27. Dia da Expiação – Dia de Arrependimento

E-mail Imprimir PDF

Dia da Expiação – Dia de Arrependimento

(Preparando os nossos corações para a vinda do Rei)

"Ora, visto que a lei tem sombra dos bens vindouros, não a imagem real das coisas..." (Hebreus 10:1a). O livro de Hebreus também explica claramente que o sacerdócio do Antigo Testamento ministravam os sacrifícios em FIGURA e SOMBRA das coisas espirituais (Hebreus 8:5). É destas verdades e vivências espirituais que estamos buscando penetrar.

Embora observemos a Festa das Trombetas, o Dia da Expiação e a Festa dos Tabernáculos, nós não guardamos estas Festas seguindo os rituais do Antigo Testamento. Desde que começamos a celebrar estas Festas, é admirável como muitos povos, igrejas e grupos de diversos países têm se reunido para celebrá‑las também. Não que nós tenhamos dito a eles que devessem celebrar estas Festas. Ao contrário, esta tem sido uma demanda do Espírito Santo, um testemunho comum a cada vez mais pessoas de que estas três Festas bíblicas do sétimo mês têm significado espiritual para nós. Elas são acontecimentos; são experiências reais. São sinais de uma abertura dispensacional. Elas são uma porta aberta para uma nova etapa do que Deus está trazendo para nós.

Em  Levítico 23:26-32 as Escrituras nos ensinam que durante a Festa dos Tabernáculos o Dia da Expiação deveria ser celebrado - Dia da Expiação, no sétimo mês (Etanim, décimo dia do mês). As ofertas a serem feitas são relacionadas emNúmeros 29:7-11. Era uma ocasião de afligir a alma, e fazer ofertas queimadas, com abstenção do trabalho servil. Era também um descanso sabático e o ofertavam-se dois bodes: um para expiação do pecado e outro para tirar o pecado de Israel.

Nós nos aprofundamos bastante neste assunto do sacrifício no Dia da Expiação. Sabemos que havia dois sacrifícios: um pelos nossos pecados, mas também confessamos os nossos pecados sobre o outro sacrifício que era conduzido ao deserto e lançado no precipício (Levítico 16:7-10). Deus começou a exigir este sacrifício  logo de início. Disse Ele: “Adão, é isto que vai enfrentar. Eva! é isto o que vai lhe acontecer”. E também disse à serpente: “Isto é o que vai lhe acontecer” (Gênesis 3:14-19). Desde o princípio a justiça de Deus exigiu que o mundo satânico fosse julgado por ser responsável pela queda e destruição do homem. Quando os demônios viram Jesus, gritaram: “Vieste aqui atormentar-nos antes do tempo?” Eles sabiam que o seu tempo viria (Mateus 8:29). Sabiam que havia um tempo determinado na mente de Deus quando todos os demônios seriam julgados pelo que fizeram ao atormentar e criar medo, intimidando, enganando e tentando a raça humana. Isto não quer dizer que Deus vá aliviar a nossa responsabilidade. Significa apenas que Ele é muito justo e imparcial ao dizer: “Arrependa-se; Eu lhe dou a redenção, mas também trago julgamento ao mundo do espírito que o enganou”.

Dia da Expiação é um dia de grande arrependimento. Yom Kippur, o dia da expiação – o dia em que durante muitas gerações – cerca de três mil anos - o povo de Deus tem confessado seu pecados, se arrependido e buscado a face dEle. Mas acho que começamos a ser preparo para isto desde já. Deus tem sondado nossos corações e tratado conosco - o que está acontecendo segundo o Seu programa. Tenho sondado bastante o meu coração – não com auto-condenação, porque todos nós somos fracos, e quem não falhou? Quem não pecou diante de Sua face? (Romanos 3:23).

Poucos cristãos hoje apreciam plenamente o privilégio da oração. Nos tempos antigos, lemos que os homens traziam ao Tabernáculo ou ao Templo as ofertas de sacrifício pelos seus pecados, e, ali, eles precisavam de ter um homem santo, um sacerdote que levasse suas ofertas ao Senhor. Os homens não podiam chegar a Deus ousadamente, por causa do pecado em seu coração. No Templo havia um longo véu (às vezes chamado cortina), que separava o Lugar Santo do Santo dos Santos. Dentro do Santo dos Santos estava a Arca da Aliança, que representava a Presença de Deus. Ninguém tinha acesso a Deus, exceto o Sumo Sacerdote, que podia entrar no Santo dos Santos um dia por ano, para fazer expiação pelos pecados do povo de Deus. Entretanto, quando Jesus morreu, lemos que tudo isto foi mudado.

“E Jesus, chamando outra vez com grande voz, entregou o espírito. Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes, de alto a baixo: tremeu a terra, fenderam-se as rochas.” (Mateus 27:50-51).

Quando Jesus morreu na cruz, Ele morreu para nos dar uma vez mais o acesso ao trono de Deus que a humanidade perdeu pelo pecado. Que maravilhosa oportunidade do cristão! Agora, pelo nome de Jesus, nós podemos chegar a Deus, não com medo e temendo que o julgamento de Deus caia sobre nós pelas nossas iniqüidades, mas com confiança e fé, sabendo que Jesus morreu para nos dar acesso a Deus. Jesus foi um tipo daquele sacerdote, Sumo Sacerdote do Antigo Testamento, que entrava no Santo dos Santos uma vez por ano no dia da expiação.

 “Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, antes foi ele tentado em todas as cousas, à nossa semelhança, mas sem pecado. ACHEGUEMO-NOS, PORTANTO, CONFIANTEMENTE, JUNTO AO TRONO DA GRAÇA, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.” (Hebreus 4:14-16).

Quando Jesus, nosso Sumo Sacerdote, morreu na cruz, o véu no Templo foi rasgado. Deus o rasgou de cima a baixo e agora todos podemos entrar diretamente na presença de Deus, sem o véu separando o Pai: “Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo os corações purificados de má consciência, e lavado o corpo com água pura.”(Hebreus 10:19-22).

“Porque com uma única oferta aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados.” (Hebreus 10:14). Através de um único sacrifício Jesus realizou uma completa expiação de nossos pecados. Creia e declare isso. Não só a nossa salvação, mas também a nossa libertação é um processo progressivo, à medida em que nos movemos, passo a passo, em nosso crescimento espiritual. A libertação começa com uma promessa do Senhor, mas nós temos que proclamar esta promessa a cada passo do caminho. Proclame sua libertação!

Vemos, por esta passagem da Bíblia, que através de Jesus Cristo, de Sua morte na cruz, somos impelidos a chegar ousadamente ao grande Deus dos céus e da terra, para que possamos receber graça para nos ajudar em tempo de necessidade. As bênçãos da Palavra de Deus são nossas através do nome de Jesus (Atos 4:12). Só Ele é a nossa fonte para Deus.

O tempo de sacrifício e arrependimento é sempre uma preparação dos nossos corações para a manifestação do Senhor e do Seu Reino: “Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus”Mateus 3:2. João Batista proclamou a palavra de arrependimento sobre todo o Israel, preparando o coração do povo para o arrependimento e a chegada do Rei Jesus. Na realidade, João Batista estava tocando uma trombeta profética para o povo se preparar com sacrifício de arrependimento.

Hoje também, a trombeta está tocando em diversos cantos da terra e a proclamação da Palavra tem levado o remanescente de Deus a ouvir estas palavras que nos preparam para a volta do Rei e do Seu reino: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que da presença do Senhor venham TEMPOS DE REFRIGÉRIO, e que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus, ao qual é necessário que o céu receba até aos tempos da restauração de todas as coisas, de que Deus falou por boca dos seus santos profetas desde a antiguidade...”Atos 3:19-21. As trombetas estão sendo tocadas pelas comunidades proféticas de hoje e estão anunciando o tempo da Restauração de Todas as coisas; tempos que estão sendo criados pela parusia do Senhor. As trombetas estão soando e preparando nossos corações com um arrependimento profundo, criando em nós um espírito humilde, para viver nos dias do Reino: “Depois e João ter sido preso, foi Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho de Deus, dizendo: O tempo está cumprido e o reino de Deus está próximo: arrependei-vos e crede no evangelho”Marcos 1:14, 15.

É sempre tempo de nos humilharmos e nos arrependermos diante de Deus. Arrependimento e humildade deve ser um modo de vida dos que vivem o Reino de Deus: “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus”; Mateus 5:3. As passagens abaixo devem ser um lema nestes dias do Reino:

“Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus”. (Salmos 51:17). “Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos”. (Isaías 57:15).

Share/Save/Bookmark

 

Acampamento Rib. Preto

AlugaM-se Acampamento em Ribeirão ...

 

Acampamento Salvador

AlugaM-se Acampamento em Salvador...

 

Acampamento Uberlândia

AlugaM-se Acampamento em Uberlân...

 

Acampamento Ibiúna (SP)

ALUGA-SE ACAMPAMENTO EM IBIÚNA(I...
You are here