07. A Intercessão No Reino

Esta mensagem será uma revelação ao seu coração de como será a intercessão nos dias do Reino, e porque é necessário que a restauração no fim dos tempos seja dirigida intensamente para o ministério de oração e intercessão. Ninguém pode ter um ministério eficaz sem ser também um intercessor. Como apóstolo, Paulo orava dia e noite por aqueles a quem ministrava.

Ainda não entendemos o princípio da intercessão no nível do espírito, nem como funciona. Tudo o que sabemos é que toca em alguma lei superior, e libera algo da onipotência e onisciência de Deus que superexcede todos os outros princípios que operam em qualquer outro nível, seja do espírito, da ciência ou do próprio universo. A oração e a intercessão revertem qualquer outra lei que conhecemos. Todos sabemos que um líquido flui, mas, pelo poder de Deus liberado através da intercessão de Moisés, as águas do mar se amontoaram e permaneceram paradas, sem sequer se infiltrarem no chão, pois os israelitas pisaram em terra seca, quando atravessaram o Mar Vermelho. Nunca vimos água amontoar-se, mas com as águas do Rio Jordão aconteceu a mesma coisa. Você pode imaginar isto? Parece impossível.

O princípio da oração e intercessão é o mais fantástico. Quando chegarmos à restauração do poder da oração, então veremos os poderosos sinais e maravilhas. “O povo que conhece ao seu Deus será forte e fará maravilhas” (Daniel 11:32). Então vamos entender porque Jesus falou: “Obras maiores fareis, porque eu vou para o pai” (João 14:12). Como podemos entender o princípio da intercessão sem antes entender que Pai, Filho e Espírito (o Deus triuno), unidos, estão ocupados na intercessão.

Romanos 8:18 declara que toda a criação está sujeita a vaidade, esperando os filhos de Deus entrarem em sua herança, para que toda a criação seja libertada. E depois lemos nos versículos 26 e 27: “Do mesmo modo (falando de nosso esperar, gemendo e clamando por nossa libertação), o Espírito nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que Ele intercede pelos santos”.

Romanos 8:31-34 nos diz: “Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós”. O Espírito Santo, clamando segundo a vontade de Deus, faz intercessão por nós, porque Ele está ansioso em conhecer as profundezas do coração de Deus. Segundo Hebreus 7:25, Cristo está intercedendo à destra do Pai: “Por isso, também pode salvar totalmente os que por Ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles”. A intercessão constante de Cristo, tanto quanto o sofrimento e morte na cruz, seriam sem efeito nenhum, e nem uma alma do mundo poderia ser salva, se não fosse pela verdade viva de alguém orando. Não creio que alguém chegue a Cristo, sem que alguém tenha intercedido ou esteja orando por ele. Isto é um princípio. Se você não ora, nada acontece. Quando você intercede as coisas acontecem. De acordo com I João 2:1, Cristo está sempre orando ao Pai: “Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado (procurador literalmente, significando alguém que se coloca ao lado) junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo”. Nós podemos ser perdoados porque um advogado especial está intercedendo por nós diante do grande Juiz, estendendo as mãos com as cicatrizes dos cravos e dizendo: “Pai, este, precisa de misericórdia”. A intercessão d’Ele a nosso favor é real e válida, e coloca em ação a obra completa de Jesus Cristo a nosso favor. Então, não é importante que você ore também? Não é importante que você aprenda a interceder ante a face do Senhor? Se Jesus Cristo acha que é importante, se o Espírito Santo o faz continuamente, se toda ordem do céu e da terra é assim ordenada, então, temos mais é que aprender o significado da oração e da intercessão. Há uma razão pela qual a oração é tão importante.

Quando Jesus ascendeu de volta ao Pai, Ele disse: “Eu orarei ao Pai e Ele vos mandará o Espírito Santo”. Isto não acontece automaticamente. Lucas 6:12,13 revela o mesmo pensamento: “Naqueles dias, retirou-se para o monte, a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. E, quando amanheceu, chamou os seus discípulos e escolheu doze entre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos”. Será que o Filho de Deus não conhecia outra maneira de conduzir o discipulado sem passar toda noite em oração e intercessão? Será que não podemos aprender a interceder da mesma maneira? Esta grande restauração não vai acontecer automaticamente, mas somente através do princípio da intercessão e oração, pois o Senhor diz: “Pede ao Senhor chuva no tempo da chuva serôdia”. Não existe outro jeito, pois foi isto que Deus ordenou.

Isaías 56:7 nos diz: “A minha casa será chamada Casa de Oração para todos os povos”. Não estamos promovendo a oração zelosa no nível da alma e da carne, mas entrando numa agonia de espírito diretamente relacionada com a intercessão do Espírito Santo e do próprio Senhor Jesus Cristo. Que haja um eco no seu coração: “Eu preciso ser um homem de oração. Eu preciso voltar a ser alguém dado a intercessão”. Em tudo devemos buscar a face do Senhor.

Você está dizendo: “Que posso fazer? Nem sei como orar”. Você pode cooperar com a intercessão do Espírito Santo. Eu recomendo fortemente que todo cristão cheio do Espírito, quando não souber mais o que fazer, se exercite continuamente no fluir de línguas, em louvor e oração. Afinal de contas, o Espírito Santo está articulando as palavras na sua boca, além de sua compreensão, mas você está dando graças e orando certo, de acordo com a vontade de Deus. A igreja, certamente, tem que ser dada à intercessão.

Um novo dia de intercessão está nascendo. Não o despreze. Quando você observar algumas pessoas clamando a Deus e gritando até literalmente ficarem roucas, não despreze o seu fervor por um minuto sequer, só porque você não o entende. Ore, peça a Deus para lhe mostrar o fluir livre e espontâneo da oração fervorosa e maravilhosa. As pessoas estão começando a sentir e entregar-se a algo pela primeira vez nas suas vidas. Não vai haver morte nesta restauração. Ela vai ser viva, pois um fervor vivo e genuíno em nossos espíritos exige que sejamos um povo de oração.

Podemos perguntar como era a oração - ou o seu equivalente - no Jardim do Éden, antes da queda do homem, e como deve ser a oração na época do Reino. Podemos especular sobre o assunto, mas também podemos ir além de meras especulações e examinar a Palavra para descobrir. Podemos ler no livro de Gênesis, quando os homens começaram a edificar altares e invocar o nome do Senhor. Através dos anos, a oração se transformou numa forma degenerada. Mas eu acho que temos uma indicação do que deve ter sido a oração no princípio.

Há uma ênfase atual sobre o poder do pensamento positivo, mostrando que, com a mente determinada, você pode conseguir alguma coisa de uma maneira impressionante. Este poder do pensamento positivo é o exercício do vestígio de uma força que residia no espírito do homem antes da queda, quando ele dominava sobre as obras das mãos de Deus e achava fácil ver acontecer o que queria. Não prego o poder do pensamento positivo como é ensinado geralmente nos livros, porque considero esse ensino como uma manifestação Ismael e incompleta. Entretanto, eu creio que o poder da oração positiva e com fé vai ser restaurado em sua forma pura, do qual o poder do pensamento positivo é só uma pálida sombra.

Três passagens em Isaías revelam verdades sobre o dia da intercessão no Reino. Isaías 62:1-7 é mais ou menos um quadro do que a intercessão deve ser agora: “Por amor de Sião, me não calarei e, por amor de Jerusalém, não me aquietarei, até que saia a sua justiça como um resplendor, e a sua salvação, como uma tocha acesa. As nações verão a tua justiça, e todos os reis, a tua glória; e serás chamada por um nome novo, que a boca do SENHOR designará. Serás uma coroa de glória na mão do SENHOR, um diadema real na mão do teu Deus. Nunca mais te chamarão Desamparada, nem a tua terra se denominará jamais Desolada; mas chamar-te-ão Minha –Delícia (Hefzibá); e à tua terra Desposada (Beulá); porque o SENHOR se delicia em ti; e a tua terra se desposará. Porque, como o jovem desposa a donzela, assim teus filhos te desposarão ti; como o noivo se alegra da noiva, assim de ti se alegrará o teu Deus. Sobre os teus muros, ó Jerusalém, pus guardas, que todo o dia e toda a noite jamais se calarão; vós, os que fareis lembrado o SENHOR, não descanseis, nem deis a Ele descanso até que restabeleça Jerusalém e a ponha por objeto de louvor na terra”. Um intercessor tem uma responsabilidade maravilhosa como "lembrado" de Deus. Ele diz: “Senhor, eu lembro as coisas que Tu disseste para mim, por meio de Teus servos. Eu as tenho anotado por escrito. Eu Te agradeço por estas promessas preciosas, Senhor, e estou Te lembrando que já é hora de as cumprir”. Não dê a Deus descanso. Chegue ao Senhor e diga: “Que é daquela promessa? Estou esperando!” Seja um “lembrador”. Venha e se regozije continuamente diante do Senhor, lembrando-Lhe aquilo que Ele disse. Intercessão não é mendigar, é uma maneira fantástica de “torcer o braço” de Deus. Ele mesmo assim ordenou.

Isaías 65:17-22 revela como vai ser a intercessão do Reino. “Pois eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, jamais haverá memória delas. Mas vós folgareis e exultareis perpetuamente no que eu crio; porque eis que crio  para Jerusalém alegria e para o seu povo, regozijo. E exultarei por causa de Jerusalém e me alegrarei no meu povo, e nunca mais se ouvirá nela nem voz de choro nem voz de clamor. Não haverá mais  nela criança para viver poucos dias, nem velho que não cumpra os seus; porque morrer aos cem anos é morrer ainda jovem, e quem pecar só aos cem anos será amaldiçoado. Eles edificarão casas e nelas habitarão; plantarão vinhas e comerão o seu fruto. Não edificarão para que os outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque a longevidade do meu povo será como a da árvore, e os meus eleitos desfrutarão de todo as obras das suas próprias mãos. Não trabalharão debalde, nem terão filhos para a calamidade, porque são a posteridade bendita do Senhor, e os seus filhos estarão com eles”. Não é maravilhoso? E agora, a respeito do que vamos orar? “E será que, antes que clamem, eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei. O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; pó será a comida da serpente. Não se fará  mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o SENHOR”.

Que quadro maravilhoso do Reino! Parte disto é simbólico, mas vai ser cumprido de uma maneira bem real. Eu gosto desta descrição de oração: Antes de clamarmos, Ele responderá, e, quando ainda estivermos falando, Ele vai ouvir. As orações serão respondidas sem os gemidos, prantos e agonia.

O profeta falou do dia em que as promessas não tardariam (Ezequiel 12:25). A gente não terá de esperar, dizendo: “Tive uma Palavra do Senhor que nunca se cumpriu; cansei de esperar”. Todavia, agora, estamos entrando na intercessão do Reino.

Talvez você se agrade da espera cansativa, mas eu nunca entendi a virtude da paciência. Entendo sim, o passar pelas provas e tribulações, mas não posso entender a atitude passiva da paciência. A paciência é apresentada como uma virtude, mas eu acho que na maioria das vezes é uma abominação. Eu estou alegre pelas novas traduções da Bíblia que nos livraram da palavra “paciência” substituindo-a por “perseverança”. Há uma grande diferença entre paciência e perseverança. Nós vamos perseverar, mas isto não significa que vamos sancionar ou aprovar o que está acontecendo. Em vez disto, começamos cada dia dizendo: “Senhor, começo este dia do protesto, porque estou firme em uma promessa que quero que seja cumprida. Estou clamando por isto com todo meu coração. Que Tu sejas glorificado agora no cumprimento dela. Agora! Agora! Agora!” Se Ele pode dizer “agora” a nós, nós também podemos dizer “agora” a Ele. Ele diz: “Hoje é o dia da Salvação. Agora é o tempo aceitável”. E nós dizemos: “Agora mesmo nós cremos nisto, Senhor; agora, hoje clamamos por uma resposta”.

Que acontecerá? “Ouvi a palavra do Senhor, vós, os que a temeis: Vossos irmãos, que vos aborrecem e que para longe vos lançam por causa do vosso amor ao meu nome e que dizem: Mostre o SENHOR a sua glória, para que vejamos a vossa alegria, esses serão confundidos.Voz de grande tumulto virá da cidade, voz do templo, voz do Senhor, que dá o pago aos seus inimigos. Antes que estivesse de parto, deu à luz; antes que lhe viessem as dores, nasceu-lhe um menino” (Isaías 66:5-7). Isto soa como um grande gemido? É verdade, quando vierem as dores de parto a Sião, ela dará à luz. Mas esta promessa da intercessão do Reino mostra que a intercessão estava na Terra, vinda do Filho. “Quem jamais ouviu tal coisa? Quem viu coisa semelhante? Pode, acaso, nascer uma terra num só dia? Ou nasce uma nação de uma só vez? Pois Sião, antes que lhe viessem as dores, deu à luz seus filhos. Acaso, farei Eu abrir a madre e não farei nascer? - diz o Senhor; acaso, eu que faço nascer fecharei a madre? - diz o teu Deus” (Isaías 66:8,9).

Ainda não sabemos o que acontecerá, quando tivermos a restauração da intercessão. Antes que venham as dores, o resultado estará ali. Você entende que esta é uma revelação a respeito da intercessão? Temos lido esta passagem muitas vezes, mas nunca tínhamos observado o elemento tempo envolvido. Não diga: Começamos a orar e em alguns anos veremos algo. Antes que estivesse de parto, deu luz à luz; antes que lhe viessem as dores, nasceu-lhe um menino. Não acharemos isto difícil. É importante que assaltemos o céu agora mesmo, com nossa oração. Estamos às vésperas de uma restauração da fé, da intercessão, da autoridade e do juízo na Terra que requer uma preparação do coração.

 

voltar para Oração e Jejum

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||