03 - Os Que Choram

Mateus 5 contém uma bem-aventurança que fala sobre o pranto e o choro, uma qualidade de espírito que o Senhor colocou diante de nós que é uma chave do Reino.“Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados’’-  Mateus 5:4.

No capítulo anterior lemos: “Percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doença e enfermidades entre o povo”- Mateus 4:23. Quando Jesus subiu a montanha, viu a multidão e passou a ensinar-lhes os princípios do Reino.

O Reino de Deus envolve algo mais do que conhecemos; é algo mais do que as regras e regulamentos do Monte Sinai ou mesmo a moralidade da Igreja Cristã. O Reino envolve algo operado no nosso espírito  pelo próprio Deus. Conseqüentemente, quando o Senhor trouxe as bem-aventuranças, Ele estava falando sobre o espírito humano.

Estamos interessados em nos libertarmos das coisas erradas no nosso espírito. Há uma Palavra vinda de Deus nesta época que está falando ao espírito dos homens, uma Palavra Viva que está nos modificando e nos recondicionando enquanto a ouvimos. Não é uma Palavra que apela ao intelecto ou mesmo às emoções da alma, mas que vem na força do Espírito Santo para o nosso espírito. Como foi maravilhoso quando os discípulos do Senhor O ouviram dizendo: “Vós já estais limpos, pela Palavra que vos tenho falado” - João 15:3 e “...as palavras que eu vos tenho dito, são espírito e são vida”-João 6:63. Estamos chegando a um nível de pregação, ensinamento e ministração em que as palavras serão Espírito e Vida - uma Palavra Viva. Ouvir esta Palavra será mudar. Estar aberto para esta Palavra será apropriar-se dela.

Lemos em Lucas 17:21: “ . . . o reino de Deus está dentro em vós”. Quando será que iremos aprender que todas as coisas externas são ilusões e que o que está dentro de nós é realidade? As ilusões passarão e mudarão, mas Deus, dentro de nós, e o que Ele faz e Se torna no nosso espírito é que é eterno. Jesus estava se referindo ao espírito humano quando disse: “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados”.

O que significa chorar? Chorar é ter uma dor de espírito. É sinônimo de ter um anseio esmagador por Deus. Por que choramos? Será que Jesus está falando dos que enterram um ente querido, e, ao chegarem em casa, quando olham o quarto vazio, choram e pranteiam? Será o choro selvagem de uma mãe ao olhar para um caixãozinho? Será o choro de alguém que recebe um telegrama de pêsames por um parente  que morreu na guerra? Será o tipo de choro que vem quando você se lembra de toda a bondade e ternura, ao ficar diante do túmulo aberto de sua mãe ou pai? Será esse o tipo de choro que esta bem-aventurança menciona? Não, pois Deus e o próprio tempo trazem consolo e cura.  O choro sobre o qual Jesus falou é essa qualidade esmagadora no nosso espírito que Deus quer que exista. É uma dor de espírito, um anseio esmagador por Deus. É um choro diferente, que vem  lá do fundo do espírito humano.

Há um gozo, um regozijo e uma fé dos quais Deus Se agrada. Mas quando Ele espera algo de nós, Ele não olha a nossa incapacidade e sim o nosso pranto por causa da nossa própria incapacidade. Ele vê o nosso pranto por causa das nossas limitações em conhecê-Lo e caminhar com Ele. Nós sabemos que o nosso caminhar com Ele poderia ser  melhor. Nós ansiamos conhecê-Lo e caminhar com Ele mais inteiramente. Nós entramos nesse pranto profundo, muito profundo pelas nossas limitações. Ele olha nosso coração e vê o nosso pranto por sermos tão limitados na forma em que temos crido n’Ele e nos apropriado das Suas promessas. Nós sabemos que não deveria ser assim e choramos por causa da perversidade no nosso espírito que nos tem impedido de  crer e apropriar. Choramos porque somos limitados no fluir do amor e na ministração que podemos dar às pessoas. Nós ansiamos ver alguma coisa bem além do que temos podido dar.

Algumas  vezes choramos no espírito por causa da nossa lentidão de coração em crermos em tudo o que Deus tem dito e por causa da lentidão e atraso em nosso aperfeiçoamento. Vemos os atrasos naquilo que sabemos que Ele está querendo completar nas nossas vidas. Somos como aqueles do capítulo oito de Romanos: “...mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo” - sabendo que toda a criação está gemendo com dores, esperando por nós, esperando essa manifestação dos filhos de Deus para ser liberta da vaidade e futilidade.

Nós choramos profundamente quando vemos a hostilidade de um irmão ou irmã ou aqueles muros invisíveis que os isolam da bênção do Senhor.  Choramos pelos que não têm ouvidos para ouvir. Sentimos a Palavra de Deus com o seu fogo ardente dentro de nossos ossos, proclamamos essa Palavra e choramos por aqueles que não têm ouvidos para ouvi-la. Choramos pelo nosso pecado, mas choramos ainda mais por nossos temores, por não podermos confiar n’Ele ainda mais. Choramos pelas vezes em que olhamos para nós mesmos e vimos nossa incapacidade, ao invés de procurarmos que Ele nos ajudasse. Nós nos regozijamos pelo que Ele já operou em nós, mas choramos quando olhamos no mais profundo do nosso íntimo e vemos o profundo do nosso próprio coração. Nós nos regozijamos quando vemos o que o Senhor faz em um irmão, mas choramos nos momentos em que vemos o que está vindo à tona do seu espírito.

Você já conheceu o problema de tentar amar e ajudar alguém e chorar porque esta pessoa não tinha ouvidos para ouvir? Você tem entes queridos e parentes assim? Você tem um marido ou mulher com quem tem caminhado e a quem tem tentado alcançar durante anos, que não possui ouvidos para ouvir? Você chora quando se senta com eles na mesma mesa,  como se fossem estranhos? Você já chorou pela hosti1idade de um irmão, sem saber como quebrá-la? Eu choro por aqueles a quem ministrei e amei, guiando-os ao Senhor, vendo-os serem cheios pelo Espírito Santo, vendo-os serem chamados a ministrar com a unção do Senhor sobre si, e, depois, os vendo rejeitar caminhar com Deus, com uma enorme hostilidade no espírito. Eu me entristeço e choro por estes que fracassaram.

Grande parte do meu pranto tem sido pelo medo que às vezes tenho visto no meu espírito. Você chora pelo medo que há no seu coração? Eu sinto momentos de desamparo quando olho para as minhas próprias reservas, sem olhar para a provisão de Deus e choro quando sinto que coisa mortal é tirar os olhos do Senhor e olhar para as ondas ao redor.

A Palavra de Deus nos diz algo importante: “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.” Este choro é a reação de um espírito lindo em relação a Deus; mas quando surgem ressentimento, hostilidade e um espírito que julga, esse não é o espírito a que o Senhor está se referindo. Ele está falando do choro de espírito que é cheio de amor “... não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade”-  I Coríntios 13:5, 6.

Nós podemos ficar ressentidos e julgar ou, com um coração de amor, podemos olhar uma necessidade e chorar. Não é um choro de desespero:  é um choro de fé. Nós nos afligimos como uma mãe que suporta a dor do parto, sabendo que, dali a pouco, sairá do seu ventre uma vida. É um choro e um clamor daquele que olha com fé e diz: “Deus, quanto tempo, quanto tempo ainda vai levar até que sejamos totalmente tomados por Ti?” Ao ouvir que um irmão foi apanhado em uma transgressão, os que choram não se vangloriam nem julgam; eles choram. Eu não estou preocupado em saber em que pecado um membro caiu o quanto estou preocupado com o que Paulo disse sobre um irmão que tinha pecado: “E não chegaste a lamentar”- I Coríntios 5:2. E pensar que esse irmão teve que ser colocado fora de Cristo para a destruição da sua carne, para que o seu espírito pudesse ser salvo no dia do Senhor Jesus. Isso teria sido desnecessário se tivesse havido pelo menos uma igreja para orar por ele.

“...E não chegaste a lamentar” são as palavras que Paulo usou (I Coríntios 5:2). O que é que você faz quando é confrontado com o mal que emerge da carne de um irmão? Há pranto no seu espírito por ele até que ele se manifeste em Deus? Ou você fica indiferente?

“Não, eu não o julgo!”

Mas você chora? Você abre o seu coração para amá-lo? Você se preocupa? Você pode chorar com aqueles que choram? Precisamos chorar, mas chorar por essa falta de amor. Se não há amor, chore por isso e se você não puder chorar, então chore porque não há o espírito dos que choram em você.

Jovens, vocês podem dizer adeus aos que estão no mundo? No entanto, vocês não choram por eles? Vocês não querem que eles encontrem a Cristo? Vocês não anseiam ver algo no seu próprio coração de amor que os alcance? Vocês não podem ser indiferentes, mas podem chorar. Chorem, e Ele os ajudará.

Nós choramos quando não demonstramos amor. Nós observamos as criancinhas crescerem. O café é sempre a hora mais agitada mas, à noite, deitados, nós pensamos: “Como posso ajudá-las? O que é que posso fazer por elas? Esses pezinhos  têm tanto que caminhar ainda.  Essas mãozinhas têm tanto a aprender. Existem tantas coisas prontas para devorá-las.” Mas os anos passam rapidamente e, então, você chora pelas coisas que desejava ter feito.

Será que um homem pode terminar sua vida chorando porque não soube como dar mais? Eu tenho sentido esse pranto profundamente. Eu tenho sentido isso durante anos e anseio para que termine. Eu anseio que Deus me dê o que preciso para que eu não ministre ao Seu povo e chore por não tê-los alcançado, por não ter comunicado a eles, por não ter feito a Palavra fluir para eles como deveria. Senhor, não deixe que haja uma falta de amor em mim. Nós choramos, mas sabemos que Ele nos ajudará e sabemos que  Ele diz: “Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus... te ajudo, e te sustento...” - Isaías 41:10.

Eu vejo que Deus tem colocado certas pessoas na terra com um propósito para elas cumprirem. Por desígnio direto do Espírito de Deus elas nasceram nesta geração e se levantaram com um propósito. Eu tenho aberto meu coração para amá-las e ajudá-las. Algumas delas vão tropeçando e não são exatamente dignas do alto chamado que Deus colocou sobre elas. Deus as levantou para realizarem e cumprirem uma obra  e, quando elas parecem fracassar, eu encontro alguma coisa no meu espírito me dizendo para não julgá-las, nem ser severo nas minhas exigências com elas, sabendo da grande pressão que o inimigo traz. Mas tenho chorado quando elas falham no que Deus quer que elas sejam e naquilo que Ele as chamou para ser.

Eu tenho chorado por aqueles que Hebreus 11 diz ser a grande nuvem de testemunhas, aqueles que morreram na fé, sem receber as promessas, mas as abraçaram de longe. Eu tenho chorado porque sem nós, eles não serão aperfeiçoados (versículo 40). Eu sei que há uma experiência reservada para aqueles que já se foram, uma experiência  na qual eles não andaram. Pela primeira vez na história do mundo, estamos ouvindo, nos aproximando e chegando a uma perfeição de espírito. Sem nós, aqueles que estão na nuvem de testemunhas não serão aperfeiçoados.  Eu choro por aqueles “... dos quais o mundo não era digno...”- Hebreus 11:38. Eu sei o quão justos eles foram, que mártires, que santos, que sofrimentos, que sacrifícios. Eles viveram e morreram de uma maneira muito além do que poderíamos compreender e estão esperando  que essa companhia de Deus dos últimos tempos se levante. Hebreus 12 diz que chegamos ao Monte Sião, aos espíritos dos justos aperfeiçoados (versículos 22, 23).

Nesta hora, um novo dia está se abrindo  para avançarmos e fazermos uma obra para Deus.  Haverá ação. Estaremos mudando para outro nível e entrando em uma tremenda experiência, não de sondagem da alma, mas de purificação do espírito. O remanescente passará por um batismo de fogo espiritual. Deus Se assentará e julgará, refinando todos os filhos de Levi, assim como a prata é refinada no fogo e, então, eles oferecerão ao Senhor uma oferta pura como nos dias da antigüidade (Malaquias 3:3, 4).

Para que a nossa adoração seja pura, os nossos espíritos precisam ser refinados e purificados. Está no seu espírito clamar ao Senhor: “Senhor, purifica-me; tire do meu espírito as coisas que estão erradas; tire a coisa perversa que existe no meu espírito, ó Deus, eu quero chorar diante de Ti?” Se esse clamor está no seu coração, então você será consolado.

Há um pranto no nosso coração por causa da frustração das restrições que não são bíblicas, que não são de Deus. Vemos nascer no mundo um novo dia para o remanescente de Deus caminhar com Ele. É tão grande a frustração pelas restrições que encontramos no nosso caminhar, libertações, respostas a orações e promessas atrasadas que clamamos: “Quanto tempo, quanto tempo, ó Deus?” No entanto, sabemos que não é culpa d’Ele; não é uma relutância de Deus. É algo no nosso próprio espírito; precisamos chorar por isso.

Nasce um pranto no nosso coração quando nos conscientizamos de que, a não ser que Deus cuide do que há dentro do espírito humano, serão levantadas igrejas que estarão em um nível apenas um pouco mais alto.  Deus nos livre disso!  Deus nos livre de gerarmos outro Ismael. Que não haja outra geração que ande aquém daquilo que o Senhor deseja.

Chore! Chore! Não se preocupe em vencer esta ou aquela circunstância. Não é com as restrições ou relacionamentos que você tem que se preocupar, mas sim com as limitações do seu próprio espírito porque  foi no seu espírito que estas limitações nasceram. As libertações estão atrasadas.

Temos tanto ainda que andar! Temos tanto a fazer, tantas coisas a que Ele nos destinou. Nós não podemos perder isso.  Acho que um homem deve se orgulhar ao ver aqueles que Deus levanta, mas eu choro quando olho alguns de vocês, assim como um pai olharia seu filho no dia em que ele sai ao mundo, cheio de confiança, para se afirmar.  O pai sabe como será difícil, mas ele não pode fazer nada, a não ser estar lá quando for realmente necessário. Está chegando sobre cada um de vocês o dia em que terão que sair e lutar com o seu gigante; vocês terão que falar a Sua palavra e fazer Seus prodígios com toda a coragem e violência dos seus espíritos. Alguns de vocês irão morrer por Ele.

Chore por aqueles que ouviram esta Palavra durante anos e caíram. Eu chorei por alguns deles durante anos, até que o Espírito do Senhor veio a mim e disse: “Agora não chore mais.” Eu choro pelas frustrações e as restrições que eu sei que Deus não deseja que estejam na minha vida. Eu quero falar a Sua Palavra. Eu quero ser o que Ele quer que eu seja. Você tem esse choro no coração? Você tem essa frustração profunda, que o faz chorar ao saber que as restrições na sua vida não são de Deus e precisam cair? Existem aqueles que aceitam as restrições;  você aceita? Há um clamor crescente no seu coração contra elas? Você anseia por se livrar dessas restrições e dizer: “Elas têm que cair”? Eu anseio por libertações que considero atrasadas, por respostas a orações que nos foram asseguradas e pelo cumprimento de profecias que foram testemunhadas por homens de Deus; eu anseio por ver essas libertações  que estão atrasadas virem à luz. Eu sei que poderíamos ter muito mais do que temos.

Eu choro no fim do melhor dos cultos, porque tenho um vislumbre do que poderia ter sido, como poderia ter sido grandioso. Eu choro por aqueles que ainda estão na Babilônia, pois os julgamentos e açoites que o mundo irá receber será a porção deles também. Eu choro por aqueles filhos de Deus esmagados e quebrados que serão quase destruídos antes de saírem da Babilônia. Você pode ouvir o povo clamando dentro dos muros da Babilônia? Você chega a chorar por aqueles que estão  aprisionados lá dentro? Você sabe o que é ficar cativo a uma repetição ou ritual; sabe o que é a luta para manter-se acordado durante um culto ou ouvir um sermão que o enche de tédio? Você sabe como isso é desanimador? Sabe o que é estar tão faminto, que você pode ficar entusiasmado com uma migalha? Chore por estas pessoas.

Chore por aqueles que têm um jugo desigual com incrédulos, aqueles cujos espíritos estão acorrentados e que não podem voar alto, por causa do jugo desigual. Eles estão em jugo com um incrédulo quando entram na graça de Deus;  isto é uma restrição na vida deles, eles têm que  ter comunhão com o ímpio. No entanto, seus corações  anseiam por algo mais.

Dentro de nós há uma dor profunda de espírito, um pranto silencioso de coração. Se pudéssemos dar voz a este pranto, seria ouvido um alto lamento e um grito que encheria toda a terra e subiria ao próprio céu dizendo: “Ó Deus, liberte Seus servos. Console aqueles de nós que choram”, pois, segundo a profecia em Isaías 61,  Deus consolaria todos os que choram em Sião e nos daria formosura,  ao invés de cinzas. “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.”

Se pelo menos o espírito das pessoas fosse aperfeiçoado para que elas pudessem realmente conhecer o que está diante delas! Geralmente, se as pessoas não ouvem exatamente a Palavra que querem, elas ficam contrariadas. Deus não vai lhe dar uma Palavra só para evitar que os seus sentimentos sejam magoados. Ele lhe dará essa Palavra quando seu espírito estiver pronto para recebê-la. Você irá sentar-se com um coração aberto para Deus, pobre de espírito, quebrantado diante do Senhor, chorando, até o dia em que Deus quiser lhe dar essa Palavra. E quando Ele a der, você chorará, porque, na sua falta de merecimento, você precisará  entendê-la, de uma forma que ainda não entendeu. Se você tem pranto no coração e dor no seu espírito e esse anseio esmagador por Deus, há uma bênção para você. Deus irá confortá-lo.

Determine-se a orar e a buscar o Senhor se você deseja essa qualidade de pranto no seu espírito. Ele o guardará dos fracassos, erros e limitações, pois a semente de todo fracasso está no espírito humano, não na carne. É a carne que dá à semente uma oportunidade, mas se essa semente não estivesse no seu  espírito, você não cairia.

“Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne, como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus” -  II Coríntios 7: 1. Esta perfeita libertação é nossa.  Senhor, não há nada pior do que sermos insensíveis. Que o nosso coração bata como o Teu. Dá-nos, ó Deus, um pouquinho do Teu amor, amor tão grande que deste Teu filho por nós. Ajuda-nos, Pai, nos leve àquilo que Tu tens para nós. Coloca dentro de nós a capacidade de chorar e se empenhar, essa dor de espírito, esse anseio esmagador por Ti, Senhor. Ajuda-nos a sacudir fora essas limitações. Deus vai nos ajudar a entrar na purificação do nosso espírito. Clame ao Senhor para ser pobre de espírito e chore, até que você não apenas entenda, mas que isso seja uma realidade em você. Ele o ajudará e a purificação virá.

Eu sei que você sente: “Senhor, se pudesses pelo menos fazer isso em mim.” Mas Eleestá  fazendo isso agora. Quando o Senhor olhou para todos aqueles discípulos que não estavam condicionados nem preparados, mas que O amavam, Ele os amou e disse: “Agora já estais limpos pela Palavra que vos tenho falado.” Que  Deus faça com  que esta Palavra seja eficaz na sua vida a partir deste momento, quer seja só uma pequena dor de coração, quer seja a profundidade do pranto diante do Senhor. Que esta Palavra seja uma realidade no seu espírito porque ela é muito necessária. Este não é  apenas um movimento ao qual você possa aderir e dizer: “Esta é a coisa”. É mais que isso. É chegar ao Monte Sião e ao espírito dos justos aperfeiçoados.

Palavra Vivente
Reino Net

 

voltar para Princípios do Reino

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||