendo dissipados. Você agradecerá ao Senhor. À medida que você tiver paz, você começará a trazer a paz. “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.”

“Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois com o critério com que julgardes, sereis julgados; e com a medida com que tiverdes medido vos medirão também. Por que vês tu o argueiro no olho do teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho e, então verás claramente para tirar o argueiro do olho do teu irmão” - Mateus 7:1-5. Se você não tem certa qualidade no seu espírito, você não pode dá-la a mais ninguém. É exatamente isso que Jesus ensina aqui. Um argueirozinho no olho do seu irmão e uma trave (uma grande tábua) no seu próprio olho - e alguns ainda dizem que Jesus não tinha senso de humor. Ele tinha que ter senso de humor, pois o nosso Senhor Criador fez girafas, macacos e nos fez. E criou ainda, bonitas ilustrações como esta. “Uma trave no meu olho? Hum...” Jesus estava tratando de algo do espírito, algo tão grande que altera tudo o que você é.

Você percebe que, com um espírito errado, nós poderíamos retardar os propósitos de Deus para os últimos tempos? Uma igreja pode levar anos para se erguer acima das imperfeições nos nossos espíritos. Nossas animosidades atrasarão os propósitos de Deus. Nossas simpatias farão isso. Todas estas coisas são produtos das coisas que são traves no olho do nosso espírito, a ponto de não podermos fazer a vontade do Senhor.

Tornar-se um pacificador e um filho de Deus significa que Deus vence a batalha. E o anticristo que vem para reinar no seu espírito e sentar-se no trono do seu coração é destronado e morto pelo resplendor do Senhor. Para que você se torne um instrumento do Senhor neste mundo, o Senhor precisa começar criando isso primeiro na sua vida. Quando Deus está tratando no interior da sua vida e você fica em constante conflito interno, isso significa que Deus está lhe trazendo paz. “Bum, bum, bum!” Ele está atirando nas coisas ruins, uma a uma, para trazer paz. Tudo ficará tão sossegado quanto o Jardim da Saudade, quando o Senhor terminar a obra no seu coração. Ele está crucificando a velha carne com suas paixões e afeições e no momento tudo está meio barulhento. “Bam, Bam, Bam! Os pregos vão entrando, enquanto você vai sendo crucificado com Cristo. Você está agonizando e se contorcendo porque ainda não está bem morto, mas você está morrendo. Descanse em paz.

Será que você está pedindo de todo o coração: “Deus, dê um fim nisto”? Será que você diz: “Eu pensei que nós sairíamos ganhando almas no mundo e que eu sozinho teria pelo menos mil convertidos depois de ter servido a Deus tanto tempo”? Em vez disso, Ele está tratando do conflito interior. Mas à medida que o conflito interior é cada vez mais dissipado, maior será a expansão para o mundo. Você tem algo a dizer, você tem algo a se tornar; mas o que você é, é mais importante do que o que você faz. Você pode fazer coisas que podem ser eficazes até um certo ponto, mas o importante é o que você realmente é no espírito.

Se você tem algum conflito ou turbulência, isso irá acabar  porque Deus começará a agir, e, a cada dia, será como se todas as partes, estivessem sendo coladas e você estivesse se tornando uma só pessoa. Você  saberá onde está indo. As coisas não irão transtorná-lo como costumavam e você não irá mais explodir por causa delas. Você não enfrentará crises de maneira tão despreparada. Você caminhará na graça de Deus, porque Ele está lhe transformando em um pacificador.

É difícil entender a paz de Deus porque tudo ao nosso redor está em turbulência, uma turbulência  que irá aumentar cada vez mais. Enquanto o mundo está enlouquecendo, surgirá um povo, nestes últimos tempos, que caminhará com paz nos corações,  sem conflitos. Eles serão o testemunho vivo de Deus, esquecidos do fato de que tudo no mundo está desmoronando ao redor deles, sem atingi-los. Não se preocupe, apenas caminhe.

Caminhar com Deus neste mover do Seu Espírito nos últimos tempos sobre a terra excede nosso entendimento. Embora este caminhar seja tão lindo, tão complicado e tão basicamente uma revelação da sabedoria de Deus, ele é mais lógico, racional, sensato e bíblico do que qualquer coisa que poderíamos algum dia sonhar. Ele vem como uma revelação ao coração das pessoas. É como se as pessoas sentissem tanta angústia e entrassem em tal turbulência que são como vulcões fervilhando, prontos para explodir. Então Deus lhes traz Seu descanso e paz. Quando os filhos de Deus surgirem, nós veremos uma das maiores bem-aventuranças sendo cumprida: “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.”

Quando as pessoas são cheias do Espírito Santo é como se o Senhor as tivesse encontrado e todos os seus problemas tivessem sido resolvidos. Mas não; apenas uma perna curta foi curada; elas estão tentando endireitar o resto do corpo e colocar tudo o mais em funcionamento. É necessário um ajustamento em todas as outras áreas. Você poderia pensar: “O que aconteceu com a minha vida? Eu comecei a caminhar com o Senhor e agora tudo está se embaralhando.” É verdade, mas dentro em breve você estará seguindo na direção certa; os relacionamentos estarão certos; seus pensamentos interiores estarão certos; você será guiado e dirigido pelo Espírito Santo. Esse processo é como passar pelas mãos de um massagista. Na hora provavelmente irá doer. O Salmo 51:8 diz: “Faze-me ouvir júbilo e alegria para que exultem os ossos que esmagaste.” Lembre-se que o Senhor lhe faz essas coisas com um propósito, e isso dói. É assim que Deus está fazendo com que estejamos em paz. Ele está endireitando todas as coisas que estão fora do normal. Tudo se endireitará . Apenas caminhe com Deus.

Você gostaria de ser um pacificador? Você gostaria de poder semear paz? Tiago 3:17,18 diz: “A sabedoria, porém, lá do alto, é primeiramente pura; depois pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento. Ora, é em paz que se semeia o fruto da justiça, para os que promovem a paz.”

Alguns pregadores são o mais diplomatas possível e ainda assim ofendem a todos. Outro homem pode ser frio, quase chegando à rudeza de tão duro, mas ele fala com franqueza às pessoas, dizendo coisas que poderiam facilmente ofendê-las e se sai bem, semana após semana, ano após ano. Seja o que for que ele disser, o povo o ama. Muitos pregadores que estavam fazendo o melhor que podiam disseram alguma coisa com a qual as pessoas se ofenderam e abandonaram tudo. Se as pessoas não gostam do que está sendo pregado, elas fecham os bolsos.

Se uma pessoa realmente o ama e tem o espírito perfeito em relação a você, ela poderia vir, bater no seu rosto e você nunca se ofenderia. Há bastante animosidade no espírito humano. “Qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito que nele está?...” - I Coríntios 2:11. Você é atraído a certas pessoas e contrário a outras porque algumas têm hostilidade dentro de si. Ao chegar perto delas, você fica enervado e não sabe porquê. Seus punhos se apertam enquanto você está perto delas. Você pode chegar irritado a outras pessoas,  mas quando olha para elas, você relaxa porque não há luta nelas, só paz.

Bem-aventurados os pacificadores, porque eles certamente sabem como chegaram a ser pacificadores. Quando Deus tiver filhos prontos para passar pelo Armagedom e subjugar as nações, será porque esses filhos primeiro tiveram um Armagedom interior. O que será eficaz é o que Deus faz no seu espírito. O mundo tem tido todas as palavras certas, as frases certas e as doutrinas certas por muito tempo. O problema é que tem havido muito barulho, mas nenhuma força por trás das palavras porque elas não foram operadas no espírito dos homens. O mundo condicionou-se à religião profissional e ainda se impressiona com os feitos acadêmicos das pessoas. Será surpreendente ver o que Deus fará através de pessoas cujos espíritos foram justificados.

Vemos a ambição e o conflito interior com muita freqüência: “Ah, eu tenho que sair e testemunhar para Jesus. Eu tenho que fazer isso, tenho que fazer aquilo!” As pessoas são muito motivadas, mas quando tudo se acaba, só resta frustração. A obra de Deus pode ser feita numa grande medida por pessoas que não são realmente pacificadoras; elas podem fazer muita coisa. Mas é quando você é realmente um pacificador no seu espírito, que as pessoas sentem isso e não reagem com hostilidade. Você pode fazer  qualquer coisa, mas se tiver amor, ninguém se ofenderá.

Já chegaram pessoas à sua porta para discutir religião? Em menos de cinco minutos elas já haviam se irritado e irritado você. Por quê? Porque estas pessoas estavam oprimidas  por um espírito de discussão. Elas foram treinadas para discutir com você. Sob o pretexto de testemunhar, elas fizeram tudo o que podiam para levá-lo à briga e discussão. E quando elas saíram, você estava furioso. Se você se irritou é porque seu espírito também era mau. Elas não vão lhe dizer nada que você realmente deseje seguir, mas irão atiçar no seu espírito alguma coisa que precisa vir à tona e você precisa conhecer. Este será um dos exercícios mais doces que você poderia fazer. Você quer ser um pacificador? Você está a caminho de ser um pacificador porque Deus está tratando com as coisas em você agora.

O maior Pacificador de todos os tempos é descrito em Efésios 2:13-19. Ele é o nosso modelo; seremos pacificadores como Ele. Estude esta passagem cuidadosamente porque a palavra paz é usada várias vezes. Você verá como o Senhor traz paz, como Ele trouxe paz à vida das pessoas. É muito importante que você entenda isto, pois você pode ter esta paz todos os dias da sua vida.

“Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derrubado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, (Ele estava falando a respeito da parede de separação, uma inimizade que havia na carne das pessoas), aboliu na sua carne a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois  criasse em si mesmo um novo homem, fazendo a paz, (observe estas palavras) e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade. E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe, e paz também aos que estavam perto; porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito. Assim já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois  da família de Deus” - Efésios 2:13,19.

Como Jesus trouxe paz entre judeus e gentios? Como Ele fez isso? Jesus derrubou as paredes. Paredes criam conflitos. “Paredes?” As barreiras que você construiu, ou que estão construídas contra você, são a fonte de todos os conflitos e confusões que existem na sua vida e nos seus relacionamentos. O que é que impede o marido e sua esposa de se comunicarem? Barreiras. Eles podem estar falando a mesma língua, mas, ainda assim, falando línguas diferentes. Não há comunicação. Eles não estão se comunicando. Por que não? Eles têm uma parede levantada. Eles nem mesmo se ouvem; seus espíritos estão isolados, não estão abertos um ao outro. Se um conselheiro fosse escrever no quadro negro “ele” e “ela” à medida que um casal fosse apresentando suas queixas e reclamações - uma para ele, outra para ela, uma para ele, outra para ela - no fim, ele só constataria quem fez o maior número de pontos. Quem sabe onde tudo começou? Mas se o conselheiro conseguisse romper a parede que existe entre os espíritos daquele casal, ele não teria que resolver um problema sequer. Eles sairiam de mãos dadas; tudo estaria ótimo. Eles estariam fluindo como um só espírito.

A fonte dos problemas são as barreiras que se levantam. Quando falamos em ser um pacificador, estamos falando sobre o ministério dentro do Corpo de Cristo que O torna um só Corpo. Como é que fazemos isso? Nós abrimos nossos espíritos para Deus e derrubamos nossas paredes de uns para com os outros. Deixe que o Espírito de Deus flua. É assim que se faz paz e se recebe bênção. Então poderemos enfrentar o diabo, exigir coisas e obter grandes vitórias. Como Jesus nos trouxe paz? Ele derrubou as paredes e destruiu a inimizade que havia entre as pessoas e entre elas e o Senhor, fazendo assim dos dois um novo Homem e trazendo a paz. Pelo Seu precioso sangue ele derrubou todas as barreiras.

Como o ministério do Corpo de Cristo funciona hoje? Através dos pacificadores. Se você dissesse a respeito do pacificador: “Ele é um dinamitador de paredes”, você estaria dizendo: “ele elimina as paredes entre pessoas, em situações em que elas têm pequenas mágoas imaginárias e levantam paredes umas contra as outras.” Você faz isso não faz? Às vezes, quando você se retrai, você levanta uma parede. Você pode cumprimentar um irmão e dizer: “Oi, irmão fulano; olá irmã sicrana.” Eles respondem: “Olá!”, mas elas sabem e você sabe; elas sabem que você sabe, e você sabe que elas sabem que você sabe que existe uma parede. E essa parede não deveria existir. Você sente isso, e isso o irrita. Uma das coisas mais difíceis é quando duas pessoas têm um relacionamento íntimo mas são viciadas em levantar barreiras entre si. O que elas deveriam fazer? Ir  à fonte destas barreiras.

Você levanta uma barreira devido ao conflito interior, devido a problemas no seu espírito. Opressão, confusão e coisas que existem no mundo atingem seu espírito e por isso você ergue uma barreira. Você não pode tirá-la. Há pessoas que passaram por experiências difíceis e, por isso,  erguem uma barreira. Uma ilustração clássica é a da mulher que morre solteira porque quando era moça e bonita, teve um namorado que a abandonou. Então o que é que ela fez? Vestiu-se de luto o resto da vida e se escondeu. Ela fez isso, não porque estava honrando a memória dele, mas porque alguma coisa atingiu seu espírito e, por isso, ela ergueu uma barreira.

Isto é a mesma coisa que acontece no seu espírito. É por isso que você se retrai. É por isso que há inimizade entre você e os outros. Talvez você diga: “Isto não deveria existir na casa de Deus.” Não, não deveria. Aprenda uma coisa: o Corpo de Jesus Cristo florescerá quando tivermos pacificadores; pacificadores que saibam como demolir paredes para que as pessoas amem umas às outras e assim façam paz. No ministério do Corpo deveria haver esse fluir de amor. Você deveria ser um pacificador. Ser pacificador não significa ser diplomático para que todos se entendam. O pacificador é aquele que pode chegar às barreiras  e à raiz dos problemas e eliminá-los. Então, a paz começa a fluir pelo Corpo.

O melhor lugar para se começar é bem no seu próprio coração, no seu próprio espírito. Se houver alguma coisa errada no seu espírito, você levantará uma parede. Você não alcançará seu irmão ou  sua irmã. Abaixe as barreiras! Algumas pessoas edificaram belas paredes e nunca notaram que quando essas barreiras caíssem, não sobraria nada, a não ser um formigueiro. Elas construíram todas as paredes em volta de um formigueiro e não tinham nada para proteger. É tão terrível para  elas se darem conta de que não são nada e não têm nada, não estão indo a lugar algum e nunca fizeram nada. Tudo que elas fizeram foi construir paredes. Quando Deus derruba as paredes, onde é que elas se encontram?

Edificar o Corpo de Cristo é nada mais do que ministrar às pessoas para que as paredes sejam tiradas e elas fluam como um. O Corpo de Cristo será esse grande instrumento de Deus nos últimos tempos  porque recebeu a ministração para se fortalecer. Todas as paredes de separação foram eliminadas e Deus os tornou um, trazendo, assim, paz. A paz de uma igreja cresce à medida que as barreiras caem.  O pacificador é o homem que tem suas barreiras derrubadas. Conflitos e problemas ocorrem devido às barreiras, mas quando as separações são derrubadas, como Cristo as derrubou para nós, podemos alcançar todas as áreas das nossas vidas e destruir as paredes e separações.

Quando as pessoas chegam com barreiras é maravilhoso começar a bombardeá-las, mas quando estas pessoas são expostas, elas ficam envergonhadas porque estiveram se escondendo por trás das suas paredes por muito tempo. Então o Senhor nos traz esse amor perfeito de um pacificador: “Nós conhecemos assim como somos conhecidos.” Nós levantamos algumas dessas paredes até dentro da nossa percepção, a ponto de nos tornarmos auto-enganados pelas barreiras que levantamos contra os outros e contra Deus. O pacificador sabe que o homem é cheio de conflitos dentro das suas paredes, até que alguém as derrube. Com cada parede que cai, há mais paz e menos conflitos. Dentro em pouco, você mesmo estará pronto para destruí-las. Se você vir alguma barreira se levantando, abaixo com ela!

Há uma forma em Deus pela qual você possa ser um pacificador? Encontre a paz primeiro em si mesmo. Ore: “Jesus, dá-me a Tua paz, o Teu consolo.”

Talvez você diga: “Ah, eu recebi isso quando me tornei cristão.” Você tem certeza? Eu sinto que isso vem por outro caminho. Filipenses 4:6-7 diz: “Não andeis ansiosos de cousa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas diante de Deus as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça” (não se preocupando com nada, fazendo tudo com oração e súplica). “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e as vossas mentesem Cristo Jesus.” Você gostaria disso?

Abaixo as paredes. Levantem-se, pacificadores. Abaixo as paredes. O ministério do pacificador que edifica o Corpo de Cristo é um destruidor dos muros que têm emparedado os homens. Ele será chamado filho de Deus, porque foi isso que Cristo fez.

Palavra Vivente
Reino Net

voltar para Princípios do Reino

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||