06 - Seção VI - Contribuição: Dízimos, Ofertas e Esmolas

LIÇÃO XIV FINANÇAS DA IGREJA LOCAL:
DÍZIMOS, OFERTAS E ESMOLAS

I.          O dízimo como princípio Veto-Testamentário.

A - Dízimo antes da Lei - voluntário.

1. Abraão pagou os dízimos. Gn 14:18-20.

2. Jacó prometeu um décimo Gn 28:20-22.

B - Dízimo sob a Lei de Moisés - compulsório.

1. O dízimo pertence a Deus. Lv 27:20-32.

2. Obediência à lei do dízimo traz bênçãos para a vida. Ml 3:10.

3. O uso dos dízimos que eram recolhidos. Ne 10:37-38.

II.        O dízimo como princípio Néo Testamentário.

A - Dízimo - Hb 7.

1. Melquisedeque, rei (de Jerusalém) e sacerdote. Seria ele Sem? Um anjo? Deus?
Cristo? Sim, ele era Cristo. Hb 7:1.

2. Sem pai ou mãe, isto é, não tendo recebido o sacerdócio por hereditariedade. 
Hb 7:2,3; Gn 14:17-20.

3. Princípios do dízimo referem-se a Cristo como sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque.. Realmente, o nosso dízimo nada tem a ver com a lei levítica do dízimo. Hb 7: 4-10.

4.  O Sacerdócio Levítico é temporário e insuficiente. Hb 7:11,12.

5. O Sacerdócio de Cristo é imutável. Hb 7:13-17.

6.  O Sacerdócio de Cristo é eterno. Hb 7:18-24.

Deus rejeitou o velho concerto, e outorgou um novo concerto e um novo sacerdócio. Hb 8:7-13. Portanto, dizimamos sob o novo concerto, e dizimamos ao Senhor Jesus Cristo, que é do novo sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque.

B - Pagamos nossos dízimos ao sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque. Hb 7:1-17.

III. Ênfase e instruções quanto à contribuição, dadas pelo Novo Testamento.

 A - O dízimo sob a graça - prontamente.

1. Damo-nos a Deus primeiramente, depois nossas ofertas e dízimos.

II Co 8:5,11,12.

2. Damos alegremente. II Co 9:6-8.

3. Damos abundantemente. Lc 6:38.

4. Quando devemos dar. I Co 16:1,2.

5. O uso dos dízimos. Mt 10:7-10.

6. O uso das ofertas. II Co 9:7-14.

IV.   Ofertas no Novo Testamento.

A - O dízimo é um décimo de nossa renda, devida a Deus.

B - Ofertas são as nossas dádivas de adoração a Deus.

C - Esmolas são as nossas dádivas para os pobres e necessitados.

Paulo e outros ministérios receberam essas ofertas para os santos de Jerusalém. Foi uma grande coleta que levou mais de um ano para ser feita. Paulo havia gastado anos pregando para os gentios, não para que fossem prosélitos judáicos; mas agora eles demonstravam o seu amor aos cristãos judeus. Isto mostra a unidade e o amor do Novo Testamento. É um dos acontecimentos de maior relevância do Novo Testamento.

D - II Coríntios, capítulo 8.

1. Como os macedônios contribuíram. v. 1-5.

2. Tito devia fazer agora uma coleta na igreja de Corinto. v.6.

3. Contribuindo pela graça de Deus v. 7.

4. Contribuir é um teste de amor. v.8-9.

5. A contribuição é baseada no que você tem para dar. v.10-12.

6. Todos os santos devem participar igualmente da graça de contribuir. v. 13-15.

7. A contribuição deve ser irrepreensível na sua coleta e na sua administração. v. 16-24.

E -  II Coríntios, capítulo 9.

1. Aviso antecipado, de forma que eles pudessem economizar a separar o que iria dar. v. 1-5.

2. A contribuição deve ser abundante (a lei da ceifa). V.6.

3. Deve-se contribuir com o coração (motivo amor especial de Deus). à 7.

4. Há um ministério de fé e de graça no contribuir. v. 8-10.

5. A contribuição ajuda a adoração e o louvor a Deus. v. 11,12.

6. A sua contribuição faria com que os crentes de Jerusalém louvassem a Deus pelos entes gentios. v. 13-15.

V. Esmolas

Ministério em favor dos pobres e necessitados.

Como devemos dar esmolas (não dízimos) aos pobres. Mt 6:1-4.

VI. Discussão

Discuta o lugar dos dízimos, ofertas e esmolas na sua igreja local.

Contraste os métodos bíblicos com os métodos financeiros usados por outras igrejas que você conhece.

voltar para Igreja do Novo Testamento

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||