04. O Que é Um Pai? - Parte I

TEXTOS BÍBLICOS: MC. 3: 33-35; LC. 1:31-38; I SM. 1:9-28.

O que é um pai? Um pai é aquele que não somente põe no mundo uma prole para que tome as suas características e hereditariedade; ele também se torna pai e criador de muitas coisas que o filho vai ser. Ele abre a porta da vida para aquela criança mas nunca para de abrir a porta para ela progredir e tornar-se algo maior do que o potencial humanos poderiam algum dia predizer.

Pai não é aquele que somente reproduz uma criança, seja menino ou menina. Ao contrário, um pai é aquele que traz ao mundo um ente, o qual ele logo reconhece e avalia, esperando em Deus. Além de ser pai, o pai pode também ser um profeta. A mãe pode ser uma profetiza, e assim pode prever os potenciais e a disciplina que levarão o filho a uma posição onde ele possa obter esses potenciais formidáveis que a mãe ou o pai vêem.

O pai, é mais do que um ser humano. O pai é uma sombra de Deus na terra, pois ele parece assumir certas qualidades e características de Deus. Um pai trabalha, sabendo que pode não haver agradecimentos - só flagelo, somente um indivíduo em crescimento que quer destruir qualquer restrição, seja ela real ou imaginária.

Pai, é aquele que olha seus próprios princípios e origens e diz: "Minha vida começou como um pequeno arroio, mas pode expandir-se - não somente em mim mas também na vida daqueles os quais eu pus no mundo". Possa eu ser fiel em produzir o desejo de Deus em meu filho, e não apenas o meu próprio desejo. Possa essa criança não ser uma extensão do meu ego, mas possa eu, de qualquer forma, pela graça de Deus, criar um filho que seja mais à imagem do Pai Celestial do que à minha própria imagem. O pai ergue os olhos a Deus - com as mãos que se levantam pela fé, estendidas para Deus com a oração da importunação, com o clamor desesperado de alguém que tem a revelação de uma obra maior do que ele tem capacidade para executar. Deus, em Sua graça, toma a mão do pai e diz: "Creia em Mim. E embora você possa sentir-se incompetente, Eu o farei competente. Se você puser a sua mão na Minha, então a mão que estender para o seu filho terá a Minha força, a Minha bênção sobre ela".

O pai olha para cima e nunca deixa de chorar um choro angustiado como Hagar no deserto, quando era incapaz de suportar o choro de morte de seu filho que estava perecendo. Mas o Pai Celestial olhou para ela e fez uma provisão para Ismael, aquele que nascera fora da vontade de Deus; assim mesmo, Deus o abençoou (Gênesis 21:13-21). Quantos pais olham para o alto e choram: "Ó Deus, meu filho perece no deserto!", somente para descobrir que Deus diz: "Se ele merece ou não, se há um plano grande e momentoso no universo para ele ou não, contudo Eu farei um caminho no deserto para ele e estabelecerei essa criança por causa da tua fé".

Uma mãe, como a mulher siro-fenícia, desesperada e sem dignidade, continua a implorar pelas migalhas que caem da mesa e pertencem aos cães (Marcos 7:26-30).

A mãe lamenta-se ao pé de uma cruz, quando vê seu Filho como um homem de Deus, enviado de Deus. Ela se lamenta por ele, mas transcende naquele mais alto domínio de não ser apenas uma mãe humana natural.

E a voz ainda ressoa dos dias passados: "Quem é Minha mãe, Meu irmão e Minha irmã se não aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a cumprem?" (Marcos 3:33-35). Uma mãe é como aquela jovem de antigamente, uma virgem, que disse em resposta ao chamado de Deus: "Seja feito a mim de acordo com a

Tua Palavra" (Lucas 1:31-38). E a promessa àquela mãe era: "Aquele que nascerá de ti será chamado Emanuel, Deus conosco" (Mateus 1:22-23).

A mãe pode criar o ambiente no qual a criança possa dizer: "A presença de Deus está aqui, e o Senhor tocou em mim".

Mãe é aquela que vem como Ana outrora veio, e diz: "Por esta criança eu chorei ao Senhor e intercedi como uma embriagada. Agora eu a concebo ao Senhor enquanto eu viver; enquanto ela viver, pertence a Deus” ( I Samuel 1:9-28). O pai faz uma entrega a Deus do filho que gerou, e diz: "Com essa criança eu não cumprirei os meus sonhos egoístas, mas por essa criança o Senhor será glorificado".

O ato de gerar não é maior que o ato de entregar a Deus o que você gerou. O ato de dedicar uma criancinha é maior do que o de concebê-la.

Uma criança pode nascer do amor ou do ódio, ou ela pode ser uma conseqüência involuntária do relacionamento de seus pais. Mas Deus olha para aquela criança formando-se no útero; e freqüentemente, quando vem o tempo, Deus trabalha nos corações dos pais, de ambos, do pai e da mãe, um crescente reconhecimento de que eles são os geradores e mordomos de uma nova vida.

Um pai pode trazer uma criança ao mundo; um pai espiritual pode trazer filhos a Timóteos fortes (I Coríntios 4:14-17); mas sempre há o senso profundo de que ele é um mordomo a quem se confiou uma vida sobre a qual Deus não colocou limites de potencial.

Uma criança pode ser milagre. A criança é a visível e tangível evidência de uma promessa de Deus, que não tem limitação. A garantia e a proteção de Deus a rodeiam. A criança tem um anjo que olha por ela e que também tem livre acesso ao Pai Celestial (Mateus 18:10). Em algum lugar, um dia, possa o Senhor nos levar ao nível da vida familiar, onde cada um dos pais olhará para o alto e sentirá os acenos do anjo que diz: "Olhem mais para o alto; o Pai Celeste vê essa criança. Os seus potenciais, o seu futuro, podem ser determinados pela fé que vocês têm” (Mateus 9:29).

O que é um pai? Pode ser nada - ou pode ser toda a garantia da vontade de Deus na vida de seu filho. Um pai não é aquele que apenas provê alimento, teto, roupas e umas poucas oportunidades e a participação de sua escassa sabedoria, que ele alcançou durante a vida. Um pai deve ser alguém que tem visão para olhar nos olhos de uma vida imatura e ainda incompleta, e vê-la com fé em seu potencial. Ele deve ser aquele que olha para o alto e vê o coração do Pai Celestial e o sentido de Sua promessa que diz ao coração de cada pai, embora Ele a tenha expresso em milhares de promessas em Seu Santo Livro: "Esta criança será tão grande quanto vocês e Eu pudermos fazê-la. Seja co-criador Comigo. O pai e a mãe, juntem-se a Mim. Vamos criar uma coisa nova na terra - gigantes que caminharão na terra e tomarão o Reino".

Veja outros artigos publicados na ReinoNet:

A Necessidade de Um Pai:
http://www.reinonet.com.br/vendo.asp?ID=146

Em Busca de Um Pai:
http://www.reinonet.com.br/vendo.asp?ID=253

O Encontro das Gerações no Reino:
http://www.reinonet.com.br/vendo.asp?ID=140

Palavra da Vida
Reino Net

voltar para Para Pais e Mães

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||