14. Estudo da Bíblia (A Importância do Apóstolo PAULO)

II) Quem foi Paulo (Saulo)?

Sabe-se muito mais acerca do apóstolo Paulo do que acerca de qualquer outro personagem apostólico. Nosso conhecimento sobre esse apóstolo e seu ministério é praticamente tudo quanto se sabe acerca do desenvolvimento do cristianismo, durante aqueles dias.

Os textos bíblicos que faz-nos conhecer sobre a vida de Paulo, são: Gl 1:10 a 2:10; Fp 3:4-11, além deAt 9:3-19; 22:6-21 e 26:12-18. Comentaremos sobre suas viagens missionárias ao estudar o livro de Atos dos Apóstolos.

Paulo nasceu em Tarso, na Cilícia, cidade não insignificante; At 21:39. Tarso, por essa época, já tinha história antiga, e fora cidade importante por muitos séculos antes da era cristã. Chegou a ser a cidade mais importante da Cilícia. Essa cidade se tornou uma região de síntese entre o oriente e o ocidente, entre a cultura grega, a cultura oriental, e, finalmente, a cultura romana. Também era um centro cultural.

Não se sabe quando Paulo nasceu; porém, quando do apedrejamento de Estevão, lemos que Saulo era um jovem; At 7:58. Portanto, isso indica que ele nasceu na primeira década do século I d.C., sendo, assim, um contemporâneo mais jovem de Jesus.

O nome Paulo significa pequeno. As passagens de 1 Co 2:3 e 2 Co 10:10 indicam que a aparência física de Paulo não era impressionante, e a descrição que há sobre ele, no livro apócrifo “Atos de Paulo e Tecla”, concorda com esse ponto de vista: “E ele viu Paulo que se aproximava, um homem de baixa estatura, quase calvo, torto de pernas, de corpo volumoso, sobrancelhas unidos, um nariz um tanto adunco, cheio de graça: pois algumas vezes parecia um homem, e de outras vezes tinha a fisionomia de um anjo”.

Atos fala que Paulo tinha uma irmã e um sobrinho que viviam em Jerusalém, At 23:16. O próprio Paulo aprendera uma profissão, provavelmente em Tarso, a de fabricante de tendas; At 18:3. Paulo foi instruído no judaísmo estrito. Quando criança, saiu de Tarso para estudar em Jerusalém. Lá, Paulo estudou sob orientação do grande Rabban Gamaliel, o Velho, que era altamente respeitado como mestre. As palavras de Gl 1:14, mostram-nos que ele era indivíduo intensamente religioso desde a juventude, tendo-se destacado nessa questão acima dos outros jovens de sua idade. Freqüentava regularmente a sinagoga. Mais tarde seguiu suas tradições farisaicas, tornando-se membro desta seita judaica.

Antes de sua conversão, sendo ainda jovem, Saulo perseguiu a igreja de Cristo e muniu-se da autoridade de cartas oficiais para fazer isso. Portanto, é muito provável que pertencesse a uma família proeminente, ou, pelo menos, que se tenha distinguido extraordinariamente com líder e zelote religioso, sendo por isso mesmo encarregado do que se pensava ser uma importante missão.

Nas passagens de At 9:3-19; 22:6-21 e 26:12-18, o próprio Paulo relata a sua experiência de conversão a Cristo.

II) Enviado como Apóstolo do Evangelho aos Gentios

“Porque vós, irmãos” (judeus),”sabeis, pessoalmente, que a nossa estada entre vós não se tornou infrutífera; mas, apesar de maltratados e ultrajados em Filipos, como é do vosso conhecimento, tivemos ousada confiança em nosso Deus, para vos anunciar o evangelho de Deus, em meio a muita luta. Pois a nossa exortação não procede de engano, nem de impureza, nem se baseia em dolo; pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho, assim falamos, não para que agrademos a homens, e sim a Deus, que prova o nosso coração. A verdade é que nunca usamos de linguagem de bajulação, como sabeis, nem de intuitos gananciosos. Deus disto é testemunha. Também jamais andamos buscando glória de homens, nem de vós, nem de outros.” (1 Ts 2:1-6).

Em sua conversão, Paulo foi alcançado pelo evangelho, e pela graça e misericórdia de Cristo. Por Cristo, ele foi encarregado de pregar o evangelho. Paulo pregava o evangelho de Cristo com misericórdia, porque ele mesmo provou a misericórdia divina.

“... segundo o evangelho da glória do Deus bendito, do qual fui encarregado. Sou grato para com aquele que me fortaleceu, Cristo Jesus, nosso Senhor, que me considerou fiel, designando-me para o ministério, a mim, que, noutro tempo, era blasfemo, e perseguidor, e insolente. Masobtive misericórdia, pois o fiz na ignorância, na incredulidade. Transbordou, porém, a graça de nosso Senhor com a fé e o amor que há em Cristo Jesus. Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal. Mas, por esta mesma razão, me foi concedida misericórdia, para que, em mim, o principal, evidenciasse Jesus Cristo a sua completa longanimidade, e servisse eu de modelo a quantos hão de crer nele para a vida eterna. Assim, ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único, honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém!” (1 Tm 1:11-17).

“... e, afinal, depois de todos, foi visto” (Cristo, após sua ressurreição) “também por mim, como por um nascido fora de tempo. Porque eu sou o menor dos apóstolos, que mesmo não sou digno de ser chamado apóstolo, pois persegui a igreja de Deus. Mas, pela graça de Deus, sou o que sou; e a sua graça, que me foi concedida, não se tornou vã; antes, trabalhei muito mais do que todos eles; todavia, não eu, mas a graça de Deus comigo. Portanto, seja eu ou sejam eles, assim pregamos e assim crestes”. (1 Co 15:8-11).

O mesmo Cristo que operou em Pedro e o comissionou para levar o Evangelho aos Judeus, operou em Paulo para o Evangelho aos gentios; At 9:15, 16; Gl 2:7-10.

III) Paulo completou a Evangelho de Cristo

Paulo recebeu muitas revelações do Senhor. Mistérios que estavam encobertos de gerações passadas lhes foram revelados, pelo Espírito. Veja o texto abaixo...

“Por esta causa eu, Paulo, sou o prisioneiro de Cristo Jesus, por amor de vós, gentios,  se é que tendes ouvido a respeito da dispensação da graça de Deus a mim confiada para vós outros; pois, segundo uma revelação, me foi dado conhecer o mistério, conforme escrevi há pouco, resumidamente; pelo que, quando ledes, podeis compreender o meu discernimento do mistério de Cristo, o qual, em outras gerações, não foi dado a conhecer aos filhos dos homens, como, agora, foi revelado aos seus santos apóstolos e profetas, no Espírito, a saber, que os gentios são co-herdeiros, membros do mesmo corpo e co-participantes da promessa em Cristo Jesus por meio do evangelho; do qual fui constituído ministro conforme o dom da graça de Deus a mim concedida segundo a força operante do seu poder. A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo e manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus, que criou todas as coisas, para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais, segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor, pelo qual temos ousadia e acesso com confiança, mediante a fé nele. Portanto, vos peço que não desfaleçais nas minhas tribulações por vós, pois nisso está a vossa glória”Ef 3:1-13.

Cristo chamou Paulo para aprofundar Sua Igreja numa nova dispensação, uma nova fase da Igreja de Cristo. Em Paulo, o Senhor estava pregando a Era da Graça, conforme foi profetizado pelos profetas e inaugurada por Jesus. Paulo, então, dá continuidade ao Evangelho aos gentios, começado por Jesus;Is 42:1, 6; 49:6 (até à extremidade da terra, é a Palavra; cf. At 1:8); Lc 2:32.

Deus sempre chama e comissiona apóstolos e profetas, que trazem a Palavra que cria as novas dispensações, novas eras. “Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem primeiro revelar o seu segredo aos seus servos, os profetas. Rugiu o leão, quem não temerá? Falou o Senhor Deus, quem não profetizará?”; Am 3:7, 8. O Senhor continua falando hoje, através de seus santos, apóstolos e profetas. Mais uma vez uma nova dispensação está sobre a terra, é a Era do Reino de Deus que está sobre nós. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito de Deus está falando!...

Um terço do Novo Testamento foi escrito por Paulo. Foi ele quem mais escreveu sobre a graça de Deus, sobre como ser um servo de Cristo, a obediência da fé, o propósito da cruz, a verdadeira circuncisão, sobre a ressurreição, a vida ressurreta, os dons e ministérios do Espírito, pastoreio e alguns outros assuntos que contribuem para levar a igreja de Cristo à maturidade espiritual. Além de, no livro aos Hebreus, trazer o significado espiritual da Lei, das ordenanças, das cerimônias e do tabernáculos de Moisés.

 

voltar para Estudos da Bíblia

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||