03. Em Busca de Um Pai

Textos Bíblicos:

Malaquias 4:5, 6; Ef 2:19; Is 619; 1Timóteo 1:2, 18; Tito 1:4; Deuteronômio 6:4-9; I Coríntios 4:15.

SUMÁRIO: O Reino de Deus é, em sua essência básica, a família do Pai; o Reino prospera, ao reconhecermos que as unidades que o compõem são as famílias espirituais. Como é importante enxergarmos a necessidade de um pai espiritual, ou de um pastor! Eles propiciam libertação e realização à família inteira e solidificam a unidade da mesma. Em um ensinamento simples, em forma de diálogo, esta mensagem começa com uma conversa entre um pastor e os filhos em um apartamento e continua com um diálogo, numa praia, entre “A Família”.

OS FILHOS CRIAM O PAI QUE NECESSITAM

Parece que o acaso do nascimento é um dos laços que o homem pode facilmente “driblar” e negligenciar a ponto de nunca se tornar um pai. A princípio trata-se do ego; o pai, porém, cresce junto com o filho e, com o tempo, não se faz mais distinção entre os dois, pois os filhos nascem e começam a criar o pai que necessitam. O pai, se for humilde, assumirá, por sua vez, uma posição de amadurecimento e transformação. Antes, ele podia ser tudo, menos um pai. Agora ele é pai.

Dizem que os filhos o mantêm jovem, mas na verdade, o que se tentou expressar com essa frase foi que, se você for um verdadeiro pai, no plano natural, os seus filhos o manterão flexível. Eles irão olhar para você e dizer: - O meu pai já tem sessenta anos, mas ele pensa “jovem” - porque, de alguma forma, as “vibrações” se misturam. Eles se tornam algo especial, um para o outro.

HÁ ESTA BUSCA DE UM PAI

Há esta busca de um pai. As mães têm que ser mães, por causa do instinto, já que são mulheres e dão à luz filhos. É por isso que a lei geralmente considera os filhos dependentes. Eles ficam sob a custódia da mãe, e esta precisa tomar toda sorte de medidas jurídicas para reforçar o sustento financeiro que o pai deve prover, quando a família se separa. Elas tentam fazer isso, mas os homens tentam escapar. O homem troca de estado civil e logo chega uma mulher, cheia de instinto maternal, que se casa com ele e diz: “Coitadinho, como abusaram de você” - sem saber que ele foi inflexível, jamais conseguiu amadurecer e se transformar em alguém muito especial.

DOR DE PARTO PARA UM SE TORNAR
ALGO ESPECIAL PARA O OUTRO

Ser pai é uma bênção tremenda! É algo a que você se dedica. Enfim, é maravilhoso! É como se fosse um outro mundo. Acho que os maiores criminosos do mundo não são estes marginais que fazem tudo o que fazem, e sim a mulher que não deixa o pai ser pai. Há uma dor de parto para um se tornar algo especial para o outro. A mulher deve entender que o filho precisa da mãe até um certo estágio do seu amadurecimento, em seguida, ela deve entregá-lo nas mãos do pai.

HÁ VÁRIOS CORDÕES QUE PRECISAM SER
CONSECUTIVAMENTE CORTADOS

O cordão umbilical é cortado na hora do nascimento, mas acho que ainda há vários cordões que precisam ser consecutivamente cortados. A mãe precisa entender que, a uma certa altura, o apoio que concede à criança, muda. Ela carrega dentro de si e dá à luz ao filho, mas precisa mudar o relacionamento com ele. E se, a cada estágio, não estiver disposta a cortar os cordões, ela vai sufocar, em vez de alimentar, a vida que gerou. Em um determinado ponto, e quanto mais rápido melhor ela enxerga a necessidade de um pai.

CHEGAMOS A PONTO DE PODERMOS
ESCOLHER OS NOSSOS PAIS

Temos muitos filhos no Reino cujos pais se tornaram pais por acaso. Mas Deus está fazendo com que cheguemos a ponto de podermos, pela Sua graça, escolher os nossos pais. Assim sendo, buscamos um pai. A origem da nossa vida pode ser produto de um pai; mas ao prosseguirmos, às vezes, precisamos de algo que esse se recusa a ser para nós. Mesmo sendo responsável pelo nascimento do filho, o pai talvez não tenha flexibilidade suficiente ou não mude o suficiente para ser o que esse filho, por sua vez, vai precisar, ao se tornar um pai.

SOMOS ESTABELECIDOS NO REINO QUANDO
ENCONTRAMOS UM PAI

É isso que me preocupa: temos todas estas pessoas que, na realidade, estão procurando um pai. Elas não conseguem aceitar a si mesmas, não conseguem aceitar o seu lugar, nem o potencial que têm. Elas sentirão dificuldades de saber quem são enquanto não encontrarem um pai. Quando o encontrarem, isso lhes dará mais confiança para avançar do que qualquer outra coisa no mundo inteiro. Acho que estamos enxergando algo que nunca vimos antes: apesar do pai iniciar a nossa existência, buscamos um pai que nos estabeleça no Reino. Somos estabelecidos no Reino quando encontramos um Pai. Tudo se resume na família, não é? Eu disse: “Abandone a idéia de falar sobre o Reino; comece a falar em termos de ''família''"; Ef 2:19; Is 619. Estou começando a gostar bastante do que significa ser pai.

A PESSOA TEM O DIREITO DE SE REALIZAR NESSA
PROCURA DE UM RELACIONAMENTO

Às vezes, no mundo, os pais seqüestram e desprogramam os filhos, mas quantas vezes esses pais só estão se autopromovendo? Eles nunca reconhecem que não são o que os filhos precisam; os filhos achegam-se a alguém que começa a ajudá-los e a ser um pai para eles, e os pais naturais rejeitam essa idéia. Um acidente no ato sexual não é suficiente para tornar válida a responsabilidade pelo relacionamento. Sei que o mundo inteiro é orientado a pensar em termos desta possessividade que existe.

Imagine-se numa situação em que você é seqüestrado por uma pessoa que diz: “Isolaram você de mim, que sou o seu verdadeiro pai (ou sua verdadeira mãe) segundo a carne. Tenho todo direito; estou zelando pelos seus interesses”.  Desde quando? A uma certa idade, a pessoa tem o direito de se realizar nessa busca de um relacionamento. Quando a pessoa é privada deste relacionamento por muito tempo, é bastante difícil aceitá-lo, ou crer na possibilidade da sua existência.

É ASSIM QUE TUDO VAI MUDAR

Neste nível baixo e natural, o relacionamento é na alma; os pais vivem numa de auto-satisfação. Querem que os filhos sejam iguais a eles, gostem do que gostam, tenham os mesmos interesses que eles têm e assim por diante, mas, na verdade, não dão a menor bola para os filhos. Isso não é ser pai.

COMENTÁRIO: Muitas pessoas talvez ainda possuam esse instinto paternal, mas até agora não houve ninguém que chegasse a transformar esta era, convertendo os corações dos pais aos filhos e dos filhos aos pais, Malaquias 4:6, no sentido genuíno, em que o pai tem um ministério verdadeiro e honesto. Acho que você está dizendo: “É assim que a coisa vai mudar”.

PRECISAMOS SER UM COM TODOS

Atravessamos diversas fases: a das posições, em que o pastor ou presbítero assumia uma posição, foi uma delas, mas nenhuma foi eficaz. O fato de haver uma Palavra que conduziu, progressivamente, o povo a Deus foi o que manteve a coisa unida. Mesmo assim, o ingrediente principal estava faltando. Não havia pastoreio nem a ação de um pai. Considero isso importante. Agora está mudando. A ênfase está na família e no pastoreio. É tudo. Assim que aceita isso, você pensa: “Talvez tenhamos nascido com nova vida no Reino, mas só agora vemos as nossas carências como nunca antes. Precisamos ser um com todos”.

A FAMÍLIA COMEÇA COM A AUTORIDADE E O AMOR DO PAI

COMENTÁRIO: Você falou da Família e todos querem fazer parte dela; mas, quando examinamos as raízes do funcionamento da mesma, percebemos que não podemos ser uma família a não ser que criemos algo profundo: acesso uns aos outros. Não podemos ter uma família a não ser que comecemos com autoridade, amor, exemplo, iniciativa, e com a capacidade de tocar que só o pai tem, que, aliás, é a essência do pastor, quando ele aprender a ser pai.

O REINO NÃO É TANTO EXPERIÊNCIAS
QUANTO RELACIONAMENTOS

COMENTÁRIO: O Reino de Deus é relacionamentos e disso já sabemos: mas não imaginávamos com que profundidade o Senhor ia exigir isso de nós nem como seria maravilhoso quando enxergássemos o que significa. Tenho certeza de que veremos este princípio em toda a Bíblia sob uma nova luz, desde que entendamos a que ele se refere na realidade.

COMENTÁRIO: Precisamos nos assegurar de que todos recebam isso. Há um nível de experiências: as pessoas precisam ser salvas e nascer de novo; precisam ser batizadas no Espírito Santo e falar em línguas; precisam conhecer a respeito dos dons e tudo mais. Experiência é uma coisa, mas quando você penetra no Reino não é tanto uma questão de experiências pessoais quanto o fato de uns se tornarem algo especial para os outros no relacionamento. É assim que vocês se transformam no Reino; não é algo pessoal, totalmente à parte ou excluído. Vocês são um com todos. Acho que a maioria das pessoas não sabe o suficiente sobre isto nem sequer têm consciência de que precisa de uma família,a família bendita.

VOCÊ NEM SABIA O QUE ESTAVA PERDENDO POR
NÃO TER CONSCIÊNCIA DE QUE PUDESSE EXISTIR

COMENTÁRIO: Acho que a família é um elemento ausente já há muitas décadas e gerações e que vem desaparecendo tanto, você nem sabia o que estava perdendo por não ter nem consciência de que pudesse existir!

NÃO EXISTE PANELINHA QUE POSSA LIMITAR
A EXPANSÃO DA FAMÍLIA

Na verdade, penetramos em algo que considero fantástico. Tornamo-nos uma família, mas também sabemos que não há nenhuma panelinha ou laço de sangue que possa limitar a expansão da família. Em outras palavras, todo este princípio da família é incrível; eu me sentia impelido a ter o que Deus me prometeu: “Vou lhe dar uma nova família”. E deu mesmo. A promessa veio em meio a um caos horroroso: “Vou lhe dar uma nova família”. Portanto, não imponha limites. Eu estou começando a entender uma coisa: o que vale não é o relacionamento de carne e sangue, e sim o grandioso relacionamento do Espírito.

DEUS ELIMINA A NOSSA INSEGURANÇA E ISOLAMENTO

Acabe com a velha idéia de parcialidade porque é uma mentalidade muito carnal. A família é uma coisa fantástica! A terceira geração conseguiu fazer com que a primeira e a segunda reconhecessem: “Somos todos parte da mesma família”. Lindo, não é? Mas quando começa a acontecer - embora você tenha aprendido na doutrina, no ensino, na revelação - torna-se o modo principal de Deus eliminar a nossa insegurança e isolamento em relação aos outros.

COMENTÁRIO: Acho que foi isso que o Senhor preparou desde o princípio e que nós perdemos, mas agora está sendo restaurado.

UM RELACIONAMENTO CRIADO PELA PALAVRA

Não é necessária nenhuma dedicação para se nascer e ser filho de alguém. Há muitos filhos que dariam tudo para ter um pai diferente do que têm - que pelo ato da procriação os trouxe ao mundo. Em geral dizem: “Meu pai nunca foi nada para mim. Gostaria de ter tido um pai de verdade”. Mas tratando-se deste nível do Reino, é quase como se o filho precisasse gerar em si a capacidade de ser cheio de fé. É um relacionamento criado pela Palavra, pelo Espírito Santo; 1Timóteo 1:2, 18; Tito 1:4. Há um elemento tão soberano que quase transcende o nosso entendimento! No entanto, também existe a vontade superior à dedicação, à fome, à sobrevivência, ou à ambição; é simplesmente, uma fé no coração do pai e no do filho que, por fim, aceita a realidade do relacionamento. “É isso aí. Existe mesmo. É o relacionamento”. Depois, mesmo que nunca mais se vejam para o resto da vida, o relacionamento continuará ministrando.

O PAI PRODUZ CRIATIVIDADE NOS FILHOS

A procriação gera vida, mas o pai espiritual fortalece para sempre o potencial criativo na vida de uma pessoa. Há tantas pessoas bloqueadas; não chegam a parte alguma porque estão apenas andando em círculos! Mas, no momento em que obtêm um pai espiritual e sabem que ele as ama, surge fé pelo relacionamento e todos começam a criar: o pai produz criatividade nos filhos; os filhos, por sua vez, tornam-se criadores de uma nova era.

O POTENCIAL E A CRIATIVIDADE SÃO LIBERADOS
PELO RELACIONAMENTO

Uma das coisas que considero mais importante é você ter irmãos que o ajudem; e, em geral, são mais ou menos da sua idade. Os mais velhos são muito duros com os mais novos, mas sempre há aqueles na mesma faixa de idade e no mesmo nível. Como irmãos, eles só podem ir até um certo ponto; mas como filhos, não só precisamos do Pai Celestial como também do relacionamento de pais e filhos dentro da família. Você pode ter milhares de irmãos e fazer o maior esforço para se relacionar com eles, mas não tem muitos pais que lhe abram a porta para a criatividade e liberdade - I Coríntios 4:15. O potencial e a criatividade são liberados pelo relacionamento. Nunca vi isso antes: aqueles que têm um relacionamento correto comigo, me lançam no fluir da Palavra mais criativo que já tive.

A ESTRUTURA DE UM RELACIONAMENTO
É MUITO NECESSÁRIA

A esposa e companheira nunca vai ser tudo para o marido e nem ele vai ser tudo para ela, porque a estrutura de relacionamentos é muito necessária. Os pais amadurecem não só pelo que significam para os outros como também pelo que significam para os filhos. Em meio a tudo isso, a luta pela expressão da individualidade exige que os filhos se separem dos pais e assim por diante, processo este que a maioria de vocês experimentou bem antes de se casar. Mas ao analisarem o padrão dos seus relacionamentos, a necessidade de um pai continua existindo.

O RELACIONAMENTO POR SI SÓ É UM MEIO DE MINISTRAR

Acho que, às vezes, o conselho de um pai espiritual é um dos elementos mais estabilizadores para o casamento ou relacionamento porque, mesmo que não resolva nenhum problema, solidifica o relacionamento e a unidade. Assim, você começa a perceber que o relacionamento, por si só, é um meio de ministrar; Deuteronômio 6:4-9. Não tem um fim em si mesmo, mas sem dúvida é muito mais um meio para se chegar a um fim do que qualquer outra coisa que possamos imaginar.

PAULO ERA UM PAI QUE NÃO SENTIA O MENOR

CONSTRANGIMENTO DE PEDIR FAVORES AOS FILHOS

A carta a Timóteo é chamada epístola pastoral, porque ensina a pastorear e apascentar; além disso, cria algo em sua mente: Paulo sempre se refere a Timóteo como seu filho. Aquele relacionamento de pai e filho teve êxito. Ele podia dizer: “Não negligencie o dom que Deus lhe deu; faça isto e aquilo”. Ele zelava por Timóteo. Não eram apenas conselhos fabricados; era um pastoreio. Também é interessante notar que Paulo pediu certas coisas a Timóteo que não pediu a mais ninguém. “Apressa-te a vir a mim”, disse ele. Paulo era um pai que não sentia o menor constrangimento de pedir favores aos filhos.

TER ALGUÉM RESPONSÁVEL POR VOCÊ É
A BASE DA SUA SEGURANÇA

Paulo disse: “Ainda não tivésseis milhares de tutores em Cristo, contudo não tendes muitos pais” - I Coríntios 4:15. Todos buscam esse pai. Você se sente constrangido de tomar iniciativa, de assumir autoridade e de dar um passo quando não existe alguém, com autoridade, responsável por você. Sinto que você pode ser muito ousado, não porque ache que eu vá aprovar e liberar automaticamente tudo o que você fizer (pois sabe que examino tudo com muito cuidado); mas o fato de observá-lo muito atentamente é a base da sua segurança.

COM A NOSSA LIBERDADE SURGE UMA RESTRIÇÃO:
AMOR E BONDADE

Você diz: “Posso ter iniciativa de fé; há alguém responsável por mim”. Faz sentido, não faz? Depois, você pode avançar e se soltar na criatividade do Senhor porque sabe: “Se eu começar a extrapolar um pouquinho, alguém vai me dar uma palavra, me aconselhar e corrigir” - e você será livre. Agora na família você aprenderá as coisas que precisam ser aprendidas. Tenha muita consideração e bondade. Lembre-se sempre do próximo. Com a sua liberdade surge uma restrição apenas: amor e bondade - as suas restrições não se originam do medo. Ninguém vai reprimi-lo nem rebaixá-lo. Só irão dizer: “Avance”.

TENHA FÉ NO RELACIONAMENTO

Estamos numa grande batalha e vamos vencê-la. Já estamos vencendo. Estamos vencendo pelos nossos relacionamentos. Não me importa o volume das vozes na intercessão; o que está fazendo tudo funcionar é o fato de nos relacionarmos em unidade. Entretanto, a maior coisa que você precisa perder, é esse sentimento de insegurança. Confie na unidade e no relacionamento que tem.

Depois de um certo tempo você se dá conta: “É mesmo, nós somos um”. Acorda-se para esta realidade; passa-se a ter uma verdadeira fé na mesma. Passa-se a crer na unidade. Isso é bom e ainda vai ficar melhor. Vai ser tudo o que desejarmos, tudo em que crermos juntos porque perdemos a insegurança. Gostaria de saber quanto tempo se perde em discussões, confusões e tentativas de se tapar abismos que não precisam existir entre as pessoas, só porque você não tem fé no relacionamento? Este negócio de pais e filhos, família e todo o Reino de Deus, baseia-se nesta fé no relacionamento.

Palavra da Vida
Reino Net

voltar para Para Pais e Mães

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||