02 - Os Pobres de Espírito

Imagine-se na multidão naquele dia em que o Senhor Se assentou em um pequeno monte, com as pessoas reunidas ao redor e passou a ensiná-las, dizendo:“Bem-aventurados os humildes (pobres) de espírito, porque deles é o Reino dos céus”- Mateus 5:3. A Palavra era muito concentrada. Quanto tempo você acha que levou para Ele pregar aquele sermão? Como é que Jesus explicou o que é ser pobre de espírito? Será a velha idéia de deixar as pessoas o persuadirem a aceitar seu próprio destino? Não, não é nada disso. Ser pobre de espírito é uma qualidade de espírito.

Dos pobres de espírito é o Reino dos céus. Eles são pobres, não por não terem sido ricamente dotados ou por não haver um fluir rico de Deus para eles; eles são pobres de espírito  porque não guardam nada para si e, no entanto, deles é todo o Reino dos céus. Eles não tomam o fluir de bênção e graça que  vem para eles e o represam para si próprios. O homem pobre de espírito é sempre pobre porque nunca acumula nada para si próprio. Tudo o que ele é e tudo o que ele tem está sempre fluindo; ele é pobre porque é apenas um canal. “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus.”

Vamos ver o que é que Deus realmente tem para nós com relação a sermos pobres de espírito. Qual é o oposto de ser pobre de espírito? Rico de espírito? Não. O homem que é pobre de espírito é também rico de espírito. Dele é o Reino dos céus. Ele tem tudo. Não podemos dizer que um homem que é pobre de espírito seja um homem pobre ou não tenha riquezas em si. Ele tem todas as riquezas de Espírito. Dele é o Reino dos céus. Tudo é dele. Portanto, não podemos contrastar o pobre de espírito com o rico de espírito. Temos que contrastar o pobre de espírito com o forte de espírito. O homem que não é pobre de espírito é alguém que tem um espírito arrogante, talvez com uma fachada de falsa humildade; um espírito arrogante que não é suscetível ao ensino; um espírito que se auto afirma; um espírito impiedoso que avança para conseguir o que pretende; um espírito sensível que se ofende facilmente; um espírito forte, dominador, um espírito que se promove; um espírito ambicioso; um espírito de auto-preservação, que protege a sua imagem diante das pessoas, sempre procurando o primeiro lugar; um espírito defensivo. Tudo isso  é o contrário do pobre de espírito.

Como é difícil para um homem forte de espírito entrar num caminhar com Deus. O forte de espírito pode reunir facilmente duas dúzias de pessoas e trazê-las para a igreja - pessoas boas e mansas, que estão buscando o Senhor. Enquanto elas ficam se maravilhando: “Que fantástico”, o Sr. Forte de espírito que trouxe todas elas já sumiu, deixando todos os mansos lá para herdarem o Reino.

Ser pobre de espírito significa ser desprovido de ego, deliberadamente desprovido de ego, quase dedicado ao fracasso: dedicado ao fracasso do ponto de vista humano e mal sucedido segundo o conceito humano. Eu sei o que significa ser pobre de espírito. E também sei o que é ser  pobre. Quando  fui pobre, nem sempre fui pobre  de espírito, pois, em certas épocas, eu protestava demais.

Há conceitos humanos de sucesso e fracasso. Mas quais são os conceitos humanos de riqueza? Metais e pedras de vários graus de preciosidade, tecidos combinados com toques artísticos?  Um pedaço de terra é considerado riqueza, se for de um bom tamanho e no local certo. Um homem poderia ter apenas uma quadra de terra e ser muito rico, principalmente se for numa área no centro da cidade. Madeira e pedra podem ser montadas de várias formas. Metais podem ser moldados em diferentes formatos e desenhos - automóveis, maquinarias, aparelhos de televisão.  O que nós temos em Cristo não tem nenhum valor aos olhos do mundo. Estamos aí, ricos, possuindo todo o Reino dos céus, mas realmente pobres porque o mundo não considera importante o que nós temos.

Estas são verdadeiras riquezas: uma criancinha ser membro do Corpo de Cristo; sentir unidade e amor com o povo a ponto de você não ser nada em si mesmo; examinar seu espírito e ver que você é pobre de espírito,e, no entanto, você é tão um com o resto do Corpo, que seu é o Reino dos céus. Esta é a promessa. Ser desprovido de ego é ser pobre de espírito. Há pessoas que estão tão perdidas em Deus que o ego não é mais um  fardo para elas.

O pobre de espírito não busca o seu próprio interesse. Em um certo sentido, ele é pobre no seu espírito porque está sempre dando para o Corpo. Ele não tem nenhuma atitude que aponte as coisas como sendo suas, mas, para ele,  tudo pertence ao Senhor e ao Corpo de Cristo. O pobre de espírito é um homem que tem dado sua vida para enriquecer o irmão; para ver sua vida tornar-se uma extensão do Corpo, uma extensão de Cristo. Mas, por outro lado, dele é o Reino dos céus. Ele perdeu o desejo pela identidade pessoal. Tudo o que ele deseja é ser uma extensão do Senhor. Isto significa que todo homem no Corpo de Cristo é uma extensão uns dos outros e de Cristo, e que Cristo é uma extensão deles.

Há algo de lindo em se observar as verdadeiras riquezas. Como é lindo, e como é valioso neste mundo, um homem e uma mulher com um só espírito: ele sente que a mulher é uma extensão de si mesmo, e, em certos momentos, ele se vê como uma extensão dela. Eles são verdadeiramente um só ser. É como ter mãos extras para agarrar, um coração extra para sentir. Eles são um;  são a extensão um do outro, parte um do outro.

Há um amor misterioso e implacável que se entrega à vontade do Senhor e a persegue agressivamente. Isso pode não parecer uma definição do pobre de espírito, mas é isso que há dentro do pobre de espírito. O pobre de espírito é implacável no amor; ele se entrega à vontade do Senhor e persegue agressivamente a vontade de Deus na sua vida. Este homem não tem nada em si mesmo. Ele é pobre porque está sempre se dando à vontade de Deus e ao Corpo.

Ser pobre de espírito significa perder o medo do homem, e, portanto, o medo das conseqüências. Se você perde o medo do homem, você não sente mais medo das pessoas; você fica ousado. Isso não significa uma ousadia agressiva, significa apenas que você não tem medo do homem. Você é tão um com o Senhor, que fala e ministra no nome d’Ele. A idéia de ter medo de falar nem entra na sua mente. Você não tem medo das conseqüências, quer as pessoas  o aceitem, quer o rejeitem. As características do pobre de espírito parecem semelhantes às características de um homem arrogante, não parecem? As pessoas podem olhar para o pobre de espírito e dizer: “Quem ele pensa que é,  não ligando para o que as pessoas pensam dele? Como é que ele se atreve a nos esnobar assim? Nós, os membros da sociedade, vamos lhe mostrar uma coisa. Nós vamos rejeitá-lo”. Como as pessoas ficam furiosas quando  rejeitam o pobre de espírito e vêem que ele não liga a mínima. Para ele, é mais importante agradar a Deus do que agradar ao homem. Paulo não tinha medo das conseqüências no final do seu ministério.

- “Paulo, você não sabe que as profecias dizem que você vai ser amarrado e açoitado em Jerusalém?”

- “Não tentem partir o meu coração; nenhuma destas coisas me comovem.”

- “O que é que há Paulo? Nós espetamos um alfinete em você e você nem diz ai? Nós estamos dizendo que você vai sofrer; isso não lhe incomoda? Você não tem nenhum medo das conseqüências? Você é idiota?”

- “Não, idiota não; só pobre de espírito. Não sobrou em mim nenhum medo das conseqüências.”

Imagine os apóstolos diante do coxo, dizendo: “ Prata e ouro não temos.” Eles eram realmente pobres;  pobres de espírito. Deles era o Reino; eles podiam dizer ao coxo: “Prata e ouro não  temos, mas o que temos te damos. Em nome de Jesus, levanta-te e anda”. E o coxo foi curado bem ali (Atos 3:1-9).  Aqueles homens eram pobres, pobres de espírito, mas como eram ricos no Reino dos céus! Tudo era deles, embora eles fossem desprovidos dos padrões humanos de valores.

Atualmente temos um departamento oficial de medidas. Tudo tem que ser tabelado. Um quilo de açúcar precisa ser um quilo de açúcar; um quilo de farinha precisa ser um quilo de farinha; um litro de leite precisa ser um litro de leite. Se um rótulo diz que há uma certa quantidade em uma lata, a lei exige  que haja essa quantidade na lata. Em muitas áreas, nós chegamos a dar valor aos pontos de vista deste mundo e ao que esta era diz que é ou que não é valioso. Ser pobre de espírito também significa que somos desprovidos dos padrões humanos de valores e isso é importante. Existem algumas coisas que fazemos, usando as coisas deste mundo, mas não abusando delas, conforme Paulo diz em I Coríntios 7:31. Somos apenas despenseiros delas. É uma questão de se ter o padrão e o valor correto das coisas. O mundo  não irá perdoá-lo  nunca por você não dar valor às mesmas coisas que eles valorizam.

Vemos um grave conflito entre as gerações, que chamamos de “brecha entre as gerações.” Os mais velhos vão seguindo seu caminho e os moços olham e dizem: “Puxa, eles  são materialistas; vivem só para o passado. Eu não quero fazer parte dessa luta louca. Quero sair fora disso. Eu não quero me escravizar e trabalhar a minha vida inteira para nada, para não chegar a lugar nenhum.”  E então eles lamentam a tolice do esforço dos adultos. Os adultos, por sua vez, olham a geração mais nova e dizem: “Seus desajustados cabeludos, o que é que vocês pensam que são, perturbando e destruindo uma civilização que vocês nem mesmo construíram? Que direito vocês têm de rejeitá-la? Tudo foi dado pronto na mão de vocês.” E assim vai, de lá para cá, de cá para lá. Todos estão errados porque estão usando os padrões errados de medida; não têm o senso de valores correto.

Só o pobre de espírito é desprovido destes padrões humanos de valores. Eles podem trabalhar toda a sua vida  apenas para ganhar um sorriso ou uma pequena frase. Alguém pode dizer: “Que vantagem há nisso? Trabalhando você deveria receber uma boa paga. Você está aqui se empenhando, trabalhando, recebendo pouquíssimo de tudo isso, a não ser a satisfação de estar fazendo a vontade de Deus. Mas o que é que você vai ganhar quando tudo tiver acabado? Um sorriso e ‘Muito bem, servo bom e fiel.’ Isso basta?” “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos céus.”

“O princípio da sabedoria é: adquire a sabedoria;” disse Salomão, “sim com tudo o que possuis adquire o entendimento” - Provérbios 4:7. Ser capaz de entender do que isso se trata é ser pobre de espírito. O pobre de espírito  pesa todas as coisas. Ele conhece tudo, de trás para frente, de frente para trás, e não entra na agitação desta vida moderna, porque ele tem algo mais, um outro padrão de valores.

Há uma época na vida de todo mundo quando se tem vontade de ver o que existe do outro lado da cerca. Você tem vontade de fazer isso? Você tem vontade de ver o que o mundo está fazendo? Você gostaria de estar lá? Você gostaria de fazer o que eles fazem? Você não pode se sentir mais quente num casaco de vison do que num casaco de pele de coelho, mas o primeiro é muito mais caro e um pouco mais macio. No Corpo de Cristo, os dias dos conflitos de personalidade estão desaparecendo. E o que é que fica no lugar? Uma unidade. Quando você anseia e ora pela outra pessoa, você se torna a expressão verdadeira do Corpo de Cristo.

“Será que você nunca sente vontade de ‘dar no pé’ e tirar umas férias de Deus, ou pelo menos ter um recreiozinho?” O que você poderia fazer? “Bem, eu iria até uma discoteca - alguma coisa bem ousada - ouvir a música deles” (até os seus tímpanos estourarem). “Beberia as bebidas deles” (e ficaria com uma dor de cabeça tremenda).

Ah, pobres pessoas lá fora no mundo! Vocês estão mordendo um anzol vazio, um anzol sem isca. No terceiro capítulo de Filipenses, Paulo disse: “Vocês, com suas avaliações e conceitos. Se qualquer um de vocês acha que tem alguma coisa de que se gabar eu tenho muito mais do que qualquer um. Fui fariseu de fariseus, hebreu de hebreus. Eu tive posição, tive tudo. Eu considerei tudo perda para que pudesse ganhar a Cristo e ser achado n’Ele.” “Prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação  de Deus em Cristo Jesus” -  Filipenses 3:14: “Estou vivendo pobre de espírito com um amor misterioso e implacável, abandonado à vontade do Senhor e perseguindo-a, agressivamente.” Assim foi você, Paulo. Pela graça de Deus será assim conosco também.

O homem que é pobre de espírito tem oportunidades maiores do qualquer outro homem, mas ele descartou a avaliação humana das coisas. Ele é tolo  nesse aspecto. As coisas podem lhe ser dadas, mas ele as rejeita. Meu avô queria que eu  cursasse Direito. Eu não tive o senso adequado de valores humanos porque eu teria que prometer desistir do ministério, caso aceitasse a oferta dele. Ao invés  disso, eu viajei pregando pelo país, pegando carona e trem de carga em movimento, até que, aos dezenove anos, eu consegui uma úlcera no estômago. Foi um preço alto o que eu paguei.

Meu padrão de valores era diferente dos padrões de outras pessoas. Eu aprendi algumas coisas, como manter uma tenda de pé durante um temporal no interior do país. A terra escura molhada afrouxava as estacas e eu tinha que saber até que ponto apertar bem as cordas, senão a água começava a encolhê-las e toda a tenda vinha abaixo. Eu aprendi  como impermeabilizar uma barraca,  misturando  e derramando litros de soluções sobre ela, para que se mantivesse de pé e repelisse a água. Não era ummodo muito elegante de se viver, mas eu tinha que pregar a  Palavra de Deus.

Você também precisa viver a vida que Deus tem para você. Não importa o que você tenha que fazer ou sacrificar. Isso não é importante. Você vive com coisas que têm um verdadeiro valor. O pobre de espírito tem um padrão de valores diferente. Ele é um louco para o sistema do mundo inteiro porque  prefere agradar a Deus e andar com Ele. Mesmo que a sua vida pareça sem valor e desperdiçada na opinião de todos,  o pobre de espírito sabe o que tem a fazer, e  o faz em nome do Senhor.

O pobre de espírito reage de maneira diferente diante das situações. Quando um homem forte de espírito adoece, sua reação é: “Estou morrendo. Chame o médico. Estou com dor de cabeça.” O pobre de espírito parece sofrer muito, mas ele sabe como resolver o problema. Observe como um homem forte de espírito recebe uma ofensa: “Como é que meu patrão se atreve a falar assim comigo?” Furioso, o forte de espírito, anda de um lado para o outro: “Ninguém pode fazer isso comigo.” Como é que ele recebe os testes? O forte de espírito não se curva com as pressões. Mas a árvore que resiste à tempestade é aquela que se curva com o vento. O homem que atravessa a pressão é aquele que é pobre de espírito. Quando os ventos e as tempestades o castigam, ele se enverga com eles e, no entanto, é inabalável. Quando as tempestades atingem o forte de espírito, ele se curva da forma errada. Sua raiz é arrancada do solo e ele morre.

O forte de espírito levanta-se contra as tribulações, como se elas fossem uma ofensa pessoal, até que a coisa se torna uma batalha entre ele e o universo, até ser esmagado e morto. O coração do forte de espírito está nas coisas deste mundo as quais, no seu falso senso de valores, ele considera importantes. Quando essas coisas são varridas e ele as perde, ele nem percebe que elas não são importantes. Muitos fortes de espírito estouraram os miolos com a quebra da bolsa durante a depressão, porque perderam dinheiro, sem perceberem que a sua vida e seus entes queridos ainda continuavam lá.

O homem que é pobre de espírito diz, como Jó, quando perdeu tudo: “... O Senhor o deu, e o tomou; bendito seja o nome do Senhor!” Jó 1:21. Como é que você recebe as perdas e o despojamento? Bem-aventurados os pobres de espírito, porque não se pode nunca empobrecê-los; eles são sempre ricos. Bem-aventurados os pobres de espírito, porque eles têm as coisas importantes que ninguém pode lhes tirar.

Palavra Vivente
Reino net

 

voltar para Princípios do Reino

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||