Lição 08 - Em Ação

SUMÁRIO:

O Espírito do Senhor o dirige se você está em movimento. A ociosidade destrói sua moral. Os que estão em movimento, aqueles que se dispõem e estão trabalhando, conseguem se livrar mais facilmente do desencorajamento. Os ocupados não têm tempo para ficarem desencorajados. Os que esperam são os que fracassam. Hb 3.12-19; 4.11; 5.12-14; 6.7-12; 10.21-25,32-39; 13.1-3,15-17,20-21 [Jo 13.6-17; Gn 24.27; Ef 2.10; Mt 5.16; Lm 3.27; Jo 13.35; 1Co 8.1].

Você quer aprender como acabar com os períodos de desencorajamento? É do mesmo modo como adentrar na plenitude do Senhor. Já há algum tempo tenho notado que existe uma ligação entre encorajamento e atividade: as pessoas mais deprimidas são provavelmente as mais ociosas. Você já notou como, depois de passar vários dias sem fazer nada, você se sente desencorajado? Há sempre uma ligação entre sua atividade e o estado de ânimo que você mantém. Quando ficar desencorajado, contra-ataque com atividade.

Cedo neste caminhar com Deus eu aprendi que nem sempre conseguia romper em grandes vitórias do Senhor passando longas horas de joelhos, orando. Freqüentemente eu ficava andando de um lado para o outro, invocando o Senhor quanto a situações que eu sabia que precisa mudar. Eu geralmente conseguia eliminar a frustração e o desencorajamento levantando peso. Essa atividade física vigorosa sempre surtiu efeito em mim, quebrando definitivamente aquele estado de ânimo que pairava sobre mim.

Nós estamos sob ataque demoníaco porque estamos na conclusão da batalha das eras. O capítulo final da Era da Igreja e o inicial da próxima era estão sendo escritos. Neste presente conflito, é natural que combatamos com mais freqüência o inimigo. Haverá vezes nas quais as batalhas serão tão persistentes e amargas que o cristão, humano como é, não saberá como apropriar da graça de Deus para se sustentar.

Quando o cansaço vier sobre ele a ponto de um desencorajamento profundo, ele vai precisar saber como aliviá-lo. Efésios 2.10 enfatiza que fomos criados, em Cristo Jesus, para boas obras. Nós precisamos sentir que as obras nas quais estamos para entrar são o cumprimento do nosso destino. Elas são também o meio pelo qual irrompemos num crescimento, irrompemos no caminhar da filiação.

É preciso que a adoração e a fé estejam em tudo o que você fizer. Estes dois elementos não podem ser separados, senão essas obras se tornarão tão trabalhosas e entediantes que você ficará desencorajado. E do mesmo modo, se não trabalhar, você ficará desencorajado. Precisa haver esta combinação para que você possa adentrar, com verdadeira fé, nas obras que Deus coloca à sua frente. Não as encare meramente como um trabalho; deixe que elas se tornem uma expressão do seu fardo e da sua fé pelos profetas que Deus está levantando nesta hora.

Esta visão pela Escola de Profetas é muito necessária. Vamos ser diligentes para ensinar homens e mulheres famintos a serem ministros eficazes da Palavra de Deus. É preciso haver mais oportunidades para que eles se reúnam para ensino e treinamento. Mil profetas aprenderão coisas que, de outra forma, nunca teriam aprendido com tanta rapidez, porque alguém imparte para eles, os coloca no caminho, exige deles dedicação e os disciplina no culto ao Senhor. Este é o modo pelo qual eles conseguem adentrar na maturidade.

As Escrituras nos ensinam: “Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade”(Lamentações de Jeremias 3.27). Quando alguém tem um verdadeiro desejo de avançar com Deus, nós não devemos esperar que ele tenha uma revelação completa para então encorajá-lo a combinar a revelação que tem com uma ação diligente. O obreiro diligente nunca está distante de mais rompimentos espirituais. Mas aquele que é lento para fazer a vontade de Deus está mais distante dos rompimentos do que imagina porque, primeiro, ele precisa romper com os estados de ânimo e outros obstáculos para então poder ser obediente. O preguiçoso está sempre cansado; a pessoa que não paga o dízimo nunca tem condições de dar.

Sua capacidade de fazer a vontade de Deus aumenta à medida que você se coloca em movimento. Você cresce após ter chegado ao seu limite, quando precisa estender a lança e espetar o favo de mel para poder terminar o dia destruindo filisteus (1 Samuel 14). Quando você chegar a um estado de cansaço tal, quase ao ponto deste o dominar, aproprie-se do descanso do Senhor. Não se desencoraje com o trabalho nem tente evitá-lo ou fugir dele. Quando já tiver trabalhado quase ao ponto de desencorajamento, eleve seu coração ao Senhor e aproprie Dele algo que você nunca tinha tido! Quando você expande sua capacidade para apropriar Deus em sua necessidade, você cresce.

Toda doença séria pode atingir um ponto crítico no qual a pessoa ou morre ou se recupera. Todavia, os processos que normalmente são deixados a cargo do tempo, podem ser ultrapassados induzindo-se uma crise. Semelhantemente, você induz uma crise espiritual quando sente que chegou ao ponto de não ter sobrado mais nada para dar — aí, no momento em que você se vê forçado a se estender ao Senhor buscando mais graça, sua capacidade por Deus aumenta. Isto não significa esgotar-se além de sua capacidade física. Entretanto, pode haver, a cada dia, um impulso consistente que excede o que sua mente crê ser possível.

O livro de Hebreus, mais do que qualquer outro livro da Bíblia, com exceção de Romanos, trata das profundas doutrinas e ensinamentos das Escrituras. Ele fala das promessas e provisões de Deus pelas quais aparentemente pouco podemos fazer para levar a efeito: o melhor sacrifício, a melhor aliança, o melhor santuário, as melhores promessas. Todavia, misturadas a estas questões, estão muitas passagens fantásticas que nos incitam a fazer a vontade do Senhor; não apenas a ouvirmos e aceitarmos uma doutrina, mas também agirmos sobre ela.

Os capítulos 3 e 4 de Hebreus nos falam acerca da promessa, para o cristão, de entrar no descanso de Deus. Como nossas obras se relacionam com o descanso que Deus promete ser nosso? “Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo; pelo contrário, exortai-vos mutuamente cada dia, durante o tempo que se chama Hoje, a fim de que nenhum de vós seja endurecido pelo engano do pecado. Porque nos temos tornado participantes de Cristo (devemos entrar e participar de Cristo), se, de fato, guardarmos firme, até ao fim, a confiança que, desde o princípio, tivemos. Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração, como foi na provocação. Ora, quais os que, tendo ouvido, se rebelaram? Não foram, de fato, todos os que saíram do Egito por intermédio de Moisés? E contra quem se indignou por quarenta anos? Não foi contra os que pecaram, cujos cadáveres caíram no deserto? E contra quem jurou que não entrariam no seu descanso, senão contra os que foram desobedientes? Vemos, pois, que não puderam entrar por causa da incredulidade” (Hebreus 3.12-19).

A desobediência pode vir de duas formas: um homem é desobediente se faz o que a Palavra diz que ele não deve fazer; mas também é desobediente se deixa de fazer o que Deus lhe diz para fazer. Por causa de alguma fraqueza da carne, você pode fazer o que Deus lhe diz que não deve. Mas, às vezes, a desobediência mais mortal é conhecer a vontade de Deus e, mesmo assim, não fazê-la. Isto é, estritamente falando, incredulidade — e as Escrituras rotulam isto como um tipo de desobediência. Os filhos de Israel foram desobedientes porque não fizeram o que Deus lhes disse para fazer.

“Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia, segundo o mesmo exemplo de desobediência” (Hebreus 4.11). Que exemplo de desobediência? O que os filhos de Israel fizeram de errado no deserto? Não foi só o que eles fizeram de errado, mas também o fato de não terem feito o que supunha-se deveriam fazer. Eles não deram o passo de fé.

Quando você der um passo de fé para fazer a vontade de Deus com todo o coração, Deus o fará passar por testes. Na hora, você talvez queira saber por que ninguém o compreende nem aprecia seus esforços. Você pode pensar: "As outras pessoas estão se aproveitando, tirando vantagem da minha natureza boa e da minha disposição para o trabalho." Isto parece ser verdade porque todo líder lançará uma tarefa sobre aquele que está disposto, sobre todo aquele que toma a iniciativa de fazê-la. É claro que um líder irá tirar vantagem de um coração voluntário. Mas eu reparei que Deus também!

O homem que tem um "comichão" para pregar não cresce com a mesma rapidez dos que se determinam a servir. Por quê? Porque talvez ele fuja das tarefas humildes para fazer a única que quer, aquela que o deixa feliz. Mas esta não é a resposta. O ministério que realmente é eficaz não passa a vida com o dedo enfiado na Bíblia, esperando abri-la para pregar. Os sermões que eu recebo e que tocam mais os corações das pessoas vêm enquanto estou em movimento. Existem aqueles que defendem o uso da meditação e da introspecção silenciosa para poder ouvir do Senhor. Meditação é uma coisa boa, mas por que não meditar depois de ter recebido uma Palavra do Senhor?

Muitas vezes Deus fala como fez com Eleazar, quando ele estava a caminho com os camelos para encontrar uma noiva para Isaque. Ele disse: "Eu estava a caminho, e o Senhor me guiou" (Gênesis 24.27). Ele estava se movendo. A melhor forma para se descobrir a direção do Senhor é estar em movimento. Você nunca verá um guarda de trânsito orientando carros estacionados. Os carros em movimento são os que ele orienta. Quando estamos espiritualmente em movimento, o Espírito do Senhor é fiel para nos guiar na direção certa.

Faça a vontade do Senhor. Se ninguém lhe der nada para fazer, busque ao Senhor e chateie seus líderes. Peça-lhes para mostrar o que você deve fazer na vontade do Senhor. Pode ser que eles lhe dêem um trabalho monótono, o que lhe mostrará que tipo de espírito está em você. Antes do dia terminar Deus terá lhe falado acerca de seu espírito mais do que Ele poderia se você não tivesse feito nada.

Sem sombra de dúvida, são as pessoas que estão em movimento as que Deus pode guiar ao passo seguinte. Portanto, mãos à obra! A ociosidade destrói o espírito e a moral das pessoas. As mulheres que não têm nada para fazer a não ser telefonar umas para as outras criam problemas numa igreja. Famílias ociosas deveriam ser encorajadas a entrar em ação.

Uma outra passagem em Hebreus nos mostra como a maturidade vem: “Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal” (Hebreus 5.12-14).

A maturidade não acontece automaticamente. Se você esperar até estar inteiramente desenvolvido e maduro para poder agir, você nunca fará nada. A maturidade vem do exercício consistente a cada nível. Será que pode haver crescimento sem ação sobre uma Palavra? Sempre que você deixa de agir na Palavra de Deus, você está com problemas.

Você tem de fazer a vontade do Senhor. Podem existir coisas em sua igreja das quais você não gosta, mas não se negue a se envolver por causa delas. Treine constantemente a si mesmo para deixar de lado as coisas que fariam sua mente tropeçar e talvez até o fizessem se afastar do Senhor. Ao contrário, focalize em fazer aquilo que você entende. Quando tiver uma direção do Senhor para fazer algo, obedeça. Dê um passo ativo para seguir a Sua Palavra, e creia que Deus irá realizar a Sua vontade perfeitamente através de você.

“Porque a terra que absorve a chuva que freqüentemente cai sobre ela e produz erva útil para aqueles por quem é também cultivada recebe bênção da parte de Deus; mas, se produz espinhos e abrolhos, é rejeitada e perto está da maldição; e o seu fim é ser queimada. Quanto a vós outros, todavia, ó amados, estamos persuadidos das coisas que são melhores e pertencentes à salvação, ainda que falamos desta maneira. Porque Deus não é injusto para ficar esquecido do vosso trabalho e do amor que evidenciastes para com o seu nome, pois servistes e ainda servis aos santos. Desejamos, porém, continue cada um de vós mostrando, até ao fim, a mesma diligência para a plena certeza da esperança; para que não vos torneis indolentes, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas”(Hebreus 6.7-12).

Existe alguma frutificação fora do exercício da fé? Você tem de produzir aquelas coisas pertencentes à salvação (ou, que acompanham a salvação). Deus não Se esquece; Ele sempre Se recorda do fato de que você tem servido e serve aos Seus santos. Quando passar por situações difíceis, tudo o que você tem a fazer é se levantar, ir em frente e fazer a vontade do Senhor. Existiram períodos em minha vida nos quais experimentei coisas que não conseguia compreender. Mesmo assim, foram períodos de grande crescimento, pois eu conhecia o bastante para buscar do Senhor uma Palavra e depois pregá-la ao povo. Às vezes eu não sabia como aplicá-la plenamente ao meu próprio coração, mas fazia o máximo para guiar o povo naquela Palavra. Dessa forma eu me tornei mais maduro e aprendi como aplicar a Palavra para mim mesmo.

Um bom servo talvez não entenda sempre todas as direções do Senhor, mas ele precisa obedecê-las. Pedro provavelmente não entendeu o que Jesus estava fazendo quando lavou seus pés (João 13.6). Envergonhado com aquilo, ele protestou: "Ah, não, Você nunca lavará os meus pés." Então o Senhor lhe respondeu: "Então você não tem parte Comigo." Aí Pedro quis se mostrar disposto e foi para o outro extremo: "Então lave a minha cabeça e os meus pés!" Mas Jesus replicou: "Não, só os pés."

Depois de ter lavado os pés dos discípulos, Jesus lhes disse: "Se vocês conhecem estas coisas, serão bem-aventurados se as praticarem." Quando você conhecer a Palavra, pratique-a. Seu entendimento pode não ser completo, mas pelo menos você entende o suficiente para obedecê-la. Aja imediatamente; não a questione na mente ou no coração. "Se vocês conhecem estas coisas, serão bem-aventurados se as praticarem." Se você não as praticar, um peso virá sobre seu espírito. E este peso pode ser destrutivo. Neemias 8.10 diz que a alegria do Senhor é a nossa força; portanto, precisamos descobrir um modo de nos livrarmos do peso e apropriarmos a alegria do Senhor. Pessoas alegres são pessoas ativas; elas estão sempre se movendo na vontade do Senhor. O autor de Hebreus adverte: "Não seja indolente; mostre a mesma diligência até o fim."

O livro de Hebreus contém doutrinas difíceis de se compreender, mas o autor nos deixa claro que uma doutrina só funciona quando acompanhada de ação. Nunca leia uma passagem das Escrituras sem agir sobre ela. Não a aceite apenas como uma teoria. Por exemplo, João 13.35 é uma passagem boa e digna de ser citada: “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros”. Quando a ler, faça alguma coisa com ela. Determine-se a demonstrar seu amor, a demonstrar seu discipulado.

Os capítulos 8, 9 e 10 de Hebreus falam da nova aliança, do sacerdócio e do sacrifício. Nós lemos no capítulo 10: “…e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e lavado o corpo com água pura. Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel” (vs. 21-23).

Os rituais do sacerdócio na bacia de bronze são símbolos da nossa purificação. Depois que nossos corações são purificados de uma má consciência e nossos corpos lavados com a água pura, nós deixamos o altar do sacrifício queimado e adentramos no Santo Lugar. Imagine-se estando ali, naquele lugar santificado, com a mesa dos pães da proposição e o candelabro. À nossa frente, no Santo dos Santos, está o altar de incenso. Tudo é lindo. Nós passamos pelo processo de purificação e agora podemos permanecer na presença do Senhor. Que Palavra profunda Deus nos falará neste estado espiritual santo e elevado? “Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras”. (Depois de atingir este estado elevado e sublime, o que você deve fazer? Estimular seu irmão ao amor e às boas obras!) “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima” (Hebreus 10.24-25).

“Lembrai-vos, porém, dos dias anteriores, em que, depois de iluminados, sustentastes grande luta e sofrimentos; ora expostos como em espetáculo, tanto de opróbrio quanto de tribulações, ora tornando-vos co-participantes com aqueles que desse modo foram tratados. Porque não somente vos compadecestes dos encarcerados, como também aceitastes com alegria o espólio dos vossos bens, tendo ciência de possuirdes vós mesmos patrimônio superior e durável. Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão.” (Será que isto quer dizer que se você se agarrar com fé e não se desencorajar, depois de um tempo irá dar resultado? Não, o galardão não se baseia naquilo a que você se agarra em sua mente.) “Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa. Porque, ainda dentro de pouco tempo, aquele que vem virá e não tardará; todavia, o meu justo viverá pela fé; e: Se retroceder, nele não se compraz a minha alma. Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma” (Hebreus 10.32-39).

As promessas se cumprem quando as pessoas crêem e agem em cima delas. Elas são tão obedientes quanto conseguem ser ao que Deus lhes diz para fazer. Aja sobre o que Deus colocar à sua frente! Ande nisto com todo seu coração!

É impressionante como as Escrituras, principalmente essas de Hebreus, revelam verdades maravilhosas e, a seguir, as amarram a uma aplicação prática. “Seja constante o amor fraternal. Não negligencieis a hospitalidade, pois alguns, praticando-a, sem o saber acolheram anjos. Lembrai-vos dos encarcerados, como se presos com eles; dos que sofrem maus tratos, como se, com efeito, vós mesmos em pessoa fôsseis os maltratados” (Hebreus 13.1-3).

Que direção linda: "Faça alguma coisa! Estenda-se sempre para ajudar!" Embora satisfaça o ego aparecer com uma revelação profunda, lembre-se do que 1 Coríntios 8.1 diz: "O saber ensoberbece." Mesmo revelações espirituais podem tornar uma pessoa arrogante. Um jovem ministério que adentre em discernimento e revelação espirituais precisa aprender que ele não tem de impressionar ninguém. Ele precisa cortar as frivolidades que podem parecer profundas e ministrar algo prático, de tal forma que o Senhor seja glorificado. O seu foco deve ser glorificar ao Senhor, não a si mesmo. Como um farol sobre um monte, ele segue o que Mateus 5.16 prescreve: “ Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”. É o Pai quem deve receber toda a glória.

“Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome. Não negligencieis, igualmente, a prática do bem e a mútua cooperação; pois, com tais sacrifícios, Deus se compraz”. Você gostaria de se levantar e adorar a Deus o dia todo? Eu sou a favor das pessoas passarem tanto tempo louvando a Deus com suas bocas quanto passam trabalhando com suas mãos. “Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros” (Hebreus 13.15-17).

Os versículos a seguir contêm uma das mais profundas bênçãos da Bíblia: “Ora, o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da eterna aliança, vos aperfeiçoe em todo o bem, para cumprirdes a sua vontade, operando em vós o que é agradável diante dele, por Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo o sempre. Amém!” (Hebreus 13.20-21)

À medida que nos tornamos dedicados a fazer a Sua vontade, as portas da frutificação se abrem em nossa vida. Quando agimos sobre a Sua Palavra, nós acionamos o gatilho da nossa fé. Às vezes você diz: "Eu cri, por isso agi." Mas, em outras ocasiões, você age e depois crê.

A fé tanto é gerada quanto aumentada pela ação obediente à uma Palavra que Deus dá.

Você começa com um pouquinho de fé, mas, à medida que vai avançando e a batalha vai ficando mais dura, você fica tentado a dizer: "Se, quando comecei, eu soubesse que seria assim tão difícil, eu talvez não tivesse respondido ao chamado de Deus." Faça uma retrospectiva. Se você tivesse sabido com antecedência o que Deus lhe exigiria, você seria diligente para fazer a Sua vontade? É claro que, agora, você não quer retroceder, mas se você tivesse sabido antes o que sabe agora, provavelmente você não faria a vontade de Deus. Você ficaria muito desencorajado. Quando você começou a caminhar com Deus, Ele não lhe disse tudo o que, eventualmente, seria exigido de você pois, naquela época, você não tinha fé suficiente. Mas, à medida que você foi avançando, sua fé foi aumentando por causa de sua obediência. A frutificação veio por causa da obediência. Você avançou no que Deus disse e, porque fez a vontade do Senhor, você cresceu. Portanto, agora, você não poderia mais ser persuadido a voltar atrás.

“Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal”(Hebreus 5.14).

Toda experiência vem pela prática. Todas as faculdades espirituais são desenvolvidas, expandidas e amadurecidas por sua obediência. Sua ação sobre a Palavra de Deus faz com que sua fé cresça e se desenvolva.

Você quer ser um homem de Deus? Você quer ser uma serva do Senhor? Então vá trabalhar. Sempre trabalhe com uma percepção do que você está realizando. Não é o número de ergs de energia que você despende que o torna um filho maduro de Deus. Antes, quando você se determinar no Senhor a fazer o que Ele (ou alguém sobre você no Senhor) o tiver comissionado a fazer, sua fé será desafiada, e será liberada. Eu não conheço nenhum caminho mais fácil para você se tornar um homem ou mulher de Deus do que fazer a vontade do Senhor. Deus tem colocado muita coisa à nossa frente para realizarmos e, ao adentrar nisso, seu ministério crescerá. Você talvez ainda não esteja ciente da transformação em si mesmo, mas outros a verão.

As pessoas que fracassam são aquelas que se recusam a servir. Não são aquelas com "comichão de pregador" que realmente alcançam o ministério. As que são bem sucedidas nisto são aquelas que se apresentam como sacrifícios vivos, dispostas a fazer qualquer coisa.

Nós abrimos nossos corações para ajudar uns aos outros. Não pode haver interesse próprio algum. Nós estamos nos tornando servos uns dos outros. Nosso desejo não é por uma posição ou por segurança, mas simplesmente por uma oportunidade de servir. Nós estamos aprendendo o caminho para a plenitude de Deus.

Palavra Vivente
Reino Net

 

voltar para Ensinos do Reino

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||