4 - As Exigências Progressivas do Discipulado

Pai, os nossos corações Te buscam. Quando começamos a andar contigo, o Senhor nos levou a nos determinarmos a dizer sim à Tua vontade. Mas nós nunca sonhamos o que Tu querias dizer com a “Tua vontade”. Nós oramos para que o Senhor nos ajude a ter esse discipulado sem reservas. Amém!

  

“Grandes multidões o acompanhavam, e ele, voltando-se, lhes disse: Se alguém vem a mim, e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não podendo acabar, todos os que a virem zombem dele, dizendo: Este homem começou a construir e não pôde acabar. Ou qual é o rei que, indo para combater outro rei, não se assenta primeiro para calcular se com dez mil homens poderá enfrentar o que vem contra ele com vinte mil? Caso contrário, estando o outro ainda longe, envia-lhe uma embaixada, pedindo condições de paz. Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo. O sal é certamente bom; caso, porém, se torne insípido, como restaurar-lhe o sabor? Nem presta para a terra, nem mesmo para o monturo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.” Lucas 14:25-35.

A tendência da mente e do coração humanos é definir os limites da persistência e das exigências do amor.  Nós amamos, mas nosso amor permitirá que avancemos somente até um certo ponto. Um casamento estará  ameaçado quando um dos parceiros estabelecer até onde ele poderá ser incomodado ou o quanto ele poderá amar. O casamento está em perigo quando o amor de um dos parceiros é ofendido além de um certo ponto e ele se recusa a amar mais.

O Senhor tem me feito compreender que devemos amá-Lo, sem estabelecermos qualquer limite ao nosso amor e ao nosso discipulado. Nós não podemos estabelecer limites. Eu duvido que a Igreja Primitiva soubesse o que eles iriam fazer ou quão longe eles teriam de ir como discípulos. Até o dia em que Pedro, Tiago e João deixaram suas redes para seguirem ao Senhor, a única ocupação deles  tinha sido o mercado de peixes. Mas Cristo os levou a algo muito maior. Pedro foi crucificado de cabeça para baixo. Tiago teria sido o primeiro discípulo martirizado e seu irmão João foi viver no esquecimento no exílio, nas minas de cobre esquecidas na Ilha de Patmos, no mar Egeu.  João foi fervido em óleo, mas agradou ao Senhor Deus que ele vivesse e trouxesse à luz a Palavra do Evangelho de João.

Às vezes, nós perguntamos o que Deus exigirá desta geração, até onde teremos que avançar. Será que algum de nós imaginava, quando nos convertemos, o conflito espiritual que nós enfrentaríamos, dia após dia, os sintomas que apareceriam como resultado do grande estresse e pressão que viria sobre nós quando Satanás tentasse esgotar os santos do Altíssimo? Algum de vocês imaginou o tipo de discipulado que seria requerido de nós nestes dias? Eu sei que não.

O que é que Deus quer de nós? O que é que Ele realmente exige de nós? Eu não posso lhes responder isto. Através de uma revelação, eu posso lhes mostrar o que o Senhor quer hoje e amanhã, mas realmente eu não posso lhes dizer o que Ele exigirá de nós no futuro, porque isto está no coração d’Ele. O que eu sei é que haverá mais exigências crescentes colocadas sobre nós. Muitas vezes eu tenho aconselhado pessoas que declararam haver chegado ao ponto de se quebrarem. Eu as acalmei, orei por elas e as abençoei. Mas eu sabia que elas não tinham ainda alcançado o seu limite.

A Palavra diz que nós não desfaleceríamos pois ainda não resistimos até o sangue. “Olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossas almas. Ora, na vossa luta contra o pecado, ainda não tendes resistido até o sangue. É para a disciplina que perseverais (Deus vos trata como a filhos); pois que filho há que o pai não corrige?” Hebreus 12:2-4, 7.

As pessoas, muitas vezes, começam a se quebrar quando  alcançam os limites que definiram em seus próprios pensamentos, estabelecendo quão longe  podiam ir. Eu trago a vocês uma Palavra do Senhor. Você não tem idéia de até onde pode avançar. Esses limites são inteiramente criados no seu próprio pensamento. Vocês poderão avançar até o fim, pois Deus disse: “Minha graça te basta.” Paulo deve ter sentido que havia alcançado o seu limite quando um mensageiro de Satanás foi enviado para esbofeteá-lo. Ele deve ter pensado que aquilo estava além do que ele podia compreender ou suportar. Três vezes ele orou, mas o Senhor disse: “Minha graça te basta”. Por isso Paulo disse: “Eu me glorio nas minhas enfermidades, pois quando estou fraco aí é que sou forte.” 2 Coríntios 12:9-10.

Nós lemos na Bíblia que quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á. - Mateus 16:25a. O Senhor está nos fazendo chegar a um lugar onde estamos perdendo nossas vidas. Nós estamos abrindo mão de muitas coisas. Eu tenho desistido de “hobbies” e atividades que eu costumava realizar. Não que eu não tenha o interesse e a criatividade requerida ou a percepção e apreciação das coisas estéticas da vida, mas porque tenho uma maior percepção das coisas que permanecerão. Eu escolhi gastar meu tempo, dinheiro e energia com elas – as coisas de Deus.

As exigências que estão sobre nós parecem não ter fim e, amanhã, as exigências do Senhor, provavelmente, serão maiores ainda do que as de hoje. Mas amanhã o dia amanhecerá com mais graça e luz sobre o nosso caminho. Virá o tempo quando você provará o que é a “boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. (Romanos 12:2). Você compreenderá que não existe fim às exigências que o Senhor coloca sobre você. Esta é a natureza progressiva do discipulado. É como criar um filho. Primeiro, são lhe ensinadas tarefas simples. Ele aprende a pegar as coisas com sua mão e a guardar os seus brinquedos. Os pais se emocionam quando o filho pode cuidar de algumas coisas em suas simples necessidades. Pouco a pouco, a criança começa a assumir uma responsabilidade maior.

À custa de alguns pratos quebrados o menino aprende a lavar e a enxugar a louça, e, à custa de algumas comidas arruinadas a menina aprende a cozinhar. A família é paciente com os esforços ambiciosos da criança e sorri quando come aqueles terríveis biscoitos queimados que ela cozinhou pela primeira vez. A família observa as meninas se prepararem para fazerem as coisas ainda mais bem feitas. Quando elas casam, assumem mais responsabilidade. Os filhos chegam e, novamente, mais responsabilidade. Esta é a maneira de viver. Quanto mais velhos nós ficamos, mais maduros e desenvolvidos, mais responsabilidade é colocada sobre nós. É bom para o homem suportar o jugo da sua mocidade. Lamentações 3:27Nada contribui mais para o crescimento de uma criança do que ensiná-la responsabilidades desde cedo na vida. As crianças podem ser disciplinadas e ensinadas em muitas áreas com artes e habilidades manuais, mas a criança que se sobressairá é aquela que aprendeu responsabilidades. Uma das marcas deste Caminhar com Deus é que nossos filhos serão como plantas viçosas na sua mocidade. Salmo 144:12. Mesmo ainda crianças, eles serão maduros. Serão capazes de carregar o fardo e fazer uma tarefa de homem.

Livre-se de suas reservas a respeito do discipulado. Se um homem salvar a sua vida ele a perderá. Se você está recuando, lembre-se da amarga lição que a Igreja Primitiva aprendeu quando Ananias e Safira caíram mortos aos pés de Pedro. A igreja era formada de discípulos que, no meio de um povo nobre, tinham todas as coisas em comum, vendendo suas posses para que todos tivessem o suficiente. Mas Ananias e Safira mentiram ao esconderem uma parte do preço pelo qual haviam vendido sua terra. O que os fez voltar atrás? Eu não sei, mas aquilo foi o começo de um espírito que provavelmente penetrou  através de toda Igreja Primitiva. Após 300 ou 400 anos o espírito sacrificial da igreja havia se perdido completamente. As pessoas se tornavam cristãs por causa daquilo que elas podiam conseguir na igreja. Como eles se distanciaram daquilo que Deus queria. O espírito de Ananias e Safira prevaleceu: “Quanto é que eu posso tirar disso? Que vantagens posso ter?” Logo um pouco de trapaça e um pouco de cobiça se tornou a maneira de viver daqueles que se chamavam cristãos.

Deus está revertendo esta tendência hoje. Nós trazemos ofertas para ajudarmos uns aos outros. Nós cuidamos para que ninguém esteja faminto, para que todos tenham um trabalho, para que todos possam ter alimentos e roupas e para que possam também trazer ofertas à casa de Deus. Não existe lugar neste Caminhar, no Reino, para ambição. Os ambiciosos e gananciosos irão definhar e morrer. Eles serão auto-derrotados porque Deus fará exigências sobre eles as quais eles não poderão responder e eles mesmos se eliminarão através das suas próprias reservas no seu discipulado ao Senhor. O Senhor diz: “Você não pode ser meu discípulo a não ser que você renuncie a si mesmo e Me siga. Você  deve Me amar acima de tudo o mais ou não pode ser Meu discípulo”.

Estamos compreendendo agora o quanto Deus deve nos amar para nos ter dado o seu Filho Unigênito. Que dom inexprimível - o Seu Filho! Como então podemos dar a Ele alguma coisa menos do que tudo o que somos? Como podemos dar algo, mas retermos a nossa individualidade, o nosso culto à personalidade, em que nós buscamos ser bons, em que buscamos um lugar de  proeminência? Estas ambições não são de Deus. Aquele que quiser ser o maior no Reino, deve ser o servo de todos. Mateus 20:27. Não para que todo o Corpo dê a ele reconhecimento dizendo: “Este homem é o maior de todos porque ele serve a todos”. Esta não é uma questão de reconhecimento ou de louvor ao homem. Devemos estar contentes em sermos apenas servos do Senhor e quando  tivermos dado tudo e feito o melhor possível, ainda seremos servos inúteis. Lucas 17:10.

Como  podemos reeducar o nosso pensamento e eliminarmos a tendência humana de definir os limites da nossa resistência? Você está querendo dar a sua vida pelo Senhor? Você deseja perder a sua vida por amor a Ele?  Isto está em seu coração? Então devemos nos estimular mutuamente, não permitindo nada dentro de nós que possa nos fazer recuar quando o Senhor nos ensinar a sermos discípulos. Eu tenho buscado a face do Senhor, pedindo a Ele para remover qualquer limitação em meu pensamento, para destruir em mim toda fé nas limitações. É fácil olhar para as vitórias passadas e reconhecer o que Deus pode fazer. Mas nós ficamos perplexos com a necessidade da hora presente e com a necessidade de termos fé por aquela necessidade, porque a fé de ontem não é forte o suficiente para os problemas de hoje.

Será cada vez mais exigido de nós que amemos com um amor além do amor de ontem. Eu pergunto se você pode imaginar o quanto nós teremos que amar. A que o amor nos levará? O nosso objetivo é darmos nossas vidas pelos nossos irmãos assim como Jesus deu a Sua vida por nós.

Será que faremos isso? Eu creio que faremos. Esse remanescente que Deus está levantando caminhará diante do Senhor num puro amor, um amor que é auto-sacrificante e absoluto.

“Eu tenho medo de não poder fazer isso. Eu tenho medo de desistir”. Eu sei que isto está em seu pensamento. Eu me lembro de uma história em que dois sapos caíram em uma batedeira de manteiga. Eles começaram a nadar, mas um deles finalmente desistiu e afundou. O segundo sapo se recusou a desistir e permaneceu se movimentando. Na manhã seguinte, quando a batedeira foi aberta, lá estava o segundo sapo, em cima de um monte de manteiga. Isto ilustra o que você deve fazer. Mantenha-se em ação e Deus o ajudará. Você pode suportar. A longanimidade do Senhor em você assumirá o controle quando todas as qualidades humanas desistirem, dizendo que as exigências do Senhor são muito grandes.

“Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.”  1 Coríntios 10:13. Uma vez eu pensei: “Senhor, este versículo não é verdadeiro. Eu tenho sido tentado acima do que eu posso suportar.” Eu não podia acreditar que o que estava vindo contra mim fosse comum a um homem. Eu tive que enfrentar coisas que eu não era capaz de suportar. O Senhor falou ao meu coração: “Eu nunca disse que você seria capaz de suportar isso com a sua própria força.” Então eu percebi algo que nunca havia percebido antes. O Senhor estava me encurralando em um canto até que o problema fosse maior do que a minha capacidade de imaginá-lo. A necessidade era maior do que eu podia suportar. A situação requeria mais fé do que eu tinha. Os meus melhores esforços nunca seriam suficientes. Eu percebi que o Senhor estava constantemente me colocando em uma posição para que, em meu momento de necessidade, eu pudesse me estender até Ele e me apropriar da fé extra, do amor, da força ou da longanimidade que seriam necessárias para resolver aquele problema. Realmente, a vida que nós vivemos em Cristo impossível. Nós somos o que somos somente porque o Senhor nos alcançou.    

As exigências crescentes do discipulado são fenomenais. Existem momentos solitários em que Deus parece lhe pedir para desistir do Isaque que Ele mesmo lhe deu, e colocá-lo no altar. Eu não acho que Deus fique muito impressionado quando nós damos a Ele algum dos nossos pecados, maus hábitos ou vícios. Deus gostaria de lhe dar um ministério e vê-lo renunciar a si mesmo, ministrando de volta para Ele e para o Seu povo. Ele gostaria de lhe dar algo bom e de ter você junto d’Ele ministrando de volta para Ele. Coloque-se no altar do Senhor. Você nunca perderá por isso. Busque em primeiro lugar o Reino de Deus e a Sua justiça. Mas e as outras coisas às quais você tem dado tanta atenção? Elas lhe serão acrescentadas. Mateus 6:33. Perca a sua vida por amor de Cristo e você a encontrará. Haverá toda uma nova e linda vida, vivida quase que violentamente com a alegria extasiante do Senhor a coroando. Ela virá para as pessoas cujos corações têm sido quebrantados, aqueles que perderam tudo e estão muito solitários, mas que ainda se regozijam na presença do Senhor e na comunhão do Seu Corpo. Deus está requerendo que cheguemos ao fim da limitação humana e digamos: “Sim, Senhor. Eu O seguirei. Onde quer que me guiares,  eu O seguirei.”

O ministério que o Senhor coloca sobre nós não decrescerá. À medida que os ministérios forem edificados, o Senhor colocará mais necessidades diante de nós. Nós procuramos por um Senhor e Mestre e nós temos um. Nós temos estado lutando para sermos servos, mas um servo é aquele que cumpre toda a ordem do seu mestre. O mestre não o serve. Depois que o servo trabalhou duro no campo durante todo dia, ele lava os pés do seu mestre e cozinha seu jantar e somente depois pode comer. Lucas 17:7-10. Se você quer servir ao Senhor, Ele tem que ser absolutamente primeiro em sua vida. Você pode pensar que é dedicado, mas esteja certo de que não é dedicado o suficiente. Se quer ser um discípulo do Senhor, Ele seguramente fará mais exigências sobre você, para que você  aumente ainda mais a sua dedicação.

Um homem geralmente falha naquilo que ele acha que é o seu ponto forte. Pedro não podia crer que negaria o Senhor. Ele foi aquele que confessou Jesus como Cristo, o Filho do Deus vivo e recebeu a revelação sobre a qual a Igreja seria edificada. “Senhor Você cometeu um erro. Eu não vou renunciar ou negar Você. Não eu.” Pedro chorou amargamente por causa disto.  Caminhando para Jerusalém, Tiago e João, passaram por uma pequena cidade samaritana. Os samaritanos não os receberam. Tiago e João, com seus “doces espíritos de amor” queriam fazer descer fogo dos céus e queimar a cidade. O Senhor os repreendeu dizendo: “Vocês não sabem de que espírito são.” Lucas 9:51-55.

Não se torne super confiante pensando que você é forte. “Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia.” 1 Coríntios 10:12. Eu tenho observado os jovens. O Senhor os ajuda e eles vão bem enquanto não se tornam auto-suficientes. Depois que tropeçam, o temor de Deus volta para eles e eles caminham de novo com o Senhor. Tenha o cuidado de não colocar qualquer confiança na carne. Confie em Deus para que Ele lhe dê  Sua graça a cada passo do caminho.

Abraão caminhou com Deus e quando viu as estrelas do céu e a areia do mar, se lembrou da promessa de que sua semente seria assim, incontável. Ele foi chamado o amigo de Deus e o pai da fé. Mas certa vez, quando temeu por sua vida, Abraão negou que Sara fosse sua mulher e disse que ela era sua irmã. “O que aconteceu com a sua fé Abraão?”. Não se torne super-confiante. Caminhe humildemente diante do Senhor. Quando o homem acha que está de pé, cuide para que não caia. Se você  acha que é muito fraco, lembre-se de que além do ponto onde você acha que  pode cair e morrer, você pode  prosseguir para as maiores vitórias pela graça de Deus. Exigências cada vez mais crescentes estarão sobre nós porque esta é a maneira de Deus agir.

Você pode alcançar um lugar onde sente que é realmente espiritual e merece um tapinha nas costas pelo que já suportou. Pedro devia estar se sentindo assim quando perguntou: “Senhor, até quantas vezes meu irmão pecará contra mim, que eu lhe perdoe? Até sete vezes?” Mateus 18:21. Pedro provavelmente estava pensando: “Eu já perdoei oito vezes.” E o Senhor respondeu: “Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete.”   Os discípulos disseram: “Senhor, aumenta-nos a fé.” - Lucas 17:5. Esta é uma boa oração porque é preciso fé para se manter perdoando. Nós apropriamos da capacidade e da força d’Ele. Ele é tudo para nós, pois n’Ele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento. Colossenses 2:3.

Às vezes, quando eu tenho um momento analítico na minha mente eu jogo xadrez com Deus, tentando compreender qual será o Seu próximo passo. A única coisa que sei é: Ele está liderando e Ele é quem está escrevendo o livro, o livro do destino. Os personagens que Ele escolheu são os coxos, os mancos e os cegos. Vocês serão aqueles que conhecerão a Deus, serão fortes e farão maravilhas. Outros que são mais qualificados serão deixados para trás, mas vocês o farão. Tenha fé, confie no Senhor e siga-O incondicionalmente.

Você precisará desta mensagem naqueles dias e momentos solitários, quando você pensa que Deus tomou tudo de você, que Ele o despojou e o deixou sem nada. Aí então você descobrirá que o Senhor ainda deixou um pouco e  que  Ele lhe exigirá aquele pouco na manhã seguinte. “Senhor, eu não posso dar mais nem um passo.” Então se arraste com suas mãos e joelhos porque você deve prosseguir. Ele dará a você a força.

Este exército que o Senhor está produzindo não é um povo que vive de ilusão. Dentro de cada fibra dos seus espíritos será trabalhada a capacidade para descobrir e apropriar da graça de Deus. Foi isto que Paulo queria dizer quando falou: “Mas, pela graça de Deus, sou o que sou; e a sua graça, que me foi concedida, não se tornou vã; antes, trabalhei muito mais do que todos eles; todavia, não eu, mas a graça de Deus comigo.” 1 Coríntios 15:10.

Que confusão nós somos! Todavia, que coisa maravilhosa Deus está criando em nós! Se nós pudéssemos pelo menos entender a natureza progressiva do discipulado. Se pudéssemos compreender que hoje não podemos compreender totalmente, que não sabemos tudo o que precisamos saber, que não podemos fazer tudo o que temos de fazer, nem somos hoje o que devemos ser amanhã. Nós queremos mudar. Mas não devemos buscar uma pequena mudança ambiciosa para nós mesmos, como a saúde divina. Nós queremos a saúde divina. Ela nos foi prometida e nós a atingiremos. Eu não sei como ela virá, mas o que eu sei é que Deus permanecerá nos empurrando para um canto para fazer com que continuemos nos estendendo e apropriando de mais graça. É assim que será. Este caminhar ainda é a coisa mais maravilhosa que já aconteceu conosco. Por isso, se nós aprendermos a viver no estado de crise, nós seremos bem sucedidos.

Deus vem para as pessoas sem esperança e transforma o Vale de Acor em uma porta de esperança. Oséias 2:15. Acã foi apedrejado no Vale de Acor mas naquele vale, com seu monumento ao pecado, à fraqueza e ao fracasso, Deus abriu uma porta de esperança.

Eu não sei do que você necessita, mas estou certo de que necessita muito. Não importa o quão maravilhoso o Senhor tenha sido para você. Ele não permitirá que você alcance um lugar onde não precise de mais nada. O Senhor permanece desvendando cada vez mais coisas diante de nós para que possamos alcançar. Um ministério que esteve neste caminhar descreveu isto como o princípio do “cachorro caçando uma linguiça”: uma longa vara, amarrada às costas do cachorro com uma linguiça longe o bastante do cachorro para que a sua boca nunca alcançasse a linguiça. O cachorro prossegue tentando pegar a linguiça, embora ele nunca possa alcançá-la. Aquele ministério saiu deste caminhar porque ele disse que não queria ser como o cachorro caçando a linguiça. Ele queria saber onde ele estava.

A carne se cansa facilmente e nós dizemos: “Estou tão cansado! Estou para desistir.” Eu sei. Fique prostrado e sangre um pouco, se você quiser, mas depois se levante para lutar de novo. Você ainda não resistiu até o sangue.

Peça a Deus para perdoá-lo e tirar as fronteiras, os limites que você construiu no seu próprio pensamento, determinando o quão longe você poderia ir. Derrube as reservas que você criou. Você as criou. Quem precisa delas? São estas reservas a razão pela qual não estamos totalmente envolvidos com a obra de Deus. Debaixo de pressões nós desejamos salvar nossa pele para nos sentirmos tristes por nós mesmos ou recuarmos. Eu sei que isto é uma reação humana, mas nós não podemos fazer isso. Esta atitude é mortal. Eu creio que a auto-piedade e nossas reservas profundas são mais perigosas do que qualquer tentação que o mundo possa oferecer.

Queremos ser intensos em nossos espíritos, não porque estamos desesperados, mas porque estamos cheios de fé e estamos crendo que venceremos, que continuaremos insistindo, em nome do Senhor, para sermos o que o Senhor quer que sejamos como Seus servos.

O Senhor não os chamou para que, no dia da batalha, vocês virassem as costas ao inimigo. Ele os chamou para que prevalecessem. Ele os chamou para serem vencedores. O Senhor permitirá que muitas coisas venham sobre vocês, mas a Sua graça será suficiente para que vençam todas essas coisas. Vocês se levantarão no Espírito do Senhor. Vocês, que estão sentados sobre cinzas, levantem-se. Levantem-se e assentem-se com Ele no trono. Ó, filha de Sião, entre naquilo que o Senhor lhe preparou. Não se desfaleça.

Que o Senhor repreenda no espírito vocês que não têm amado o dia da batalha e têm retrocedido. Que o Senhor traga arrependimento ao profundo dos seus corações. Que Ele não olhe para vocês e diga: “Vocês colocaram a mão no arado, mas olharam para trás e por isso não são dignos do Reino.” Que o Senhor não os olhe e os vomite dizendo: “Não são frios, nem quentes, mas mornos.” Que o Senhor abençoe os seus corações e os encoraje, pois este é um dia sem igual. Vocês foram chamados para prevalecerem, no nome do Senhor.

"Pérolas Diárias" é uma publicação do Portal www.reinonet.com.br.

São mensagens enviadas a pessoas e igrejas que se cadastram na ReinoNet.

voltar para Pérolas Diárias

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||