35. Estudo da Bíblia (Esboço: Judas)

AUTOR: De acordo com a tradição, Judas é o irmão de Jesus (Mt 13:55), que se tornou cristão apenas após a ressurreição de Cristo (Jo 7:5, At 1:14), cujo irmão, Tiago, se tornou personagem lider na Igreja Primitiva (At 15:13, Gl 1:19). Provavelmente foi esta epístola endereçada às igrejas da Ásia Menor, as quais o apóstolo Pedro já enviara carta, I Pe 1:1. A ele é atribuída a autoria desta epístola, que foi escrita por volta do ano 67 d.C.

PROPÓSITO:  Judas havia planejado preparar um tratado diferente, a respeito de "nossa comum salvação", quando se sentiu obrigado a considerar uma questão mais controvertida, em vigorosa defesa da fé apostólica. Essa defesa se fazia necessária por causa dos avanços alarmantes feitos por um gnosticismo no seio dos círculos cristãos aos quais Judas se dirigia. Este gnosticismo pregava o uso indevido da liberdade para dar "lugar à carne"  (Gl 5:13). Isso é sugerido pela descrição de Judas acerca dos falsos mestres em foco como indivíduos que transformam em "libertinagem a graça de nosso Deus" e que "negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo".

ESBOÇO PARA ESTUDO:

(    ) SAUDAÇÃO E PROPÓSITO, v.1-4 – não endereça a carta a alguém especificamente, mas aos amados em Deus, e se inclui entre os que usufruem da comum salvação e os incentiva a se apropriarem da fé que fora liberada a todos os santos, a fim de resistirem aos ensinamentos heréticos que se espalhavam entre os irmãos.

(    ) JUÍZOS PASSADOS DE DEUS CONTRA PESSOAS MÁS, v. 5-11 – o escritor mostra exemplos do V. T. com intenção de comprovar o reto juízo de Deus em relação aos falsos mestres, àqueles que de forma sutil penetram no meio da igreja, com um único propósito, de tentar desfazer a obra redentora de Cristo, através de ensinos contrários à sã doutrina, porém, a estes estão reservados os mais severos castigos da parte de Deus.

(    ) ACUSAÇÃO CONTRA FALSOS CRISTÃOS, v. 12-16 – aos falsos mestres inúmeras qualificações são empregadas pelo apóstolo, a fim de evidenciar o seu procedimento maligno e as más intenções por eles praticadas entre os irmãos, porém da parte de Deus lhes estão determinados o julgamento e condenação.

(    ) CONTRASTE ENTRE CRISTÃOS FALSOS E VERDADEIROS,  v.17-23 – enquanto os falsos se manifestam através de suas obras malignas, os fiéis cristãos já estavam cientes de que tais indivíduos surgiriam no meio da congregação, entretanto eles deveriam continuar seguindo aos ensinamentos que outrora receberam através dos verdadeiros apóstolos de Cristo, pois a salvação lhes estava garantida através da obra regeneradora de Cristo Jesus obtida por  Sua morte na cruz.

(    ) PALAVRA FINAIS, v. 24,25 – a glorificação aqui descrita só pode ser dirigida a um, Jesus Cristo, o qual é poderoso para preservar a vida daqueles que O amam e servem de todo coração e de verdade.

 

voltar para Estudos da Bíblia

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||