01 - O Sermão do Monte (Introdução)

O Sermão do Monte (Introdução)

O Senhor quer purificar o nosso espírito. Sentimos que isso é necessário porque ainda temos coisas no nosso espírito que sabemos que não deveriam  existir. Como queremos um espírito reto, nós oramos: “Senhor, renove dentro em mim um espírito reto” - Salmo 51:10. Como iremos obter esse espírito reto? O Espírito Santo realiza a purificação do nosso espírito. Depois que nos afastamos do pecado, precisamos passar por um período em que o subconsciente é recondicionado. Surgem novas reações. As formas como antes reagíamos às circunstâncias e situações mudam. Não reagimos mais da mesma maneira. No entanto,  ainda vemos algo que Deus precisa realizar no nosso espírito. Vemos na Bíblia que Deus usava certos homens de maneira poderosa, mas algumas coisas nos seus espíritos ficavam emergindo e eles fracassavam. Havia uma certa petulância no espírito de Pedro que o fez negar o seu Senhor. Mesmo vendo Pedro mover-se maravilhosamente no Senhor, você também pensa: “Pedro ainda continua sendo Pedro, um espírito impulsivo”.

Veja Tiago e João, os filhos do trovão. Tiago foi o primeiro dos discípulos a dar a vida pelo Senhor como mártir; João  viveu tanto tempo que todos se indagavam se ele iria algum dia morrer. Ele foi chamado de o apóstolo do amor. Estes dois, Tiago e João, estiveram dispostos a trazer fogo do céu para consumir uma cidade dos samaritanos. Jesus disse: “Vós não sabeis de que espírito sois” - Lucas 9:55. Como o espírito humano ainda aflorava, Tiago continuava sendo Tiago e João continuava sendo João. Deus,  ao olhar para nós, também deve ver isso e Ele quer a perfeição nos nossos espíritos.

Nós clamamos para sermos puros no nosso espírito diante do Senhor. As imperfeições no nosso espírito emergem e se tornam ocasião de muitas derrotas. No entanto,  queremos caminhar com perfeição diante do Senhor. Nós ansiamos por aquilo que virá sobre nós e fará nosso espírito semelhante ao Seu Espírito. Nós ansiamos por aquilo que Deus disse que aconteceria  nos últimos tempos, quando Ele Se assentará, conforme profetizou Malaquias, e purificará todos os filhos de Levi, assim como a prata é purificada pelo fogo. Então,  naquele dia, o povo de Deus oferecerá oferta pura ao Senhor, uma adoração  pura (Malaquias 3:3). Nós buscamos essa adoração pura, mas essa adoração pura não pode sair de um espírito impuro.

Quando entramos em um caminhar com Deus, Ele começa, imediatamente, a tratar com o nosso espírito. Acima de tudo, Ele trata com o espírito que temos, pois, se falharmos nesse ponto, nós falharemos completamente porque nosso caminhar com Ele nestes últimos tempos é uma questão de espírito. Nestes últimos tempos, nós seremos um povo de ação, mas nós não queremos sair aos campos de batalha e fracassar, não queremos olhar para trás e dizer: “Será que deveríamos ter saído com tanta ousadia? Veja só quantas baixas nós tivemos pelo caminho”. Se o nosso espírito for tratado e for aberto ao ensino, reto em relação a Deus e em relação àqueles com quem trabalhamos, nós poderemos chegar ao fim sem nenhuma baixa.

 Um velho general, antes de terminar a batalha, sabe que alguns serão perdidos pelo caminho, a não ser que tome precauções. Antes de Israel sair à batalha para tomar a terra de Canaã, enquanto ainda estavam na margem oriental do Jordão, Josué disse: “Santificai-vos, porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós ” - Josué 3:5. Deus  iria abrir o Jordão para eles passarem e era necessário uma preparação profunda. Mais tarde eles circuncidaram os moços em Israel, pois não deveria haver ninguém que não satisfizesse as exigências de Deus. Hoje o Senhor também está iniciando uma circuncisão nos nossos corações e espíritos.         “Tendo, pois ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne, como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus”- II Coríntios 7:1. Nós não queremos sair à batalha e ver alguns se perdendo. Nós podemos permanecer, mesmo em meio à batalha, se tivermos um espírito reto.

 Se você não serve a Deus com um espírito reto, tudo o que você faz é um esforço penoso e se torna um sacrifício insuportável, uma imposição que drena  a sua vida,  trazendo exigências com as quais você se cansa. Mas com um espírito reto, você vê que o seu alimento é fazer a vontade daquele  que o enviou, para concluir a Sua obra (João 4:34). Só sofremos muito para fazer a vontade de Deus quando não nos entregamos totalmente. Nós nos voltamos para o Sermão da Montanha, porque estamos interessados em ver o Senhor tratando com o nosso espírito. Nós clamamos: “Ó Senhor, como queremos ser purificados!” 

O que  Jesus estava nos mostrando no Sermão da Montanha? Alguns dizem: Ele queria nos mostrar a graça, que é diferente da lei”,  mas Jesus disse: “Não penseis que vim revogar  a lei ou os profetas: não vim para revogar, vim para cumprir”-Mateus 5:17. Isto não significa regular as ações dos homens, mas mostrar que as ações retas vêm de um espírito reto e também  mostrar o que agrada ao Senhor. Para Deus, não basta corrigir  sua conduta e comportamento até que você faça o que Ele diz, mas com o espírito distante. Ele quer começar com a essência do seu ser, para que, quando você estiver adorando, não seja por uma obediência externa ou superficial, mas seja algo que venha do seu coração. Por toda a Bíblia, o grande mandamento indica que Deus desejava um povo que amasse ao Senhor de todo coração, de toda alma, de todo entendimento e com todas as suas forças. Ele não estava procurando uma multidão de obras e sacrifícios  que fariam com que a pessoa se tornasse irrepreensível. Ele quer o que você tem; Ele quer você. Ele não quer o que você pode fazer. Ele quer você. Depois que Ele possuí-lo realmente, então Ele  terá tudo o que você tem e tudo  que você pode fazer, mas Ele é quem estará se movendo através dessas coisas.

No Sermão da Montanha, Jesus nos ensina a respeito do Reino. “Percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo. E a sua fama correu por toda a Síria; trouxeram-lhe, então, todos os doentes, acometidos de várias enfermidades e tormentos: endemoninhados, lunáticos e paralíticos. E ele os curou. E da Galiléia, Decápolis, Jerusalém, Judéia e dalém do Jordão numerosas multidões o seguiam. Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte, e como se assentasse aproximaram-se os seus discípulos;  e ele passou a ensiná-los, dizendo: Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus. Bem-aventurados os que choram porque serão consolados. Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos. Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus. Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus. Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem e vos perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós. Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos que se encontram na casa. Assim brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”- Mateus 4: 23-25 e 5:1-16.

Grande parte do Sermão da Montanha fala sobre o espírito humano e seu relacionamento com Deus. Se você guardar isso em sua mente, você poderá meditar no Sermão da Montanha por um certo tempo e encontrar esboçado ali o que você deseja no seu espírito. Jesus estava abrindo os grandes segredos  do Reino e este ensinamento foi muito necessário e básico. Nos versículos 13 a 16, Jesus usou tanto a ilustração do sal quanto da luz, ao referir-se ao espírito humano. Se o sal perde o seu sabor, não serve para mais nada; é lançado fora e pisado pelos homens. Em outras palavras, se não houver um espírito reto no que você fizer, ainda que seja extremamente religioso, você será lançado fora para ser pisado pelos homens. Se não houver nada de real no seu espírito, todo o seu empenho será vazio. O segredo é o quanto de Deus há no seu espírito quando  você faz alguma coisa.

Algumas pessoas hoje em dia se indagam porque é que os agnósticos no mundo estão pisando as igrejas, caçoando e rindo delas. Isso não é de se admirar.  As igrejas poderão ser expostas ao ridículo ainda mais, porque Deus disse que, se o sal perder o seu sabor - se não houver um espírito reto -  que  seja então pisado  pelos homens. Que os homens o rejeitem, porque a religião falsa não é uma resposta para o mundo. A resposta é a luz no velador, onde todos possam vê-la. Quando Jesus disse: “Vocês são  a luz do mundo”, Ele estava falando sobre o espírito da pessoa. Será que você deve deixar sua luz brilhar diante dos homens para que eles vejam as suas obras e digam: “Puxa, que grande humanitário! Vamos fazer uma estátua dele!” Não. Glorifiquem o Pai. Todas as suas obras irão glorificar a você mesmo, a não ser que sejam feitas com um espírito reto. Se forem feitas com um espírito reto, elas glorificarão o Pai. Aqueles que fazem as coisas para seu próprio louvor,  o fazem com um espírito errado. Surpreendentemente, o Senhor não dá crédito a estas pessoas.

Você glorifica ao Senhor quando vê alguém que não está buscando reconhecimento ou louvor; que trabalha e louva ao Senhor. Você não chega nem mesmo a ver a candeia, só a luz que ela irradia. Você nem chega a parar para pensar em todas as pessoas que trabalham com a Palavra de Deus. Você lê e começa a glorificar ao Senhor por ela: “Mas que Palavra maravilhosa!” Aqueles que estão deixando sua luz brilhar diante dos homens de tal forma que, quando estes vêem as suas obras, glorificam o Pai, estão escondidos.  Devido ao Espírito de Deus que está operando dentro de nós, Ele está sendo glorificado naquilo que fazemos.

As coisas que provêm de um espírito reto são chamadas de “Bem-aventuradas” ou “benditas”. Beatitude significa bendito, abençoado ou bem-aventurado. Repare que as beatitudes não têm o objetivo de trazer mandamentos: “Farás” ou “Não farás”;  elas são algo completamente diferente. Elas  mostram que um homem é abençoado, não tanto pelas coisas  que ele faz, mas pelo que há em seu  espírito. O que irrita as pessoas no mundo atual em relação às igrejas é o fato de que nelas  não há nada do Espírito, nada da unção de Deus. Não há nada real; é apenas uma forma. O sal perdeu o seu sabor e é pisado pelos homens. Você pode achar que o mundo esteja perseguindo as igrejas por causa da maneira como ele as despreza e ignora, mas perseguição é algo completamente diferente. Nós devemos viver piedosamente em Cristo Jesus e sofrer perseguição. Isso é inevitável. As pessoas estão repelindo, ridicularizando e pisando as igrejas porque elas perderam o sabor, o sal do Espírito do Senhor, que as torna reais e vivas. As igrejas podem ter os templos mais lindos e os programas mais interessantes, tudo indo às mil maravilhas;  no entanto, as pessoas as desprezam porque não há nada nelas; nenhum sabor, nenhuma qualidade redentora. Era isso que Jesus estava falando.

Jesus também falou a respeito de deixar resplandecer a sua luz para que todos possam ver as suas boas obras. Tente fazer  boas obras sem um espírito reto e você verá o que acontece. Um homem rico pode dar um milhão de dólares para caridade, mas em todas as suas boas obras não se vê Deus. Você vê  um homem que tenta impressionar,  que está comprando para si um pouco de mérito e de publicidade. Homens têm gasto milhões de dólares para mudar uma imagem criada nas mentes das pessoas, devido a crimes pelos quais eles deveriam ser julgados e enviados  para uma penitenciária. Os homens não podem comprar a sua entrada no céu, mas, às vezes,  gastam muito dinheiro para mudar uma imagem que as pessoas fazem deles.

A verdade que Deus está mostrando é que você pode viver de tal forma que, em tudo o que fizer, o  espírito com que você fará as coisas irá glorificar o Pai. Tudo o que as pessoas virem em você, glorificará a Deus. Qual é o propósito de trabalhar para Deus, se você não dá a Ele a glória? De que adianta fazer as coisas sem cuidado, nem interesse, apenas para ganhar crédito pessoal e ter as pessoas olhando para você? Que Deus proíba isso!  Mas há um meio de deixarmos nossa luz brilhar tanto que, quando as pessoas virem as nossas boas obras, elas glorificarão o Pai. Nós podemos ter algo tão puro no nosso espírito que, em todo o trabalho, em tudo o que fizermos , Deus receberá a glória. Devido à pureza do nosso espírito, algo lindo virá à luz e o Senhor será glorificado.

 

<<<< VOLTA PARA O ÍNDICE

Palavra Viva
ReinoNet
www.ReinoNet.com.br

 

voltar para Princípios do Reino

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||