06 - Os Misericordiosos

“Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” - Mateus 5:7.

Que afirmação  simples! A misericórdia não custa nada, mas você também  não pode comprá-la. A misericórdia não parece muito valiosa, até o momento em que se precisa dela. Nesse momento, ela passa a ser uma das coisas mais preciosas do mundo. A misericórdia é algo pelo que você pode ansiar, mas não se pode exigir misericórdia, porque ela é inteiramente dada, independente de merecimento ou mérito. Apesar de saber que não a merece, quando ela vem ao seu encontro, você fica grato. No entanto, exercer misericórdia é outra coisa bem diferente. Quando Jesus disse:“Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia”, Ele estava falando de um dos maiores princípios e um dos maiores atributos de Deus. Poderíamos parafrasear esta bem-aventurança dizendo: “Bem-aventurados os que ministram graça, porque eles receberão graça.” Graça significa o favor, sem merecimento, que Deus nos dá. Assim, quando outras pessoas não têm mérito, nem são merecedoras, nós ainda continuamos demonstrando misericórdia.

Esta é uma bem-aventurança que pode se referir ao caminhar com Deus no final dos tempos. Deus está vindo até nós na Sua misericórdia e graça e está tomando pessoas que não merecem caminhar em nada - os mancos, cegos e coxos - e está lhes dizendo: “Venham para a minha ceia, porque ela já está preparada. Está pronta. Venham já” (Lucas 14:16-24). Este é o dia em que o Senhor passará por cima dos teólogos e escolherá jovens que foram libertos de situações estranhas e vícios, para fazê-los ministros da Sua Palavra. Será necessário os que foram grandemente perdoados para amarem grandemente. Para pregar graça, será necessário os que sabem o que ela realmente significa. As pessoas que nunca precisaram ser grandemente perdoadas, nunca tencionam perdoar ninguém grandemente. Elas têm dificuldade, porque parece que nunca alcançam a profundidade do Espírito que é a graça de Deus. É a unção do Senhor que vem para nos ministrar misericórdia, quando não a merecemos.

É um paradoxo estranho que estes também sejam dias de julgamento porque vemos dois princípios que representam atributos de Deus: “Para com o benigno (misericordioso), benigno te mostras...; ...com o perverso, inflexível” - Salmo 18:25,26. Em outras palavras, se você se endurecer para com Deus, Ele também Se mostrará duro para com você; se você for misericordioso, Ele se mostrará misericordioso. Ele diz: “Agora vou colocar misericórdia diante de você. Se você não caminhar em misericórdia, então caminhará em julgamento e o julgamento será sem misericórdia para aquele que não demonstrou misericórdia. Eu vou tratar com você, em qualquer plano que você queira viver.”

Outra passagem que diz como Deus mostrará misericórdia é Tiago 2:12,13. “Falai de tal maneira, e de tal maneira procedei, como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade. Porque o juízo é sem misericórdia para com aquele que não usou de misericórdia. A misericórdia triunfa sobre o juízo.” Se você disser: “Não está no meu coração perdoar”, então você se firma num princípio rígido: dar a cada homem o que merece - justiça. E é exatamente isso que você irá receber; o que você merece. A justiça de Deus exige que as coisas sejam regidas com equidade, que Ele julgue os homens pelos seus devidos pecados e não absolva os culpados. Mas há um outro atributo de Deus que é maior que a Sua justiça:  a Sua misericórdia. É por isso que você e eu não somos consumidos. Como Ele nos ama demais, nós não somos destruídos. “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.” É estranho como a misericórdia o coloca numa situação em que você deve mostrar misericórdia e numa posição onde Deus lhe mostra misericórdia.

O julgamento será sem misericórdia para aquele que não mostrou misericórdia, mas a misericórdia triunfa sobre o juízo. A justiça é uma qualidade do Senhor, um dos santos atributos de Deus que, por ser justo, traz toda transgressão a julgamento. A grandiosidade da justiça de Deus exigiu que Seu Filho morresse na cruz pelo pecado; o julgamento de Deus exigiu isso. Embora quebrasse o  coração do próprio Deus, o Seu coração de Pai, a morte de Jesus teve que acontecer. A justiça de Deus clamava pelo pagamento da punição do pecado. Mas, por ser o Pai Celestial, com um atributo maior de misericórdia, Ele enviou o Filho para morrer por aqueles que eram Seus inimigos e blasfemadores.

Deus tem leis que governam sua vida e a única forma de se libertar de uma lei é apelar para outra superior. É como subir em andares sucessivos de um edifício; a cada nível aplicam-se regras diferentes. Se você não conhece a Deus, nem a Sua misericórdia, você está sob a Sua lei e justiça. Mas se você caminha no Espírito, você não está sob a lei. Se não caminha no Espírito, você está lá embaixo, em um nível inferior, dirigido pelos impulsos e depravações da carne, a velha natureza adâmica. Se você está em Cristo, você caminha no Espírito e não cumpre as paixões da carne (Gálatas 5:16). Você pode sair de um nível e entrar em outro.

O mesmo é verdade quanto à lei e a graça. Se você não está sob a graça, caminhando na graça de Deus, você está sob a lei. Não se engane - você está sob a lei. A lei se aplica a todo homem que não esteja caminhando na graça de Deus e com ela vem todas as severas exigências que deixa este homem sempre condenado. A auto-condenação faz parte da religião em todo lugar. As pessoas são condenadas, condenadas, condenadas. De onde veio a auto-condenação? Veio do fato de que o Espírito de Deus constantemente condena as pessoas porque elas estão vivendo num plano baixo de lei e justiça. Quando elas saem desse nível,  saem da condenação e entram na gloriosa liberdade que lhes pertence.

De todos os atributos de Deus, um dos maiores é a Sua misericórdia, que, seguramente, está acima da Sua justiça, pois a misericórdia triunfa sobre o juízo. Ela pode apagar o juízo. Quando um homem exerce misericórdia, creio que esta misericórdia o coloca acima das conseqüências e penalidades. “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.” Pelo menos numa grande medida, quando você mostra misericórdia a alguém, Deus o coloca acima das conseqüências e punições que você merece em sua vida.

Às vezes, ao ver alguém que mais parece um diabo sobre rodas, você se pergunta: “Por que é que Deus já não tratou com ele há muito tempo?” Pode ser que ele tenha um outro traço em si; ele deve chorar diante do Senhor e ter misericórdia no espírito. Quando Deus vê uma pequena tentativa de misericórdia, Ele passa por cima de muitas ofensas. Você gostaria de saber porque Deus é tão severo com alguns dos “narizes empinados” que se sentam na igreja, como se tivessem engolido uma trena e seus sapatos estivessem apertados dois números a menos, como se tudo fosse dor e agonia, da cabeça aos pés? Parece que Deus sempre os derrota: “...com o perverso te mostrarás inflexível.”

Jesus abençoou e ajudou as prostitutas e os publicanos que O ouviam alegremente. Nunca se ouviu de Jesus uma só denúncia contra eles. Ele defendia e libertava todos que se achegavam a Ele. Jesus os libertava porque eles tinham penitência no coração. Os que estavam prontos para clamar por misericórdia, recebiam misericórdia. No entanto, Ele nunca disse nada de bom sobre aqueles bons religiosos que eram tão duros e severos com todos, os fariseus. Ele ressaltou que eles davam o dízimo até das ervas que cultivavam, como a hortelã do lado de fora da casa. Ele disse: “Estas coisas devíeis fazer, mas esquecestes os preceitos mais importantes da lei, esquecestes da misericórdia” (Mateus 23:23).

Pode parecer estranho, mas acho que Deus trata dessa forma com aqueles do lado de fora da Igreja que não têm nem mesmo uma passagem bíblica, mas têm uma filosofia: “Viva e deixe viver; seja tolerante.” Eles estão errados na sua tolerância ao pecado, mas têm uma simpatia pelas pessoas que caíram em armadilhas e tentações. Além disso, parece que Deus dá as costas aos “narizes empinados”, porque eles estão sempre prontos para julgar todos que fazem alguma coisa errada. Eles não sabem porque, mas estão violando o princípio da misericórdia. Uma menininha orou: “Senhor, faça todas as pessoas más ficarem boas, e todas as pessoas boas ficarem ótimas”, porque havia alguma coisa nas pessoas boas que não eram ótimas.

Quando paramos para pensar em como todos nós pecamos e falhamos, aí conhecemos do que o nosso caminhar com Deus se trata: trata-se da graça de Deus. Como estamos dispostos a abrir nossos corações e mostrar graça, Ele nos mostra graça. Quando nós usamos de misericórdia, Deus nos mostra misericórdia. Se não somos duros com nosso irmão, Deus não é duro conosco. O que conta é o que há no seu espírito. Aqui está o que a Palavra de Deus diz sobre o homem que sabe mostrar misericórdia na sua vida. “O homem bondoso (ou misericordioso) faz bem a si mesmo, mas o cruel a si mesmo se fere” - Provérbios 11:17. Com a dureza e amargura que as pessoas têm em seus espíritos, elas ferem a si mesmas. Elas não percebem o que estão fazendo, mas estão indo contra a própria saúde, contra o próprio bem-estar. A maioria dos seres humanos é assim, meio vingativa. Eles querem guardar rancor. Para eles é difícil perdoar. Existe neles um espírito que não perdoa. Às vezes eles ficam bem amargos.

Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia.” A justiça impera juntamente a este atributo. Se você não quiser ter nenhuma misericórdia, você terá que comprar alguma justiça.

O Senhor conhecia a importância da misericórdia quando orou: “Pai nosso que estás no céu, santificado seja o Teu nome. Venha o Teu Reino, faça-se a Tua vontade, assim na terra como no céu.” Uma simples oração pelo sustento do dia, mas o que é que Ele disse? “Perdoa as nossas ofensas, assim como perdoamos os que nos têm ofendido.” O único comentário que Jesus fez depois desta oração foi: “Porque se não perdoardes aos homens as suas ofensas, tão pouco o vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas.” Você não pode escapar disso.

É bem humano ser vingativo, não perdoar, guardar rancores no coração e, às vezes, no espírito. Talvez a coisa mais trágica que existe seja ver pessoas caminharem em amargura. É trágico descobrir a existência de amargura entre pais e filhos, entre marido e mulher, entre parentes e entre sócios em negócios. A amargura às vezes existe nas suas lembranças de pessoas que lhe fizeram males que você não consegue lembrar; você não consegue lembrar nem da aparência daquelas pessoas. No entanto, ao vir adorar ao Senhor, você não percebe o efeito que isso tem sobre você. É por isso que Pedro escreveu sobre maridos e mulheres, que os maridos não tivessem amargura em relação às mulheres. Eles deveriam viver como co-herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompessem as suas orações (I Pedro 3:7). Por que as orações das pessoas seriam interrompidas devido aos sentimentos existentes entre elas? Está tudo ligado à misericórdia. Se você vai se casar, é melhor ser misericordioso. Você precisa disso. Se você vai ter filhos, é melhor ser misericordioso. Eles precisam disso.

Há pessoas que crescem em famílias com amargura. Elas não conseguem esperar ficar livres da restrição dos pais, e, muitas vezes, têm vingança no coração. Muitos jovens fazem o que é mal, não porque sejam moralmente maus por inclinação, mas porque querem chocar os pais e fazê-los sofrer. Eles irão arruinar a própria vida para ajustar contas com os pais. Às vezes, em uma situação onde não há perdão, uma pessoa pode cometer um erro e sofrer por ele o resto da vida. Aquele que não perdoa o pecado, peca mais a cada dia do que aquele que cometeu o pecado que Deus perdoou. Quem pode medir o grau de pecado, o estado de coração? Não é a ação que conta. É mais profundo do que isso. É o estado de coração. “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.” Quando as pessoas se levantam com indignação, é apenas orgulho e interesse próprio. Sustentar um padrão rígido nunca ajudou situação nenhuma no mundo. Eu fico imaginando quantas pessoas se perderam em igrejas, lares e negócios, quando tais padrões severos lhes foram impostos e elas não puderam suportar. Se alguém lhe mostra misericórdia e lhe ministra graça, você pode chegar a fazer milagres.

Uma palavra importante sobre misericórdia nos é dada através da sabedoria de Salomão. “O que oprime ao pobre insulta aquele que o criou, mas a este honra o que se compadece do necessitado” - Provérbios 14:31. Há injustiças, fraquezas humanas, e muitas situações que governam as coisas neste mundo. Você pode dar uma boa olhada nestas situações e dizer: “Há  injustiça nisso. Isso não está certo. Um homem nasce num lar rico, outro nasce num lar pobre;  um nasce com oportunidades, outro nasce aparentemente sem quaisquer oportunidades.” Por que é que nós nascemos num país com padrões de vida tão elevados? Por que não nascemos em uma tribo qualquer, num lugar remoto, onde teríamos ventres inchados por causa de vermes, viveríamos famintos, chorando o tempo todo, sem nunca ter uma oportunidade de estudo, crescendo apenas com um instinto animal de sobrevivência e muito pouca bondade humana em nós? Missionários relataram como em algumas tribos o prazer dos homens é bater nas mulheres e ouvi-las chorar a noite inteira. Que fardos e injustiças intoleráveis! Embora as situações não sejam justas no mundo, Deus, na Sua grandeza, criou a misericórdia como um princípio.

Algumas pessoas são apanhadas em coisas que não apanhariam você. Quem é você para condená-las? Deus estabeleceu o dia do homem, para que todos tenham a oportunidade de abrir ou não o coração para Ele. No entanto, apesar de tudo isso, para que as injustiças de se nascer em certas condições e ser apanhado em certos problemas não sejam grandes demais, Deus diz: “Se você não mostra misericórdia a alguém, você insulta Aquele que o criou. Se você mostra misericórdia, você honra a Deus.” Se você vir alguém entrando num verdadeiro problema, seja um irmão ou não, e cerrar as suas entranhas (a versão americana King James diz literalmente: “cerrar seus instintos de compaixão”), como pode habitar o amor de Deus em você? (I João 3:17).

O amor de Deus se estende em misericórdia. O amor de Deus é sinônimo de misericórdia. É possível dizer: “Eu tenho o amor de Deus”, e, no entanto, não se sensibilizar? Alguma coisa está errada. Você não tem o amor, porque o amor de Deus se estende em misericórdia. “Ah, nós cremos na graça de Deus quando é o nosso caso.” Mas precisamos crer nela para todos. Devemos ter fé por todos os homens que permanecem na casa de Deus para adorar. Nós não devemos desistir de nenhum dos jovens, estejam eles presos às drogas ou a qualquer outra coisa. Devemos ficar com eles, amá-los e nos envolver com eles.

Quando o Senhor vier, haverá uma base de julgamento (Mateus 25:32-40). Ele reunirá as ovelhas e os cabritos diante de Si; as ovelhas de um lado e os cabritos de outro. Ele dirá às ovelhas: “Entrai em toda a bênção porque tive fome e Me destes de comer; estava nu e Me vestistes; estava em prisão e Me visitastes.”

“Como pode ser isso Senhor? Quando é que estivestes em tais situações?”

“Sempre que o fizestes a um destes Meus pequeninos irmãos, a Mim o fizestes.” Como Ele se identifica com os pequeninos irmãos! (Mateus 25:31-45). Nós ainda não conhecemos o significado desta passagem: “Vendei os vossos bens e dai esmola; fazei para vós outros bolsas que não desgastam,  tesouro inextinguível nos céus, onde não chega o ladrão e nem a traça consome” - Lucas 12:33. Nós não percebemos como isso é verdade.

Lute para que surja uma misericórdia no seu espírito, não uma simpatia. Nunca volte seus olhos para os erros que as pessoas cometeram, quando elas vierem procurando ajuda. Todo mundo cometeu erros. Todo mundo teve seus deslizes. Não julgue, dizendo: “Bem, ele já falhou umas duas ou três vezes. Não sei se ele deve receber ou não nossa bênção.” Anseie fortemente vê-lo vencer. Mostre-lhe graça e misericórdia no seu coração. Ao mesmo tempo que você faz isso, Deus faz a mesma coisa com você. Ele lhe mostra misericórdia e graça. Não desista, nem vire as costas a ninguém. Não tenha amargura por causa de um erro. Você precisa passar por cima do erro  e ser misericordioso, cheio de benignidade com relação uns aos outros. Um espírito que não perdoa é a única coisa que vai interromper seu caminhar com Deus porque ele corta o fluir da graça, e é nisso que se resume caminhar com Deus:  a graça de Deus. Você não pode ficar amargo, nem sem perdoar, nem com vingança. Você precisa ser misericordioso.

Se não tivermos misericórdia, Deus nunca irá entregar o julgamento nas nossas mãos. Ele não irá colocar os julgamentos do final dos tempos nas nossas mãos para sermos vingativos, cheios de amargura ou desejo de desforra e vingança. Ele entregará os julgamentos em nossas mãos por uma razão: para que Ele seja honrado. Este é o dia da vingança do nosso Deus; não é o dia da nossa vingança. Devemos consolar todos os que choram. Este é o dia quando os julgamentos do Senhor encherão a terra, porque os que não aceitaram a Sua misericórdia irão aceitar a Sua justiça. Mas como o profeta disse: “...na Tua ira, lembra-te da misericórdia” - Habacuque 3:2.

“Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.”Quantos cristãos vêm à casa de Deus sem nenhuma misericórdia em seus corações! Tudo o que você precisa fazer é provocar uma memória, uma lembrança de algum mal que as pessoas lhes fizeram, alguma ofensa e o que brota imediatamente dos seus espíritos é amargura. Eles nunca esquecem. Converse com esses cristãos anos mais tarde após aquela ofensa,  e eles terão enfeitado ligeiramente a história, para parecerem um pouco melhores do que eles realmente eram  na época. Você observará que eles ainda estarão com muita amargura, sem perceberem  que a própria amargura é que fez com que fracassassem desde o início. Eles alimentaram  a sua amargura e se destruíram; porque não perdoaram, não tiveram misericórdia.

Em Miquéias 6:8 lemos: “Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e o que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus?” Profeta, você está certo. Deus nos pede que mostremos misericórdia. E é assim que iremos receber misericórdia. Qual de nós não pecou, nem falhou? Nosso caminhar com Deus nunca teve o objetivo de ser uma prova de resistência. Ele é, na verdade,  uma demonstração de graça. Habacuque clamou:“...na Tua ira, lembra-Te da misericórdia”,  sentindo que Deus traria ira sobre a terra.  Mas um fato seria predominantemente maior: todo aquele que invocasse o nome do Senhor seria salvo, porque no Monte Sião e no remanescente que o Senhor chamar, haverá salvação (Joel 2:32).

Haverá pessoas que serão salvas em meio à ira de Deus caindo sobre este mundo, em catástrofes e tribulações maiores do que o mundo jamais viu. Elas invocarão o nome do Senhor e serão salvas porque a misericórdia irá predominar mesmo naquela hora. Multidões entrarão no vale da decisão, mas serão tantos os que nunca invocarão o nome do Senhor. Precisamos começar a mostrar a misericórdia de Deus, sendo misericordiosos no nosso próprio espírito.

Quando Deus vir uma pequena tentativa de misericórdia no seu coração, Ele lhe mostrará misericórdia. Mesmo que você sofra muitas ofensas, tropece e falhe, Deus irá fazê-lo chegar até o fim. O homem que vence  não é aquele que é conhecido pela exatidão das suas decisões e julgamentos ou que nunca cometeu nenhum erro, nem tropeçou. “Por que sete vezes cairá o justo, e se levantará...” - Provérbios 24:16.“Se cair, não ficará prostrado, porque o Senhor o segura pela mão” - Salmos 37:24. Que grande misericórdia! Precisamos reajustar nosso pensamento porque ainda tendemos a ser severos quando se trata de caminhar com Deus, sem percebermos que o pecado de não ter misericórdia é maior do que todas as outras ofensas juntas. Nele nós violamos a maior das leis e dos princípios, pecamos e blasfemamos contra o maior atributo de Deus. Em todos os Seus tratamentos com o homem, a  misericórdia triunfa sobre o juízo.

“Digo-vos, porém, a vós outros que me ouvis: Amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam; bendizei aos que vos maldizem, orai pelos que vos caluniam. Ao que te bate numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que tirar a tua capa, deixa-o levar também a túnica; dá a todo o que te pede; e se alguém levar o que é teu, não entres em demanda. Como quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles. Se amais os que vos amam, qual é a vossa recompensa? Porque até os pecadores amam aos que os amam. Se fizerdes o bem aos que vos fazem o bem, qual é a vossa recompensa? Até os pecadores fazem isso. E se emprestais àqueles de quem esperais receber, qual é a vossa recompensa? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para receberem outro tanto. Amai, porém, os vossos inimigos, fazei o bem e emprestai, sem esperar nenhuma paga; será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo. Pois ele é benigno até para com os ingratos e maus. Sede misericordiosos, como também é misericordioso vosso Pai. Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados; dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recaldada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também” - Lucas 6:27-38.

Vamos falar agora sobre o espírito que não perdoa e sobre  as vezes em que você foi vingativo. Você pode orar o dia inteiro, mas é terrível se há algo errado no seu espírito. Em minha casa, costumávamos ter uma atitude quando alguém na família estava um pouco irritado. Quando chegava à mesa, ele sabia o que iria acontecer. Ao sentar-se, cheio de raiva, era pedido a ele que dirigisse a família em oração e bênção. Que disciplina! Aquilo o quebrantava e ele sentia com que tipo de espírito estava. Da mesma maneira, as coisas precisam ser acertadas, porque nossas orações são interrompidas quando há esse tipo de coisa no nosso coração. Precisamos perdoar as transgressões dos homens, se quisermos ser perdoados.

“Mas e as situações com os colegas de trabalho, etc; como é que eu convivo com as situações em que estou sendo ferido? Como é que contorno a situação?”

Se você mantiver um espírito reto e for misericordioso, você não irá sair perdendo, porque Deus lhe mostrará misericórdia. Ele não permitirá que o mal triunfe sobre você, se você está aberto para Ele. A sua abertura para Deus irá sobrepujar qualquer outra abertura que você tenha e Ele o ajudará. Mas é preciso se lembrar de uma coisa: “A mim me pertence a vingança; eu retribuirei, diz o Senhor” - Romanos 12:19. Há um modo de enfrentar as forças do mal sem permitir que uma perversidade atinja o seu espírito. Deus irá cuidar da situação e combater a sua batalha por você. Você precisa contar com Ele para fazê-lo. Eu trabalho com o meu espírito, trazendo-o diante de Deus, mais do que com quaisquer outras obrigações do ministério, como estudar ou aconselhar, porque eu não quero reagir em um nível humano ao meu ambiente, não quero reagir de uma forma errada a qualquer situação, qualquer pessoa ou circunstância. Eu quero que o meu espírito responda a Deus. Eu quero ser um homem temente a Deus, um homem segundo o Seu coração.

Quando Deus quis um rei para substituir Saul, Samuel tomou o chifre de óleo da unção e foi a Belém. Lá ele procurou a família de Jessé e viu os seus filhos altos que poderiam ser maravilhosos como reis; mas Deus sussurrou ao ouvido de Samuel: “O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração” - I Samuel 16:7. “Deve haver um outro garoto.” Ele estava lá fora nas pastagens com as ovelhas, com um olho atento ao leão ou urso que poderia vir contra o rebanho. Ele era um menino valente, mas acima de tudo estava focalizado no Senhor. Seu coração estava fixo; ele estava firme no Senhor. Ele tentou conservar um espírito bom e reto. Alguns dos salmos ou lamentações a respeito do que Davi tentou fazer com seus inimigos são canções de vingança, redigidas pelo Espírito Santo. São clamores, lindos exemplos do julgamento de Deus sobre a Babilônia dos últimos tempos. Não se preocupe com estes salmos, a Bíblia não é contraditória. Deus irá enviar julgamentos.

Você pode perguntar: “E aquelas pessoas lá fora que são más?”  Ore por elas. Tente fazer o bem a elas, mas lembre-se de que, a não ser que elas abram o coração para a misericórdia de Deus, a não ser que Deus intervenha, é justiça que elas irão receber. Mas no seu coração você deve ser misericordioso.

Davi amava ao Senhor, tornou-se rei e tratou graciosamente os filhos de Saul, embora Saul houvesse perseguido sua vida por anos a fio. Havia misericórdia no coração de Davi e Deus foi misericordioso com ele. Ele precisou dessa misericórdia em muitas ocasiões, mas Deus era com ele.

Seja o que for que você necessite neste ou naquele problema, uma coisa que você realmente precisa é de misericórdia. Muitas coisas que você é, devem-se a várias situações. Deus pode ter levado você a passar por elas, mas Ele o fez para revelar o que existe no seu espírito, o que existe na sua vida. Um caminhar com Deus tem revelação do Senhor. Mas quase tão  importante quanto a revelação do Senhor é a revelação de si mesmo, do seu próprio espírito e do que existe em você. Você não pode ter um vislumbre d’Ele, sem que haja um reflexo de volta. Então, você tem um vislumbre de si mesmo e diz: “Senhor, renova em mim um espírito reto, purifica o meu espírito; torna-o santo diante de Ti.” Se você sente que não tem sido misericordioso, o que você deve fazer? O primeiro passo é arrepender-se.

A falta de misericórdia é a qualidade menos divina de todas. Se você olhasse a síntese da falta de misericórdia, você estaria olhando para o próprio Satanás. Pense nas pessoas que morrem sob torturas, fora do seu  juízo. Quando se vê as misérias que Satanás traz no campo das drogas e outras servidões ou quando se vê uma pessoa levada pelo pecado e por Satanás a perder o juízo, dizendo coisas sem nexo, inconsciente, sabe-se que, dificilmente, pode-se encontrar ali um traço sequer do que Deus coloca em um ser humano. O objetivo final de Satanás, sem misericórdia, é desforrar-se de Deus e destruir tudo e todos que Ele criou.

Satanás é a síntese da falta de misericórdia. Deus é a síntese da misericórdia e do amor. Portanto, arrependa-se e diga: “Perdoa-me, ó Deus.” Você nunca enfrentará nada no seu espírito que seja tão difícil quanto se livrar de um rancor contra alguém, ajoelhar-se e perdoá-lo. Não há nada no seu espírito a que Satanás se agarre mais do que tentar insistir para que você não perdoe. Para livrar-se disso, apenas diga: “Perdoa-me, ó Deus.” “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.” Enquanto vivemos neste nível humano, embora lutemos para caminhar pelo Espírito, nós precisamos muito mais da misericórdia do que de justiça.

É melhor você amar os que lhe ofenderam, os que perversamente o usaram e aqueles de quem você poderia facilmente dizer: “Eles estão sendo punidos pelo próprio pecado. Eles estão recebendo o que merecem.” Não diga isso. A medida com que você medir, será usada para medi-lo; você vai receber o que merece. Não é hora de se condenar. É hora de abrir o coração em amor. Leianovamente I Coríntios, leia como o amor não se ressente do mal. Há uma tradução de I Coríntios que diz: “O amor não guarda registros.”

De todo o coração dizemos: “...perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores” - Mateus 6:12. “Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido” - Salmo 66:18.Eu não posso olhar para o meu próprio coração ou para o coração do meu irmão, sem crer para que a graça cubra  todos nós. Graça não é um cobertor de solteiro numa cama de casal, para que apenas uma pessoa se beneficie dele. A graça é um cobertor que pode nos cobrir a todos nós.

Se você se arrepender em seu coração de rancores, de um espírito que não perdoa, e do sentimento de vingança, busque ao Senhor e diga: “Senhor, ajude-me a ser misericordioso.” Nós ficamos abatidos quando vemos algo errado no nosso espírito, mas esse é o caminho da vida; somos instruídos a caminhar nele e assim o faremos. É com um espírito misericordioso que podemos orar e ver as potestades do inferno julgadas. O diabo sempre pode invocar as leis de Deus. Você pode dizer: “Estou orando para que Deus julgue essa situação! Senhor julgue aqueles que estão vindo contra a casa de Deus!” Mas a situação pode ser invertida: Veja o que você está fazendo; você está sendo vingativo porque há coisas erradas na sua vida. Se você for misericordioso e cheio da graça de Deus, você pode invocar o Senhor. Devido à pureza do seu espírito, Deus irá intervir para libertar. Deus lhe mostrará misericórdia, em vez de julgar uma situação a ponto de impor justiça. Não estamos querendo que Deus imponha justiça. Eu não estou interessado nas variações do certo e do errado, mas sim na misericórdia de Deus, que libertará o fluir do Reino para nós. Por essa razão, preciso ser misericordioso no meu espírito.

Está escrito na Palavra: “O homem bondoso (há uma versão que diz “o misericordioso”) faz bem a si mesmo, mas o cruel a si mesmo se fere” - Provérbios 11:17.

O Senhor não declara que esta é a Sua Palavra? Se você mostrar misericórdia, você não estará trazendo bênção sobre si? Por acaso você não está fazendo bem à sua própria alma quando seu coração se estende em amor e misericórdia? Que haja longanimidade; que não haja vingança no seu coração. A vingança pertence ao Senhor e Ele a retribuirá. Você irá amar seu inimigo. Você não retribuirá igualmente ao que lhe maltrata; você mostrará misericórdia, porque o Senhor é com você. Não estenda a sua mão, pois se sua mão for motivo de ofensa, se você  for dado à vingança e retaliação, então, não há misericórdia no seu espírito. Entregue sua causa ao Senhor e seja misericordioso, pois o Senhor o abençoará e você estará fazendo bem à sua própria alma. Você estará abençoando sua própria vida. Não seja cruel porque você estará atormentando a própria carne e trazendo sobre a própria cabeça dias de calamidade e desgraça.

Que a unção do Senhor esteja sobre você para que você seja cheio da longanimidade do Senhor. As Suas misericórdias duram para sempre. A misericórdia de Deus se renova a cada manhã. Então você deve olhar para o Senhor e dizer: “Bendito seja o nome do Senhor. Eu refletirei o Seu amor; eu mostrarei misericórdia, assim como Ele mostra misericórdia; eu serei perfeito assim como meu Pai Celestial é perfeito; eu serei misericordioso assim como meu Pai Celestial é misericordioso.” Assim, o Senhor estabelecerá a Sua casa e quem há de destruir, quem há de derrubar aquele sobre quem o Senhor derrama a Sua misericórdia? Amém.

Palavra Vivente
Reino Net

 

voltar para Princípios do Reino

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||