05. Sabedoria e Provérbios sobre o MEDO

O QUE É O MEDO?

“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem... Pela fé Moisés, apenas nascido, foi ocultado por seus pais, durante três meses, porque viram que a criança era formosa; também não ficaram amedrontados pelo decreto do rei... Pela fé Moisés abandonou o Egito nem ficou amedrontado pela cólera do rei; antes permaneceu firme como quem vê aquele que é invisível”. (Hebreus 11:1, 23, 27).

O medo tem mil formas: Insuficiência, falsa culpa e sentimento de incapacidade. Isso é o medo. Na verdade, o medo é o oposto da fé. A fé confia em Deus, o medo não confia em Deus, certo? O medo é uma fé negativa, é incredulidade. O medo também faz com que você não creia em si mesmo, naquilo que você já é em Deus. Você não pode confiar em si mesmo, se está com medo. Quando há medo em seu coração, você fica congelado. A fé confia em Deus para se tornar um canal. Você acorda cansado, pela manhã, caso não tenha fé. O medo congela você, poda sua iniciativa. Não tenha medo de enfermidades, aflições ou coisas deste tipo. Rejeite o desânimo e pensamentos negativos de que não fez nada útil. Diga: “Eu estou aqui por um propósito. Estou aqui para a vida”. Levante-se, enfrente as diversidades no nome do Senhor.

Não se trata apenas de se livrar de aflições. Nós vamos lidar com o medo. Estamos nos apropriando de cura para servirmos a Deus. Vamos dar a Deus o que Ele deseja. Vamos estabelecer uma nova forma de vida. Uma vida dinâmica, vida de fé. Não vamos deixar de fazer as coisas por causa do medo. Grite! Mova-se em fé! Você pode errar, mas isso não irá fazer a coisa se perder. Pois, por uma profecia, tudo voltará a seu curso correto.

Nós nos submetemos a muitas coisas por causa do medo.

“Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse todos que, pelo medo da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida”. (Hebreus 2:14, 15).

Vamos nos livrar do medo, em todas as suas formas. O inimigo usa o medo para nos condicionar, fazendo com que não nos movamos e confiemos naquilo que o Senhor está fazendo. Precisamos ter fé e confiança na Palavra do Senhor. Vamos agir na Palavra que o Senhor deu. “Este é o dever de que te encarrego, ó filho Timóteo, segundo as profecias de que antecipadamente foste objeto: combate, firmado nelas, o bom combate...”. (1 Timóteo 1:18).

Existe aquela velha forma de pensar: “Recebemos do Senhor o que realmente merecemos”. Vamos destruir este pensamento negativo. Libere sua fé positiva nas promessas do Senhor. Vamos ser filhos dirigidos por Deus, totalmente guiados pelo Espírito. Confie no que o Senhor já lhe deu.

ONDE HÁ AMOR, NÃO HÁ MEDO NOS RELACIONAMENTOS.

O amor lança fora todo o medo; 1 João 4:18. O medo toma conta de nossos relacionamentos quando não temos amor. O amor traz abertura e confiança, o que dissipa o medo nos relacionamentos. Mas o medo preenche o vácuo onde não há amor. Se você não tem amor, o medo encherá este vácuo. E, este medo tem a capacidade de repelir as pessoas – pela insegurança ou intimidação -, afastando as pessoas de si, escondendo-se do relacionamento.

O medo e a insegurança são um apetite que nunca é satisfeito, não importa quantas vezes uma coisa seja reafirmada para que a pessoa acredite

A NEGATIVIDADE E O MEDO SUFOCAM A CRIATIVIDADE E A INICIATIVA DA FÉ.

O medo tem sufocado a criatividade. Deus não se agrada disso. O Evangelho do Reino já foi escrito. Não vamos nos lamentar, achando que deveríamos ter feito isso ou aquilo. Nós fizemos o que tinha de ser feito. O medo drena a fé. Note que Pedro, pela fé na Palavra do Senhor, andou sobre as águas. Quando o medo entrou no seu coração, sua fé foi drenada; Mateus 14:30. O medo também é a causa do dreno sobre a nossa iniciativa; Lucas 19:21.

Libere a iniciativa da fé e tome posse da vitória.

Tudo, daqui para sempre, será um combate. Cada reunião (culto) será um combate. Esta é a razão de temos as mensagens: “Comunicados de Combate”, que são provérbios do Reino, resumos de palavras que vêem. Por isso eu digo: permaneçam na linha de frente. Perseguiremos o inimigo desta forma.

Nós recebemos a Palavra, por isso devemos permanecer agressivos e confiantes. A nossa confiança será o sinal, a evidência, da derrota de nossos inimigos. Que não haja mais em nós nenhuma negatividade. Toda palavra terá uma fé positiva. Entre na batalha com fé! Os cristãos enfrentaram isso, na Igreja Primitiva. Eles tiveram fé para se tornar mártir. “E que mais direi? Certamente, me faltará o tempo necessário para referir o que há a respeito de Gideão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas, os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões, extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros. Mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos. Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição; outros, por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prisões. Foram apedrejados, provados, serrados pelo meio, mortos a fio de espada; andaram peregrinos, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da terra”. (Hebreus 11:32-38).

“... porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus?” 1 João 5:4, 5.

Esta é a única batalha que precisamos travar: a batalha da fé. Seremos medrosos? Teremos medo, ou teremos fé? A vitória que vence o mundo é a nossa fé. Vamos decidir ter fé. Então será apenas uma questão de aplicarmos a vitória de Cristo. Porque Cristo já venceu por nós esta batalha! Só precisamos permanecer nela.

Sem fé é impossível agradar a Deus. Vamos ter a coragem da fé. Nossa fé deve ser sem medo. Nós não violaremos nossa dedicação à fé. Não violaremos nossa dedicação por causa do sentimento de medo. Não pecaremos contra o Senhor por causa do medo. Vamos andar em tudo o que o Senhor tem nos falado.

Não alimente o medo, adube a fé.

 “Temendo, pois, Elias, levantou-se, e, para salvar sua vida, se foi, e chegou a Berseba, que pertence a Judá; e ali deixou o seu moço. Ele mesmo, porém, se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte e disse: Basta; toma agora, ó SENHOR, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais. Deitou-se e dormiu debaixo do zimbro; eis que um anjo o tocou e lhe disse: Levanta-te e come”. 1 Reis 19:3-5.

Às vezes pensamos: “Bem, eu deveria ter feito melhor isso e aquilo”. Na verdade, nós nos sentamos e ficamos lamentando. Isso acontece porque não vemos os fatos como eles verdadeiramente são. Por isso surge a negatividade em nossos espíritos e pensamentos.

Não devemos nutrir estes pensamentos negativos, o medo. Devemos, sim, adubar a nossa fé. Não vamos nos lamentar, vamos agir por fé no tempo presente. Este é o dia que o Senhor criou. Temos que apropriar de um “condicionamento de fé”, de forma que sempre venhamos a reagir com fé, agressivos e positivos com relação a todas as coisas. Deveríamos dizer: “Bem, que importa. Eu posso fazer a coisa em apenas cinco minutos, pois Deus pode operar um milagre”.

A razão desta negatividade é que nós ainda estamos avaliando todas as coisas de acordo com os nossos próprios juízos, segundo nossos próprios pensamentos e no quanto nós podemos realizar para Deus. Daí surge um senso negativo de responsabilidade, de que não estamos sendo agradáveis ao Senhor. Pelo senso negativo de responsabilidade e culpa que podemos ter, pensamos que devemos dar algo mais ao Senhor. Precisamos entender que não é a quantidade que Deus quer de nós. Ele quer a qualidade do nosso serviço. O “Cântico de Ana” fala que “o Senhor é o Deus da sabedoria e pesa todos os feitos na balança”1 Samuel 2:3b. Deus não irá nos medir pela quantidade de trabalho ou obras que podemos fazer em um dia. Ele irá nos medir pela qualidade do que fazemos. O Senhor pesa todos os feitos na balança, para saber se há o ouro naquilo (1 Coríntios 3:11-13). Deus não se importa no quanto somos inteligentes ou não. Aqueles que pensam que têm todas as respostas e são auto-suficientes, trarão algo inferior ao Senhor, algo menor do que o Senhor tem buscado.

É por isso que precisamos de revelação. Não devemos criar um plano mental do que devemos fazer. Não adianta fazer um quadro, um planejamento exato. Faça apenas uma lista de prioridades do que o Senhor quer de nós, do que vamos fazer nos cultos e como um Corpo. Precisamos dar a Deus o que Ele quer realmente, segundo sua perfeita vontade. Podemos dar os nossos corpos a Deus, mas isso não é o suficiente, lembra disso? (1 Coríntios 13:3). Você precisa dar ao Senhor o que Ele quer, não o que você pensa que Ele quer e que é bom - por causa do senso de responsabilidade e culpa.

A questão é que não estamos nos relacionando no nível de unidade suficiente com o Senhor. Freqüentemente temos o sentimento de que não estamos fazendo tudo o que devíamos. Então, pensamos que não estamos fazendo nada. Disso surge a falsa culpa e negatividade – a negatividade da responsabilidade. Isso acontece porque temos uma abordagem negativa das coisas. Daí a necessidade de desenvolvamos uma abordagem positiva dos fatos. Este é o dia que o Senhor criou. Vamos nos reunir, nos cultos, com alegria e gozo, tendo uma abordagem positiva em tudo o que fazemos para o Senhor e uns com os outros. Não importa o que você tenha que fazer - faça com gratidão. “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus”. (1 Coríntios 10:31). Vamos fazer tudo com alegria, e mais alegria: “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, alegrai-vos”. (Filipenses 4:4). “Regozijai-vos sempre... Em tudo, daí graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (1 Tessalonicenses 5:16, 18).

Observamos na epístola aos Filipenses, como Paulo tinha uma abordagem positiva de todos os fatos que ocorriam, com alegria, regozijo, gozo e amor. Veja as seguintes passagens: Filipenses 1:18, 21; 2:14; 3:1a.

Na verdade, estamos perdendo algo muito importante no nosso caminhar com Deus, por não sermos positivos na abordagem do nosso caminhar com Ele. Quanto à abordagem de nosso caminhar com Deus, vamos ser positivos. Vamos ser dirigidos pelo Senhor em nosso dia-a-dia. Nada nos drenará. Será que vamos gerar o nosso dia, ou vamos ser vítimas das circunstâncias? Vamos acabar com o medo! O medo congela e drena a energia que temos recebido do Senhor. O medo incapacita você. Você não consegue fazer nada por causa do medo. Mas a fé abre o canal para a plenitude de Deus.

O marido olha para a esposa e pensa: “Ah, minha esposa... não sei, não!” Esta abordagem é uma atitude negativa. A fé não nasce neste tipo de clima. Adube a fé e ela crescerá. Destrua o foco negativo das coisas.

A fé é a rocha que nos torna inabaláveis contra o assalto do medo

Sendo Jesus interrogado pelos fariseus, sobre quando viria o reino de Deus respondeu-lhes: “O Reino de Deus não vem com aparência exterior, nem dirão: ei-lo aqui, ou ei-lo ali, pois o Reino de Deus está dentro de vós”. Lucas 17:20-21.

Muitos têm sido abalados em sua fé porque têm julgado o Reino pelas aparências. A Palavra nos mostra que ele não vem com visível aparência, nem podemos dizer que ele está aqui ou ali. É preciso haver uma revelação aos nossos corações e uma testificacão interior para que o Reino de Deus seja uma realidade para nós. Essa realidade começa a acontecer à medida que caminhamos mais para dentro do Reino. A nossa fé deve permanecer na Palavra que está dentro de nós.

Temos percebido que estamos entrando num tempo em que seremos totalmente guiados pela fé e talvez esta seja a razão da grande batalha espiritual em que estamos entrando (1 Tm 6:12 – “Combate o bom combate da fé...”). Nenhum encorajamento virá do ambiente, das circunstancias ou do que vemos ao nosso redor. As nossas necessidades naturais ou espirituais serão atendidas pela manifestação da nossa fé.

Uma das maiores manifestações de incredulidade é o medo. As circunstâncias vêm para testar a fé e, se tivermos medo em nossos corações, com certeza seremos atormentados pelos problemas ou pelas circunstâncias. E nossa fé fraquejará. Um caminhar com Deus não é uma mistura de medo e fé. Precisamos crer absolutamente em Deus e sermos movidos pela Sua Palavra. E isto que nos faz caminhar com Ele. Quando andamos com Deus sem medo, sem reservas ou retrocesso, teremos como resultado alegria intensa e refrigério.

Nestes dias de batalha só sobreviveremos se pusermos toda nossa confiança no poder libertador de Deus e na autoridade de Sua Palavra proclamada. Não permitamos que o medo das circunstâncias e problemas transformem seu caminhar com Deus em dor e sofrimento.

Sem fé é impossível agradar a Deus. Usemos de violência contra a incredulidade. Aproximemo-nos de Deus na certeza de que Ele é quem garante a vitória dos que O buscam (Hb 11:6). Confiemos e andemos na Palavra que Ele nos tem dado, fitando o autor e consumador da nossa fé. Só a fé na Palavra pode nos sustentar em momentos de crise e sofrimento. (Is 43:2 – “Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti”.).

A Palavra do Senhor tem vindo. Prepare o seu coração para a batalha e caminhe com Ele com fé, pois só assim estaremos seguros em nossas circunstâncias. Nenhum dinheiro ou posses serão suficientes para nos fazer sentir seguros. Só conheceremos paz e alegria se estivermos nos movendo no Reino e para o Reino, com muita fé no coração.

I Jo 4:18 diz que só seremos aperfeiçoados no amor de Deus, se lançarmos fora o medo. O que o Senhor sempre quis é que nossa vida com Ele seja de bênção e alegria, não um inferno vivo.

Toda vez que uma onda de medo, dúvidas e apreensão, por causa das circunstâncias, vier contra você, permaneça na rocha sólida da Palavra de Deus. Posicione-se firmemente naquela rocha e declare: "Eu não serei abalado".

Alguns PROVÉRBIOS sobre o MEDO

O medo e a insegurança são um apetite que nunca é satisfeito, não importa quantas vezes uma coisa seja reafirmada para que a pessoa acredite. Você já viu isso acontecer com alguém? Se uma pessoa tem fé, você fala e aquela pessoa responde àquilo que foi falado. Se você diz a mesma coisa a uma pessoa que é cheia de medo e insegurança, você pode dizer aquilo mil vezes, mas ela não receberá. O medo e a insegurança são um apetite atormentador, que nunca é satisfeito, não importa quantas vezes uma coisa seja dita e reafirmada. Se uma mulher tem medo e é insegura, seu marido pode lhe dizer mil vezes numa noite que a ama e, na manhã seguinte, ela não acreditará. Mas se há fé e amor, ele provavelmente nem precisa dizer a ela que a ama (I João 4:18).

O medo é uma doença que não pode ser curada pelo bálsamo da razão. Ele tem que ser exorcizado, como se fosse um demônio que possuiu você.

Você percebe que estamos falando dos medos que motivam as pessoas? O medo é uma doença que não pode ser curada com o ungüento da razão; ele deve ser exorcizado, como se fosse um demônio que possuiu você.

Uma única palavra sustenta a fé; a mesma palavra, falada mil vezes, não consegue subjugar o medo.

Precisamos compreender que nossos medos são como mentiras vivas. Temos que chegar a uma posição em que possamos dizer: “Eu não vou ter medo”. “Ainda que um exército se acampe contra mim, meu coração não se atemorizará” (Salmo 27:3). “Sou um com o Senhor”.  Nós faremos maravilhas, mas não enquanto nosso coração estiver cheio de medo. Não entraremos nas obras maiores enquanto não deixarmos esse medo e insegurança. Vamos nos livrar disso.

Eu posso repetir mil vezes: “Está tudo bem”. Mas você nunca acreditará, se você tem medo. Seus medos têm que ser expulsos, como se fossem demônios.

Se você não elimina o medo e estabelece a fé, você tem que receber a mesma ministração repetidas vezes.

Você já observou que você ministra para certas pessoas e elas recebem? Mas você pode ministrar a mesma coisa para outra pessoa, e tem que ministrar novamente, inúmeras vezes. Você pode até ter que ministrar a mesma coisa para ela novamente, depois de cinco anos. Porque se você não destrói o medo e estabelece a fé, a mesma ministração terá que ser repetida muitas vezes.

A raiz do medo torna qualquer ministério de libertação temporário.

Não ministre fé a alguém sem ministrar também a libertação do medo, porque o medo é a areia no coração, sobre a qual ninguém pode construir, nem mesmo Deus. A primeira enchente irá varrer a palavra.

Não espere ser capaz de ministrar fé a alguém que não teve uma libertação do medo. Se você faz isso, você cria uma situação em que o medo e a fé anulam um ao outro. Eles neutralizam um ao outro e você termina com um vácuo, nem bom, nem ruim. Nada acontece. Mas se você realmente deseja que a fé funcione, livre-se do medo primeiro; então ministre a fé e aquela fé moverá montanhas. Todos os dias estamos aprendendo princípios que nunca conhecemos antes. Eles são grandes mistérios e maravilhas do Reino; e eles operam mudanças miraculosas em nós.

O medo e a insegurança necessitam que todas as libertações sejam repetidas freqüentemente. As libertações nunca são permanentes.

Você quer mudar? Primeiro determine que você não ouvirá nenhuma fita com medo e reservas em seu coração. Coloque um machado à raiz do medo e insegurança! Encha-se de fé! Milagres acontecerão conosco porque vamos nos livrar dos condicionamentos que a incredulidade e o medo criaram.

O medo é a raiz que somente o machado da fé pode extirpar.

Vamos colocar o machado à raiz. Vamos começar a crer. Vamos ter fé para crer que nós podemos tratar com o medo e a intimidação uns dos outros, com todos os nossos condicionamentos negativos, com todas as outras coisas das quais temos que nos livrar. Você percebe que estou falando sobre um problema que você tem tido? O Reino é para sempre; então, seja o que for que tenhamos que entrar em Deus, vamos nos apropriar e permanecer nisso e andar nessas coisas desde agora. E a única maneira de permanecermos nisso, sem continuamente perdemos nossa posição, é desarraigarmos o medo e a incredulidade do coração primeiro. Isso é muito importante.

O rugido defensivo do medo freqüentemente se assemelha à coragem da fé.

O medo é um fogo no coração que as águas do aconselhamento não podem extinguir. É um fogo que deve ser apagado com fogo – o fogo do milagre da fé.  

Oh, o coração temeroso precisa ser liberto! Temos de combater fogo com fogo! Não tente aconselhar o povo e acalmá-lo porque a água não vai extinguir esse fogo. Será necessário o milagre da fé para extinguir o fogo do medo.

Se a fé é um milagre de apropriação para o seu coração, então uma libertação da incredulidade ou do medo deve, da mesma maneira, ser um milagre de desarraigamento.

Uma coisa é a impartição. Outra é um desarraigamento. A fé é impartida; o medo deve ser desarraigado. O medo é uma raiz demoníaca e profunda no coração.

O medo é uma reação àquilo que eu vejo quando eu não creio. Olhar para as coisas sem fé causa a maioria dos nossos problemas. (Números 13:32, 33 e 14:9).

O medo é uma conclusão convulsiva às circunstâncias vistas sem fé.

Estou cansado de ser atormentado com problemas. Estou determinado a me mover somente naquilo que Deus fala. Você está dizendo: “Mas, como eu posso me ajudar?” Toda vez que eu vejo uma coisa errada, eu fico com medo. Essa incredulidade e medo podem ser desarraigados. Você pode se livrar deles.

O medo é a resposta negativa de um coração que não crê.

O ciúme é a reação de um coração que se relaciona sem fé.

Isso também é incredulidade não é? Se você tem ciúmes, você está se relacionando sem fé.

O ciúme é um esforço fútil para possuir aquilo que só o amor e a fé podem dar.

As exigências do ciúme acabam destruindo o relacionamento que tentam defender.

O coração de fé está preparado para ouvir antes de você falar. O coração medroso é surdo e nunca ouve, não importa quantas vezes você fale. Esta é a sabedoria que vem do Senhor.

O medo e o ciúme são as coisas mais próximas da insanidade que uma mente racional pode experimentar.

O temor do Senhor é o que enche um coração que expulsou todos os outros medos.

O temor ao Senhor é o que enche o coração, a fim de que não falhemos em crer em tudo o que Ele falou.

Poderíamos pregar sermões usando qualquer um desses provérbios e haveria centenas de passagens nas Escrituras que embasariam qualquer um deles.

O coração cheio de medo é um compositor de músicas fúnebres, mas a fé compõe canções de vitória antes das batalhas serem travadas.

Se você estudar esses provérbios, começará a ver onde você tem medo e onde você tem fé. Você vai ver como se livrar do seu medo e como se apropriar da fé, porque isso é muito simples. O medo não é uma coisa que você tenta suprimir. Você pega o machado e corta fora as raízes do medo.

O medo é gerado conforme o tamanho do inimigo. Mas a fé é movida somente pela fidelidade e grandeza de Deus.

Reino Net

 

 

voltar para Cura e Libertação

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||