Lição 09 - O Profeta-Sacerdote do Reino

Neste tempo do fim, Deus está nos abrindo uma nova esfera de ministério, uma esfera na qual o Seu povo nunca andou. Ela pode ser melhor descrita por dois quadros. Um retrata as maiores revelações e o mais alto nível espiritual do sacerdócio. O outro retrata as maiores revelações e o mais alto nível espiritual dos profetas. Nós estamos vivendo nos dias em que o Senhor está fazendo de Seu povo reis e sacerdotes (Apocalipse 1.6). Todos profetizarão, e, no futuro, o menor se moverá numa unção maior que a que pairou sobre os profetas do Antigo Testamento. Do mesmo modo, como sacerdócio espiritual do Reino, eles excederão o que veio à luz no sacerdócio levítico, e se moverão dentro da ordem divina do sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque (Hebreus 7.11). Que elevado nível de autoridade no ministério virá do remanescente de Deus nestes dias!

A passagem em Ezequiel 37.1-5 nos ajudará a analisar este conceito do ministério de profeta-sacerdote. “Veio sobre mim a mão do SENHOR; ele me levou pelo Espírito do SENHOR e me deixou no meio de um vale que estava cheio de ossos, e me fez andar ao redor deles; eram mui numerosos na superfície do vale e estavam sequíssimos. Então, me perguntou: Filho do homem, acaso, poderão reviver estes ossos? Respondi: SENHOR Deus, tu o sabes. Disse-me ele: Profetiza a estes ossos e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do SENHOR. Assim diz o SENHOR Deus a estes ossos: Eis que farei entrar o espírito em vós, e vivereis”. Note que a palavra hebraica para “fôlego”,ruwach, é também a palavra traduzida como “espírito”. Semelhantemente, no Novo Testamento, a palavra grega traduzida como “espírito” é pneuma, a qual também significa “fôlego” ou “vento”, como vemos em João 3.8: “O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito”.

No restante da passagem de Ezequiel, onde a expressão “fôlego da vida” é mencionada muitas vezes, parece que “fôlego” significa “espírito”: “Porei tendões sobre vós, farei crescer carne sobre vós, sobre vós estenderei pele e porei em vós o espírito, e vivereis. E sabereis que eu sou o SENHOR. Então, profetizei segundo me fora ordenado; enquanto eu profetizava, houve um ruído, um barulho de ossos que batiam contra ossos e se ajuntavam, cada osso ao seu osso. Olhei, e eis que havia tendões sobre eles, e cresceram as carnes, e se estendeu a pele sobre eles; mas não havia neles o espírito. Então, ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize-lhe: Assim diz o SENHOR Deus: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. Profetizei como ele me ordenara, e o espírito entrou neles, e viveram e se puseram em pé, um exército sobremodo numeroso” (vs. 6-10).

Esta talvez seja a maior visão profética que um profeta dos tempos do Antigo Testamento teve. Houve profetas que profetizaram e reinos caíram; houve profetas que profetizaram e novas eras vieram à luz. Mas esta visão prediz o maior ato criativo que um dia aconteceria: um profeta de Deus se levantando e profetizando segundo a direção de Deus, movendo-se com o fôlego (ou espírito) da esfera espiritual para criar alguma coisa no nível natural. Antes mesmo de Ezequiel terminar de profetizar sua profecia começou a reunir os ossos, os órgãos e tecidos, e a restaurar a vida. Este é um exemplo de profecia em sua forma mais criativa. Neste dia estão vindo à luz os profetas de Deus que estão se aproximando da visão de Ezequiel em suas profecias.

A profecia é enumerada como um dos dons do Espírito Santo para funcionar na Igreja; um dom para edificação, exortação e consolo (1 Coríntios 14.3). No entanto, a ênfase do Novo Testamento não estava no papel criativo da profecia que se vê em Ezequiel 37. No passado as profecias eram usadas para consolar, para edificar a Igreja e para exortar o povo a se achegar ao Senhor. Agora uma transição está tomando lugar e o aspecto criativo da profecia será enfatizado no rompimento do Reino.

Ezequiel era um profeta do Reino. Enquanto profetizava a perda e a restauração da glória de Deus para Seu povo, Ezequiel teve várias visões. Numa delas ele viu a glóriashekinah (palavra hebraica que, no original, qualifica a glória de Deus) vir e pairar sobre o Templo, sobre as fronteiras de Jerusalém, no alto do monte e, finalmente, desaparecer (Ezequiel 10.18-19; 11.22-23). Os últimos capítulos do livro de Ezequiel falam do retorno da glória de Deus. Ezequiel foi um profeta que falou ao mesmo tempo da perda e da restauração da glória de Deus para o Seu povo. Ele falou da restauração da glória de Deus na esfera do Reino que está surgindo hoje.

A partir da visão de Ezequiel na qual ele profetiza para os ossos reviverem e se tornarem um grande exército, nós vemos que Deus não recruta o povo mais digno da terra para Seus servos. Em vez disto, Ele cria Seus próprios servos. É uma Palavra de Deus que faz o povo da restauração se levantar no Senhor.

O verdadeiro profeta de Deus não estaria fazendo a Sua vontade se profetizasse: “Ei, ‘Seu’ Ricaço, dê o seu dinheiro para o Senhor”, ou: “Ei, você com o dom da palavra, seja um pregador para o Senhor.” Deus não Se interessa pelo dinheiro do “Sr. Ricaço” ou com a facilidade de expressão do “Sr. Eloqüência”. Ele só está interessado em criar a partir de ossos secos — aquilo que não é nada, aquilo que é tolo, aquilo que é sem valor; aqueles que produzirão a Sua vontade em Seu nome. Eles formarão um grande exército que ficará em pé sem romper fileiras (Joel 2.8). Eles não serão recrutados porque têm traços de personalidade ou habilidades especiais. Eles só se levantarão porque são um ato criativo de Deus. Eles serão criados pelas profecias que o povo de Deus ministra entre si.

Nós ainda precisamos da profecia para edificar, exortar e consolar. No entanto, a profecia precisa fazer, por nós, mais do que isso. Nós precisamos de profetas que falarão a Palavra de Deus que cria em nós a capacidade para realizarmos a Sua vontade e para sermos o Seu exército. Aqueles ossos secos da visão de Ezequiel não se tornaram um conglomerado de indivíduos. Eles se tornaram um grande exército sem limite de número.

Deus hoje está criando um exército que se evidenciará à medida que cada profeta chegue à sua mais nobre proclamação: a proclamação que cria. As proclamações de Deus nunca criaram nada maior do que quando Ele formou o mundo. Assim como Ele disse: “Haja luz”, e houve luz, Ele também dirá: “Haja o exército do Senhor”, e haverá o exército do Senhor. Contudo, desta vez, Ele estará falando pela boca dos Seus profetas. Os mundos foram criados em sua plenitude por uma Palavra que Deus falou, uma Palavra independente de canais humanos. Mas Ele agora declarou que o Seu Reino virá à luz através de Seus oráculos, através de vozes como a sua, através de canais que falarão a Palavra do Senhor.

Nós temos falado do maior ministério que pode surgir através do profeta. (Leia mais na "Escola Para Profetas"). Agora vamos dar uma olhada no maior ministério que pode surgir através do SACERDÓCIO do tempo do fim. O livro de Levítico revela o ministério do sacerdócio.

“Chamou o SENHOR a Moisés e, da tenda da congregação (o tabernáculo), lhe disse: Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando algum de vós trouxer oferta ao SENHOR, trareis a vossa oferta de gado, de rebanho ou de gado miúdo. Se a sua oferta for holocausto de gado, trará macho sem defeito; à porta da tenda da congregação o trará, para que o homem seja aceito perante o SENHOR. E porá a mão sobre a cabeça do holocausto, para que seja aceito a favor dele, para a sua expiação” (Levítico 1.1-4).

Porque a imposição de mãos tem sido, durante séculos, uma formalidade, poucas pessoas têm entendido sua profundidade. Nada no ministério do sacerdote se igualava ao que podia ser transmitido pela imposição de mãos que era uma ordenança do Senhor. Quando o povo trazia suas ofertas, e os sacerdotes colocavam suas mãos sobre os animais, o efeito era bem além do que eles podiam entender. Se pudermos alcançar as verdades espirituais deste ritual, Deus poderá nos ensinar o que é transferência e apropriação. A inocência do animal era apropriada, e a culpa do pecador era transferida. O animal do sacrifício, na verdade, se tornava o pecador — embora ele nunca tivesse consciência da Lei. Quando o sacerdote cortava a garganta do animal, ele morria levando o julgamento de Deus pela iniqüidade da pessoa que ali estava. Então esta ficava livre para adorar a Deus. Aquela pessoa podia adorar a Deus por causa de um simples ato que é o maior milagre de todos os tempos.

O ministério do sacerdote no Antigo Testamento foi um ritual de grande significado — até Cristo surgir. O Senhor Jesus Cristo foi levado como cordeiro para o matadouro (Isaías 53.7). Quando João Batista viu o Senhor vindo em sua direção, ao Jordão, ele exclamou: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!” (João 1.29) O que ele quis dizer é que o Pai colocaria Sua mão sobre Jesus e lançaria sobre Ele a iniqüidade de todos nós (Isaías 53.6). Este ato vicário envolveu apropriação e transferência. Quando aceitamos o Senhor Jesus em nossas vidas, estamos apropriando a justiça de Deus e transferindo nossas iniqüidades para Ele. Assim como Cristo aceitou as nossas iniqüidades e morreu por elas, também nós precisamos aceitar a Sua justiça.

O livro de Levítico nos dá mais exemplos de apropriação e transferência pela imposição de mãos. Levítico 3.1-2: “Se a oferta de alguém for sacrifício pacífico, se a fizer de gado, seja macho ou fêmea, oferecê-la -á sem defeito diante do SENHOR. E porá a mão sobre a cabeça da sua oferta e a imolará diante da porta da tenda da congregação; e os filhos de Arão, os sacerdotes, aspergirão o sangue sobre o altar, ao redor” (o sacrifício acontecia na porta do tabernáculo). Nos versículos 8 e 13, nós vemos, outra vez, que a imposição de mãos era parte essencial da apropriação e transferência pelo sacrifício: “E porá a mão sobre a cabeça da sua oferta e a imolará diante da tenda da congregação; e os filhos de Arão aspergirão o sangue sobre o altar, em redor. (…) E porá a mão sobre a sua cabeça e a imolará diante da tenda da congregação; e os filhos de Arão aspergirão o sangue sobre o altar, em redor”.

O ministério de profeta e o ministério de sacerdote serão combinados e manifestados como um só neste ministério que Deus está trazendo à luz hoje. Ele está combinando duas funções que, no passado, eram separadas. O profeta se aproximava do povo em favor de Deus, enquanto que o sacerdote se aproximava de Deus em favor do povo.

O profeta era o porta-voz de Deus, enquanto que o sacerdote era o porta-voz do povo. O profeta falava a Palavra de Deus para o povo e o sacerdote a palavra do povo para Deus. Mas Deus tem hoje reservado um melhor meio de ministração: aquilo que era separado nos ministérios do Antigo Testamento, agora está sendo unido no Corpo de Cristo para formar um só ministério eficaz. No ministério de profeta, irmãos podem falar para a congregação e criar um povo para se mover diante da face de Deus. Como sacerdotes, esses mesmos irmãos, com seu ministério eficaz de intercessão, podem transferir a culpa do povo para Cristo, que é o nosso sacrifício, e transferir a inocência de Cristo para os culpados. Os irmãos poderão profetizar uma Palavra apostólica, assim como Cristo fez quando disse: “Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado…” (João 15.3) O povo não mais contenderá para se apropriar. Ele estará limpo, e a justiça será transferida para ele. O Corpo de Cristo surgirá sem mácula ou ruga por intermédio da lavagem da água pela Palavra (Efésios 5.26-27). A Palavra do Senhor virá para limpar. Uma Palavra do Senhor o capacitará não só a estar em pé diante do Senhor como também para ser aceito por Ele.

Seus fracassos não serão de importância alguma porque você pode vir e tocar em Deus por intermédio do ministério sacerdotal e ser limpo. O profeta pode se levantar e dizer: “Em nome do Senhor, nós apropriamos da justiça de Deus para este povo.” Haverá libertação no remanescente que o Senhor chamará (Joel 2.32). Os ministérios de profeta e de sacerdote estão se unindo. Eles falarão a Palavra e um exército será criado. Eles falarão a Palavra e você será limpo; você será liberto e inteiramente são — exatamente o que Deus ordenou que você fosse. A Palavra criativa está sendo restaurada para este nível de eficácia.

Quando nos reunimos na igreja, nós não o fazemos só para ouvir um sermão ou sermos agitados por um senso de culpa. Nós queremos ouvir alguém dizer algo que criará em nós a capacidade de fazer a vontade de Deus além de qualquer coisa que, de outra forma, poderíamos ser ou fazer.

Quando Cristo veio, Ele não ministrou como o Filho de Deus. Ele Se restringiu e andou como um homem, Ele tinha as limitações humanas. No entanto, Ele Se moveu como um profeta e como um sacerdote. Mas, sendo da tribo de Judá, Jesus não estava qualificado para o sacerdócio de Levi. Então Ele Se manifestou como um sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque, aquele sacerdócio divino que foi instituído quando Deus, em forma humana, ministrou nesta terra no sacerdócio que precedeu o sacerdócio levítico. Melquisedeque era sem pai ou mãe; ele não teve começo de dias nem fim de existência (Hebreus 7.3). Ele foi uma aparição do Senhor nos dias de Abraão. Conseqüentemente, nós permanecemos no sacerdócio de Cristo que não é um renascimento do sacerdócio levítico. Em vez disto, nosso sacerdócio combina a criatividade de Ezequiel, em seu ministério de profeta, com a criatividade da ordem sacerdotal de Melquisedeque. Por meio da profecia, capacidades que as pessoas antes nunca conheceram, serão criadas nelas.

A profecia pode ser comparada ao ato do sacerdote do Antigo Testamento, quando este estendia a mão sobre um animal, transferindo a culpa do pecado e apropriando a justiça de Deus. Grandes mudanças não acontecerão por causa de seus esforços pessoais. Elas acontecerão por causa da sua receptividade à Palavra de Deus. Peça ao Senhor para que lhe dê ouvidos para ouvir e um coração para receber. Você mudará à medida que adora o Senhor e participará do mais alto nível do ministério de sacerdote e profeta que a Palavra viva criará em você. Se você tem lutado durante anos com algumas características de sua velha natureza, você pode ser transformado só por se levantar, adorar com um coração aberto e receber a Palavra viva que eliminará tudo da carne.

Existe uma ligação íntima entre adoração e transformação. Aqueles que adoram a Deus O estão tocando com uma abertura e uma submissão para receber Dele. A maior criatividade da profecia é encontrada numa atmosfera de adoração. Quando você estiver aberto e adorando a Deus, a Palavra que vier profeticamente com todo o poder criará a mudança dentro de você. Ela o unirá ao Senhor. Ela liberará o fluxo da vida de Deus para você por causa da sua abertura e adoração a Deus. Seu reconhecimento do senhorio de Jesus Cristo e sua adoração a Ele criam a atmosfera onde as Suas verdades vêm a ter significado para você. Quando você adora com ouvidos que ouvem e um coração que oferta, apresentando-se a Ele como um sacrifício vivo, Ele cria a transformação dentro de você bem nesse momento. Muitas pessoas têm descoberto Deus na atmosfera de adoração. Adoração é a atmosfera certa para milagres e para mudanças. Em várias ocasiões incrédulos viciados em drogas vieram ao culto, entraram em adoração, e saíram como filhos de Deus. Acima de qualquer discussão, acima de qualquer raciocínio, ultrapassando todos os processos mentais e emocionais, Deus alcança o espírito humano e diz: “Eu crio você agora! Viva em Minha presença!”

Romanos 16.20 diz que brevemente esmagaremos Satanás sob nossos pés. Você por acaso tem a sensação de que será difícil esmagá-lo, sendo ele tão grande como é? Como podemos nós, tão pequenos que somos, esmagar Satanás sob nossos pés? Nós podemos começar a profetizar uns para os outros. Ao profetizarmos, nos tornaremos maiores. Nós podemos ser pequenos para começar, mas quanto mais profetizarmos, menor ele parecerá. Quanto mais profetizarmos, mais criaremos a capacidade de entrar na majestosa grandiosidade de Deus. Em breve olharemos para baixo e diremos: “Pequeno Satanás, eu esmago você!” Este é o único modo disso ocorrer. Quem é suficiente para essas coisas? Nenhum de nós. Mas, ao profetizarmos a Palavra do Senhor uns para os outros, podemos nos tornar o maior ato criativo de Deus já acontecido em toda a eternidade.

Todas as coisas foram criadas pela Palavra de Deus (João 1.1-3). As eras foram formadas pela Palavra de Deus (Hebreus 11.3). Por isso, nós também cremos que somos um produto da Palavra de Deus. Deus tem ordenado que ministremos a Palavra uns para os outros para podermos crescer e nos tornar fortes. A maior força criativa no mundo de hoje — o mundo que ainda está limitado pela corrupção e pela futilidade — é a nossa profecia uns para os outros. A Palavra viva profética é a única coisa nova em nosso universo moribundo. Profetizar a Palavra do Senhor é a chave para toda a nova vida dos novos céus e da nova terra que virão à luz.

Profetizem uns para os outros; libertem uns aos outros — e vocês começarão a ficar fortes. Se você está oprimido numa determinada situação, se você se sente maltratado num relacionamento familiar ou de trabalho, em algo que parece maior do que você pode suportar, permaneça profetizando a Palavra do Senhor e ouvindo as profecias. Em breve você estará maior do que pensa, e quanto maior se tornar, mais objetivo você será a respeito de tomar domínio sobre toda situação. As circunstâncias não mudarão só porque você diz: “Vão embora circunstâncias!” Deus não quer que você simplesmente profetize libertação das circunstâncias. Nós precisamos ficar juntos e profetizar para nos tornarmos o poderoso exército do Senhor, para sermos mais do que vencedores!

O Senhor não está preocupado com o desaparecimento das circunstâncias e das forças hostis. Ele está interessado em que você se torne mais do que vencedor sobre elas! Ele talvez não as reduza. Pelo contrário, se Ele for fazer alguma coisa, pode ser que Ele as deixe até se tornarem um pouquinho maiores, mas com um só propósito: o de que você se torne ainda maior para vencê-las.

Seja mais que vencedor. Fale a Palavra do Senhor! Ouça a Palavra do Senhor e esteja aberto para ela. Você pode se tornar parte do maior ato criativo de Deus que já aconteceu, mesmo antes de haver mundo. Deus nunca criou antes algo tão grande quanto os filhos maduros que Ele está trazendo à luz nesta hora.

Você quer ser mais aberto e mais receptivo para o fluxo profético? Você quer uma unção mais forte sobre as suas profecias? Comece a perceber a criatividade por trás delas, pois você profetiza segundo a medida da sua fé (Romanos 12.6). Que Deus lhe conceda uma maior medida de fé — fé para criar, fé para vir a ser, fé para apropriar, fé para transferir. Você gostaria de despejar uma porção de coisas negativas para fora de sua vida? Ouça a Palavra. Imponha suas mãos sobre o sacrifício — Cristo.

Hoje, nesta era, todas as coisas que todos os sacerdotes e profetas chegaram a ver no passado estão vindo à luz. Por que ser levado a pensar que você precisa orar a noite toda acerca de algum problema? Apenas permaneça com fé e profetize a libertação. Como se resolvem todos os problemas? Simplesmente profetizando a força do Senhor uns para os outros até vocês se levantarem e esmagarem seus problemas. Você gostaria de pisar sobre Satanás e esmagá-lo sob seus pés até ele ser reduzido ao seu devido tamanho, o de um inimigo derrotado? Você gostaria de se tornar completamente o que Deus ordenou? mais que vencedor? Isto não acontecerá por seus próprios esforços. Isto virá pela Palavra do Senhor à medida que vocês a ministrem uns para os outros. Seja forte no Senhor e na força do Seu poder!

Palavra Vivente
Reino Net

 

voltar para Ensinos do Reino

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||