02. Estudo da Bíblia (Parte II - ANTIGO TESTAMENTO)

Esta segunda parte inicia uma apresentação e resumo de cada livro do Antigo Testamento. Cremos que este resumo será o suficiente para abrir sua compreensão para dar os primeiros passos em sua busca pela Verdade de Deus. 

I) Os dois Testamentos: o Antigo e o Novo (duas Alianças)

“Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também” Jesus “o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim”. “... o qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica”. (1 Coríntios 11:25 e 2 Coríntios 3:6)

Os termos hebraico e grego para expressar “Testamento” nos dão o nítido significado que ele tem na Bíblia. No Antigo Testamento (abreviamos AT) é usada a palavra “berithe” e seu equivalente no Novo Testamento (abreviamos NT) é “diatheke”, e ambas significam literalmente PACTO ou CONCERTO, entre Deus e o Homem.  A palavra Testamento ou Pacto deve ser interpretada à luz de Jeremias 31:31-34 Hebreus 7:22; 8:6; 10:16. Testamento significa pacto, acordo ou aliança.

 “Eis aí vêm dias, diz o SENHOR, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme a aliança que fiz com seus pais” (Abraão, Isaque, Jacó, José e Moisés), “... Porque esta é a ALIANÇAque firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao SENHOR, porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR. Pois perdoarei as suas iniqüidades e dos seus pecados jamais me lembrarei.”

Testamento tem a mesma conotação que conhecemos em português: Isto é, o desejo ou vontade última de alguém que está preste a morrer. Na última ceia, antes de sua morte, Jesus firmou um Novo Testamento (uma Nova Aliança) com Seus discípulos. Uma aliança subentende um pacto ou acordo bilateral; e isso sucede conosco, quando recebemos todos os benefícios recebidos em Cristo, da parte de Deus. Essa Nova Aliança é igualmente a um Novo Testamento, porquanto, através de Sua morte, da morte de Jesus Cristo, os benefícios fluem até nós, pela graça de Deus. Assim, agora podemos ser divinamente chamados de seus herdeiros: “Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com Ele sofremos, também com Ele seremos glorificados”. (Romanos 8:17). “E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa”. (Gálatas 3:29).

“Por isso mesmo, ele é o Mediador da NOVA ALIANÇA, a fim de que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia sob aPRIMEIRA ALIANÇA, recebam a promessa da eterna herança aqueles que têm sido chamados. Porque, onde há TESTAMENTO, é necessário que intervenha a morte do testador; pois um TESTAMENTO só é confirmado no caso de mortos; visto que de maneira nenhuma tem força de lei enquanto vive o testador. Pelo que nem a primeira aliança foi sancionada sem sangue; porque, havendo Moisés proclamado todos os mandamentos segundo a lei a todo o povo, tomou o sangue dos bezerros e dos bodes, com água, e lã tinta de escarlate, e hissopo e aspergiu não só o próprio livro, como também sobre todo o povo, dizendo: Este é o sangue da aliança, a qual Deus prescreveu para vós outros”. (Hebreus 9:15-22).

Assim sendo, temos na Bíblia duas Alianças (Antigo Testamento e o Novo Testamento) que Deus firmou com Seu povo. A Primeira Aliança foi feito entre Deus e Abraão, com seus descendentes, o povo judeu. A circuncisão era o sinal desta aliança. A passagem de Atos 7:1-53 conta, resumidamente, toda a história do Antigo Testamento, e da Antiga Aliança.

A Nova Aliança, foi feita entre Deus e Cristo, com seus descendentes (Mateus 26:28; Lc 22:20). Esta nova Aliança ou Testamento de Deus com os Homens, é feita pelo sangue de Cristo. Todos aqueles que aceitam o sacrifício de Cristo na cruz, tornam-se participantes desta Nova Aliança, sendo beneficiados com todas as promessas e obrigações que estão no Antigo e no Novo Testamento.

II) OS LIVROS DO ANTIGO TESTAMENTO

Antes de qualquer coisa queremos anotar que a divisão feita pelo judeu do Antigo Testamento é completamente diferente da divisão moderna conhecida. Todavia, uma coisa deve ficar bem clara, é que o número de livros da Escritura Judaica coincide perfeitamente com o AT cristão e, obviamente, são os mesmos.

A Septuaginta (LXX) – Versão dos Setenta: Os líderes do judaísmo em Alexandria foram responsáveis por uma tradução do Antigo Testamento hebraico para o grego, que integraria a Biblioteca de Alexandria, e foi chamada de Septuaginta (LXX), que significa setenta. Esta tradução já estava concluída em 150 a.C. e foi feita por eruditos judeus e gregos, provavelmente para o uso dos judeus alexandrinos. Os judeus a usaram muito antes da Era Cristã e, no tempo de Cristo, foi reconhecida como texto legítimo, tendo sido inclusive empregada na Palestina pelos rabinos. Os apóstolos e evangelistas a usaram também e fizeram citações do Antigo Testamento a partir dela, especialmente no que diz respeito às profecias. Os pais da Igreja primitiva citavam-na diretamente. Atualmente, a Septuaginta é o texto oficial das igrejas cristãs.

Achamos por bem anotar a divisão do ponto de vista moderno, por ser mais prático e se enquadra melhor no nosso contexto, conforme adota as igrejas cristãs.

O Antigo Testamento é formado por 39 livros
classificados em:

Pentateuco ou Livros da Lei

Escritos por Moisés, retratam a Pessoa e o caráter de Deus, a criação do homem e sua queda, as alianças e promessas divinas de trazer a redenção através de um Divino Redentor.

Gênesis 
Êxodo
Levítico
Números
Deuteronômio

Livros Históricos
Dramatizam o movimento histórico da nação de Israel, o povo escolhido de Deus, durante toda a sua história na Palestina, a terra da promessa Divina.

Josué
Juízes
Rute
I e II Samuel
I e II Reis
I e II Crônicas
Esdras 
Neemias
Ester

Livros Poéticos ou de Sabedoria
Observam o caráter humano, sua conduta e as sua conseqüências, a fim de estabelecer princípios aprimorados para a moral. Esta sabedoria é singular por estar baseada no temor do Senhor.

Salmos
Provérbios
Eclesiastes
Cantares

Livros Proféticos
Dos Livros Proféticos Isaías e Daniel são os profetas maiores devido ao tamanho dos livros.

Profetas Maiores
Isaias
Jeremias
Lamentações de Jeremias
Ezequiel
Daniel
Profetas Menores

Oséias 
Joel
Amós 
Obadias
Jonas
Miquéias
Naum
Habacuque
Sofonias
Ageu 
Zacarias
Malaquias

 

voltar para Estudos da Bíblia

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||