Lição 11: Nossa Adoração

Nesta lição estudaremos alguns pensamentos a respeito da nossa adoração ao Senhor. Em cada fase da vida, descobrimos que os homens têm uma sistemática para as suas ações. Eles edificam hábitos que são construtivos. Todos nós planejamos comer em intervalos regulares, temos certas horas para trabalhar e certo tempo para dormir. Todavia, nossa adoração e culto ao Senhor nosso Deus são, muitas vezes, espasmódicos e dependentes dos caprichos do momento.

Deve entristecer o Senhor o fato de que o momento mais importante de nossas vidas é, muitas vezes, neglicenciado,e, algumas vezes, inteiramente esquecido.

Uma fonte de bênção para todo filho de Deus é estabelecer uma sistemática para sua vida devocional. A Palavra de Deus nos admoesta a investir tempo em nos tornarmos santos. Daniel recebeu muitas revelações maravilhosas e visões de Deus e sua vida de oração era diligente porque três vezes ao dia ele orava.

Todas as verdades destas lições podem não ter benefício nenhum, a não ser que, diariamente, tenhamos um tempo para encontrar com nosso Pai no secreto da oração e ali comungar com Ele.

Nossos estudos sobre a Palavra de Deus também, muitas vezes, são deixados aos nossos caprichos. Se pudéssemos planejar ler uma porção da Bíblia diariamente, após um período de oração, descobriríamos que o Espírito Santo de Deus abriria as Escrituras para os nossos corações e estas bênçãos se tornariam uma realidade em nossas vidas.

Outro hábito a ser cultivado é o de ações de graças. Devemos tentar parar e agradecer a Deus por todas as bênçãos que Ele traz às nossas vidas.

Poucos cristãos hoje apreciam plenamente o privilégio da oração. Nos tempos antigos, lemos que os homens traziam ao Tabernáculo ou ao Templo as ofertas de sacrifício pelos seus pecados, e, ali, eles precisavam de ter um homem santo, um sacerdote que levasse suas ofertas ao Senhor. Os homens não podiam chegar a Deus ousadamente, por causa do pecado em seu coração. No Templo havia um longo véu (às vezes chamado cortina), que separava o Lugar Santo do Santo dos Santos. Dentro do Santo dos Santos estava a Arca da Aliança, que representava a Presença de Deus. Ninguém tinha acesso a Deus, exceto o Sumo Sacerdote, que podia entrar no Santo dos Santos um dia por ano, para fazer expiação pelos pecados do povo de Deus. Entretanto, quando Jesus morreu, lemos que tudo isto foi mudado.

"E Jesus, chamando outra vez com grande voz, entregou o espírito. Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes, de alto a baixo: tremeu a terra, fenderam-se as rochas," - Mateus 27:50-51.

Quando Jesus morreu na cruz, Ele morreu para nos dar uma vez mais o acesso ao trono de Deus que a humanidade perdeu pelo pecado. Que maravilhosa oportunidade do cristão! Agora, pelo nome de Jesus, nós podemos chegar a Deus, não com medo e temendo que o julgamento de Deus caia sobre nós pelas nossas iniqüidades, mas com confiança e fé, sabendo que Jesus morreu para nos dar acesso a Deus. Jesus foi um tipo daquele sacerdote, Sumo Sacerdote do Velho Testamento, que entrava no Santo dos Santos uma vez por ano no dia da expiação.

 "Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como  grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, antes foi ele tentado em todas as cousas, à nossa semelhança, mas sem pecado. ACHEGUEMO-NOS, PORTANTO, CONFIANTEMENTE, JUNTO AO TRONO DA GRAÇA, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna" - Hebreus 4:14-16.

Quando Jesus, nosso Sumo Sacerdote, morreu na cruz, o véu no Templo foi rasgado. Deus o rasgou de cima a baixo e agora todos podemos entrar diretamente na presença de Deus, sem o véu separando o Pai:

"Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo  os corações purificados de má consciência, e lavado o corpo com água pura" - Hebreus 10:19-22.

Vemos, por esta passagem da Bíblia, que através de Jesus Cristo, de Sua morte na cruz, somos impelidos a chegar ousadamente ao grande Deus dos céus e da terra, para que possamos receber graça para nos ajudar em tempo de necessidade. As bênçãos da Palavra de Deus são nossas através do nome de Jesus (Atos 4:12). Só Ele é a nossa fonte para Deus.

Numa lição anterior tivemos algumas das promessas através do nome de Jesus em oração. Vamos rever três delas aqui:

"E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho" - João 14:13.

"Se me pedirdes alguma cousa em meu nome, eu o farei"  - João 14:14.

"Respondeu-lhes Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim" - João 14:6.

REVISÃO DA LIÇÃO

1.   Relacione as sugestões feitas em relação à adoração a Deus.
2.   Através de que nome devemos orar? 
3.   Qual o nome que nos dá verdadeiro acesso ao trono de Deus?

Palavra Vivente
Reino Net

 

voltar para Doze Chaves

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||