Como Deus Nos Ama

“Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, pela graça sois salvos, e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco,em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas” (Ef 2:4-10). Esta passagem mexe com você? Ela abre o seu coração? Você sente que seremos levantados para nos assentar nos lugares celestiais? Deus está escolhendo um remanescente com o qual abençoará todo o mundo.

Se fosse possível manter o que você já possui e cuidar de seus próprios negócios até que se tornasse  próspero e pudesse se aposentar de forma justa, você o faria? Você quer se tornar um velho rabugento e sentar-se à mesa ao lado de outro indivíduo egoísta que, como você, não tem vida? Ou você preferiria gastar sua vida com algo que o elevasse acima do lugar-comum e valesse mais do que apenas uma simples existência?

Você já viu a Via-Láctea na extensão do céu do deserto? Você está consciente de que Deus (que fez o lindo nascer do sol e o pôr-do-sol e colocou as estrelas no espaço) poderia, de repente, alcançá-lo  e lhe dizer: “Você é Minha feitura; Eu crio você em Cristo Jesus para caminhar e trabalhar na vida que Eu ordenei para você cumprir!” Quando isso acontece, a vida tem significado e propósito. Ela deixa de ser apenas uma simples existência em que você anda em círculos sem chegar a lugar algum. Quando isso acontece, você de repente tem vida! Mesmo que se sinta desgastado, você aprende a apropriar-se d’Ele,  beber e alimentar-se d’Ele, para que, dia após dia, hora após hora, você esteja consciente de que está cumprindo o destino que Deus tem para você. Deus deseja que nós queiramos a Sua vontade. Ele nos levantou para andarmos nas obras que Ele, de antemão, preparou para que nós andássemos nelas.

“Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo. Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é. E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro” (I Jo 3: 1-3).

Que amor é este que Deus tem por nós? É difícil descrever. Sofonias 3:17 diz: “O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, poderoso para salvar-te; ele se deleitará em ti com alegria; renovar-te-á no seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo.” O que há no coração de Deus que O faz regozijar-Se em nós, nos amar em nossa indignidade e  faz  com que o Seu coração se volte para nós? O que há em Seu coração que nos permite dizer: “Ele irá nos salvar; Ele Se regozijará em nós com alegria;  Ele Se deleitará no Seu grande amor por nós; e irá até cantar por nossa causa”.

Este é um conceito único – que Deus irá cantar – mas isso nos faz compreender que Deus está apaixonado, apaixonado por nós! Isso nos faz perceber que o Seu amor não apenas requer que nós sejamos retos, que estejamos à altura de certas qualificações; Seu amor nos provê tudo isso, a fim de termos comunhão com Ele. Comunhão – é tudo do que o amor precisa. Deus deseja nos amar e  fazer tudo por nós (através do Seu dom criativo que repousa sobre nós), para que alcancemos o lugar onde possamos amá-Lo de volta.

Nós estamos aprendendo como amar a Deus. Estamos aprendendo a amá-Lo com o amor que Ele tem derramado em nossos corações. É com este amor que nós O amamos. Que cristão jamais progrediu sem a revelação deste amor? Que amor é este que Deus tem por nós? O que ele faz? Nós vamos descartar os dons e os ministérios do Espírito? Não, pois através deste amor, a visão espiritual e a revelação do Senhor vão se tornar mais aguçadas do que nunca. Nós não compreendemos as obras do amor. Certamente, é o amor que excede todo entendimento (Ef 3: 19).  Louve a Deus por isto. Peça a Ele este amor. Peça a Ele que crie em você esse amor com o qual você irá amá-Lo de volta.

Muitas revelações de Deus são um tanto rigorosas. Em Miquéias 6:8 lemos: “Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o Senhor pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus.”  Observe também Ezequiel 18:4b: “...a alma que pecar, essa morrerá.”Estas passagens revelam Deus, mas de uma maneira severa. Elas não revelam o Seu coração. Elas não mostram que Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu único Filho (Jo 3:16). Pense sobre a tremenda obra que Jesus teve que realizar. Quando veio ao mundo, Ele teve que revelar o Pai. No entanto Ele disse: “Ninguém jamais viu o Pai, a não ser o Filho. Jesus O revelou” (Jo 1:18).

Como Ele revelou o Pai? Quando os publicanos e pecadores aproximaram-se d’Ele, Ele lhes contou a parábola do filho pródigo. Ele lhes disse a respeito de um homem que tinha dois filhos. O mais jovem pediu sua herança  e, depois de tê-la recebido, viajou para um país bem distante onde gastou seus recursos numa vida devassa. Houve grande fome naquela terra, e o jovem se viu em tão grande necessidade que submeteu-se ao trabalho de alimentar porcos. Mas ele ficou com tanta fome que “ali, desejava ele fartar-se das alfarrobas que os porcos comiam; mas ninguém lhe dava nada. Então, caindo em si, disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm pão com fartura, eu aqui morro de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores. E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha ele ainda longe... Todos os esforços do filho pródigo não o aproximaram do seu pai. Quando um homem diz: “Estou buscando a Deus”, isso não significa muito porque ele nunca fará muito progresso – ele permanecerá ainda longe.

“Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. O pai, porém, disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, vesti-o, ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés; trazei também e matai o novilho cevado. Comamos e regozijemo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado. E começaram a regozijar-se” (Lc 15:16-24).

A parábola de Jesus expressa o amor do Pai nos alcançando. Será que sabemos como Ele nos recebe e nos ajuda e o que Ele deseja fazer por nós? Talvez ainda vivamos nossas vidas sem muita confiança no intento e propósito verdadeiros de Deus para nós. Eu temo o Senhor de todo o meu coração. Eu O tenho servido por muito tempo para não ter medo d’Ele. Eu não hesito confessar que eu tenho medo d’Ele. Ele me açoitou por muitas vezes; Ele me abateu por muitas vezes. Houve vezes em que Elesó me perdoou e preservou, não me deixando perecer pelo caminho, porque eu me humilhei e clamei a Ele.  Sim, eu temo o Senhor; Ele é Deus. Mas em todos os Seus tratamentos, eu vejo o grande amor que é derramado para o meu coração, e como esse amor se renova a cada dia. Então, à medida que esse amor se renova, sou lembrado novamente que Ele é o Senhor, que não existe ninguém como Ele, e que quando abrimos os nossos corações para sentir o grande amor de Deus por nós, isto realiza mais em nosso favor do que compreendemos.

Lembre-se, por um momento, a sensação de segurança que experimentamos em um lindo dia. Talvez um dia quente e tão claro que nos capacite ver as montanhas adornadas com brancas nuvens rendadas no céu radiante e azul. Em tais ocasiões nós reconhecemos a mão que fez tudo isso, a mão que está estendida  para nós de forma benevolente. Ele nos ama! Deus nos ama! Quão maravilhoso é ser capaz de sentir isso, ser capaz de erguer os olhos e dizer: “O Senhor me ama! Ele me ama, embora me repreenda, discipline e açoite”. Mesmo conhecendo o Seu grande amor por nós, pode haver vezes quando nos sentimos pressionados a ponto de dizer e fazer coisas que sabemos que não deveríamos. Então encontramos nossos corações clamando: “Deus, não ouça; não considere o que eu digo; não leve em consideração meus tropeços. Ao invés disso, olhe para o meu coração e veja que eu quero servi-Lo.” E Ele assim o faz. Que Deus capaz e maravilhoso!

Nossos corações deveriam estar completamente apercebidos do quanto Deus nos ama. Ele está irradiando o Seu amor para nós; e quanto mais  recebemos este amor, mais ele cria dentro de nós. Então, abra o seu coração e diga: “Senhor, sorria para mim. Eu sei que Você  me ama, sei que Você me ama mais do que o meu coração é capaz de entender. Esta pequena mente nunca será capaz de compreender este amor. É um amor que vai além do conhecimento –Deus, que criou o vasto universo, focaliza o Seu amor e o irradia para mim, me redimindo, salvando e me criando à Sua própria imagem”.

O que Deus está fazendo em tudo isto? Ele está Se esforçando para criar em nós um amor que flua de volta para Ele, um amor tão grande que nada neste mundo possa ser o seu rival.

Nós falamos sobre colocar Deus em primeiro lugar, mas em algum momento ao longo do caminho temos que enfrentar abertamente esta verdade, amando-O primeiro. Devemos aprender sobre a preeminência do Seu amor para conosco e de quão preeminente o nosso amor deve ser ao Senhor, acima de todos os outros interesses. No Novo Testamento, o Senhor  expõe claramente as condições drásticas do discipulado: “Se alguém vem a mim, e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo”(Lc 14:26). A palavra “aborrecer” não significa um ódio satânico: significa que o nosso amor pela família e por nós mesmos  deve ser em um nível tão baixo que em comparação com o nosso amor pelo Senhor, ele não poderia, de modo algum, ser classificado como amor. Deus exige dos Seus discípulos um amor extraordinário.

Às vezes nós agarramos e não soltamos as coisas deste mundo ou os relacionamentos desta vida, sem compreendermos que estamos nos tornando idólatras sob o ponto de vista  espiritual. O que é idolatria? Você pode defini-la? Um exemplo de idolatria é amar o dinheiro mais do que a Deus. O que é dinheiro? É um meio de troca criado pelos governos do mundo e reconhecido como tendo um certo valor que foi arbitrariamente estabelecido. Dinheiro é algo inventado pelo homem, e nós não podemos amá-lo mais do que a Deus. Quais são algumas outras formas de idolatria? Sabemos que os gentios criam imagens diante das quais eles se prostram e adoram. Mas no nível espiritual, idolatria inclui amar as coisas que Deus criou para você e lhe deu mais do que você O ama. Isso significa qualquer coisa que se torna um rival de Deus, qualquer coisa que se coloca à frente d’Ele. Não importa quão profunda e preciosa seja a bênção que Deus lhe deu, virá o tempo quando você terá que olhar para ela e dizer: “Senhor, eu Te amo mais do que esta bênção”.

Quando o Senhor de Pedro foi crucificado, ele disse, num momento de desencorajamento: “Vou pescar”, e os outros discípulos, que também se encontravam perdidos, disseram: “Nós também vamos com você”. Na manhã  seguinte, Jesus apareceu na praia e depois de ter-lhes dito onde lançar a rede, eles reconheceram a Sua mão miraculosa novamente, e exclamaram: “É o Senhor!” Impetuosamente Pedro lançou-se no mar e nadou até Ele, mas quando chegou lá, não sabia o que dizer. Quando os discípulos puxaram a rede, esta estava cheia com cento e cinqüenta e três peixes. Os peixes dispostos ali, aos pés do Senhor , provavelmente ainda se debatiam. O Senhor Se voltou para Pedro e disse: “Simão, filho de Jonas, amas-Me mais do que a estes?” E Pedro, o pescador, que tinha dito, “vou pescar”, agora repondeu: “Sim, Senhor, Tu sabes que eu Te amo”. Em outras palavras,  “Não há rivalidade, Senhor”.

Às vezes percebemos o Senhor colocando o Seu dedo em algo que está um pouco mais próximo de nós do que os peixes estavam para Pedro. Às vezes Ele toca em coisas que são muito mais queridas para nós do que emprego ou dinheiro ou qualquer outra coisa neste nível. E nesses momentos, Ele pergunta: “Você Me ama mais do que estas boas coisas que Eu lhe dei? Mais do que estas bênçãos que Eu lhe trouxe? Você Me ama o suficiente a ponto de colocá-las no altar?”

Nenhum homem no Antigo Testamento teve mais promessas, alianças e bênçãos focalizadas sobre ele do que Abraão. Ele é chamado de o homem de grande fé, o pai da fé. Ele também é chamado de o amigo de Deus. Quando o Senhor apareceu a Abraão nos carvalhais de Manre, Ele disse: “Ocultarei a Abraão o que estou para fazer,...?”(Gn 18:17). Jesus nos diz em João 15:15: “...porque o servo não sabe o que faz o seu senhor;  mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer.”

Abraão era amigo de Deus. Deus explicava muitas coisas para Abraão porque, além de crer em Deus, Abraão O amava. Este fato está implicitamente exposto na Palavra a respeito de Abraão. Hebreus 11:17 diz: “Pela fé Abraão ofereceu Isaque”. Foi necessário muita fé, mas aquela fé foi a expressão resoluta do profundo amor no coração de Abraão pelo Senhor. Primeiro e preeminentemente ele amou a Deus. Ele amou Deus acima de tudo o mais  e foi o homem que Deus usou para iniciar toda uma linha de promessas.

Gênesis 22:1-18a é uma passagem surpreendente,  que ilustra o amor que Deus exige de nós. “ Depois dessas cousas, pôs Deus Abraão à prova e lhe disse: Abraão! Este lhe respondeu: Eis-me aqui! Acrescentou Deus: Toma teu filho, teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes, que eu te mostrarei. Levantou-se, pois Abraão de madrugada e, tendo preparado o seu  jumento, tomou consigo dois dos seus servos e a Isaque, seu filho; rachou lenha para o holocausto e foi para o lugar que Deus lhe havia indicado. Ao terceiro dia, erguendo Abraão os olhos, viu o lugar de longe. Então, disse aos seus servos: esperai aqui, com o jumento; eu e o rapaz iremos até lá e, havendo adorado, voltaremos para junto de vós. Tomou Abraão a lenha do holocausto e a colocou sobre Isaque, seu filho; ele, porém, levava nas mãos o fogo e o cutelo. Assim, caminhavam ambos juntos. Quando Isaque disse a Abraão, seu pai: Meu pai! Respondeu Abraão: Eis-me aqui, meu filho! Perguntou-lhe Isaque: Eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? Respondeu Abraão: Deus proverá para si, meu filho, o cordeiro para o holocausto; e seguiam ambos juntos. Chegaram ao lugar que Deus lhe havia designado; ali edificou Abraão um altar, sobre ele dispôs a lenha, amarrou Isaque, seu filho, e o deitou no altar, em cima da lenha; e, estendendo a mão, tomou o cutelo para imolar o filho. Mas do céu lhe bradou o Anjo do Senhor: Abraão! Abraão! Ele respondeu: Eis-me aqui! Então, lhe disse: Não estendas a mão sobre o rapaz e nada lhe faças; pois agora sei que temes a Deus, porquanto não me negaste o filho, o teu único filho. Tendo Abraão erguido os olhos, viu atrás de si um carneiro preso pelos chifres entre os arbustos; tomou Abraão o carneiro e o ofereceu em holocausto, em lugar de seu filho. E pôs Abraão por nome àquele lugar – (Jehovah-jireh) O Senhor Proverá. Daí dizer-se até ao dia de hoje: No monte do Senhor se proverá. Então, do céu bradou pela segunda vez  o Anjo do Senhor a Abraão e disse: Jurei, por mim mesmo, diz o Senhor, porquanto fizeste isso e não me negaste o teu único filho, que deveras te abençoarei e certamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus e como a areia na praia do mar; a tua descendência possuirá a cidade dos seus inimigos, nela serão benditas todas as nações da terra, ...”

Há tempos quando o Senhor nos prova da mesma forma. A pergunta não é: “Nós amamos a Deus?” mas, “O quanto nós O amamos?” O quanto O amamos? Deus deseja que você O ame com todo o seu coração, com toda a sua alma, com toda a sua mente e com todas as suas forças – que nada dentro de você recuse dar o total amor e devoção que é reservado para o Senhor. Você O ama primeiro. Nós precisamos entender que tudo depende da dedicação de amor que coloca Deus primeiro e O ama primeiro.

O que possibilitou Deus dizer a Abraão: “Vou lhe abençoar e fazer sua semente como as estrelas dos céus e como a areia do mar”, foi o fato de que Abraão colocou Deus primeiro em sua vida e não permitiu que nada mais tomasse o Seu lugar. Deus era absolutamente o primeiro.

Abraão amou o Senhor acima de tudo. Como está o seu amor pelo Senhor? À medida que você  abre o seu coração para o amor de Deus, você percebe que esse amor cria em você um amor como o  de Abraão, um grande amor com o qual você O ama de volta? O livro de Deuteronômio conta como Deus Se apegou ao Seu povo - a nós - com amor. Mas podemos não entender que Deus, por sua vez, está nos pedindo que nos apeguemos a Ele com amor.

Abraão foi talvez o homem mais abençoado no Antigo Testamento. As alianças e promessas de Deus sobre ele foram ricas. Outros grandes homens nos tempos do Antigo Testamento pareceram passar por períodos difíceis enquanto serviam a Deus. Moisés passou por momentos difíceis quando  encarregou-se da difícil tarefa de tirar os filhos de Israel do Egito e conduzi-los à terra de Canaã. Mas as experiências de Abraão foram muito diferentes. Ele simplesmente cuidava das ovelhas, guiando suas manadas de gados,  rebanhos e família enquanto movia-se com Deus. Deus não perguntou a Abraão: “Que grande feito você é capaz de realizar para Mim? Que grande instrumento você pode ser em Minhas mãos?” Ao invés disso, Ele parecia requerer apenas uma coisa de Abraão – que ele gastasse todo o seu tempo demonstrando sua confiança no Senhor, confiança nas Suas promessas e fé no que Deus tinha dito. Muitos homens passaram toda a sua vida fazendo promessas a Deus, mas durante toda a vida de Abraão, Deus fez promessas a ele. Deus fez dele um herdeiro de alianças e promessas nas quais ele andaria. Deus o abençoou materialmente com tudo que ele precisou. Por que Deus não requereu nenhuma obra prodigiosa de Abraão? Às vezes Deus obtém tudo o que Ele quer de uma pessoa que apenas o ame, creia  n’Ele e o coloque em  primeiro lugar. E, em retorno, Deus às vezes toma aquele cristão e, pelo Seu decreto e mover soberanos, faz algo tão surpreendente que por toda a eternidade haverá um foco sobre aquela vida.  Aquele homem influencia todo o mundo.

Abraão foi um homem assim. Aparentemente ele viveu em um lugar muito fascinante. Ele viveu no lugar onde amou a Deus primeiro. Lemos sobre tal lugar no Salmo 91:1: “O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente.”

Este verso está falando sobre uma existência fascinante. Está falando sobre um lugar no centro da grande habitação de Deus – um lugar como aquele que Abraão ocupou, de amor e devoção, de proteção e imunidade contra todas as maldades do mundo. Onde está esse lugar secreto? O que é que nos coloca à sombra do Onipotente, que nos introduz ao esconderijo de Deus? Como chegamos lá? É um lugar geográfico? Existe um endereço o qual possamos saber? Há instruções que possamos seguir, tais como seis milhas neste caminho e duas milhas naquele, até chegarmos ao esconderijo do Altíssimo? Porque Deus tem focalizado muito do Seu amor e bênção sobre algumas de Suas igrejas, algumas pessoas podem pensar que as próprias construções devem ser santuários secretos. Não, este Salmo está falando sobre um lugar onde as pessoas vivem – no esconderijo do Altíssimo. Elas habitam sob a sombra do Onipotente. É esse o lugar onde elas habitam!

Versos dois e três: “Diz ao Senhor: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio. Pois ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa.” Que promessas e imunidades  maravilhosas são encontradas nesses versículos. Mas a chave para este lugar de habitação secreto encontra-se no versículo quatorze: “Porque a mim se apegou com amor...” Abra seu coração para amar a Deus. Você entra neste lugar de habitação quando se apega a Ele com amor, quando descobre algo no seu coração que diz: “Meu Jesus, eu Te amo. Eu Te amo”. Quando o seu coração O ama completamente, você entra no lugar secreto – na habitação santa.

Supõe-se ter sido Moisés, um profeta de Deus, o autor do Salmo 91. Não sabemos se ele gravou as palavras sobre placas de barro com um estilete, ou se ele escreveu com algum outro tipo de caneta. Mas, quando sua mão se moveu sob a unção do Espírito, de repente, ele deixou de escrever como escrevente (secretário) de Deus, enquanto a sabedoria divina ditava, mas pareceu ser outra mão maior que o envolveu e a escrita começou a vir na primeira pessoa, quando o próprio Deus falou deste homem que habita no lugar secreto. “Porque a mim se apegou com amor, eu o livrarei...”

Observe agora as promessas que estão contidas neste Salmo: “...pô-lo-ei a salvo, porque conhece o meu nome. Ele me invocará, e eu lhe responderei; na sua angústia eu estarei com ele, livrá-lo-ei e o glorificarei. Saciá-lo-ei com longevidade e lhe mostrarei a minha salvação” (versos 14 a 16). O Salmo mudou da terceira para a primeira pessoa. Deus não está falando sobre promessas comuns para o eleito; Ele está falando diretamente (e comprometendo-Se) com aquele homem que habita no esconderijo do Altíssimo. Por que? Sob que condição? “Porque a mim se apegou com amor, ...”

Vemos como Deus toma um homem como Abraão, e no momento em que ele levanta a sua faca para cravá-la no filho muito amado – para oferecê-lo como sacrifício porque ele ama a Deus e crê tanto n’Ele – naquele momento Deus  o abençoa. Você colocou tudo no altar? Você seria capaz de fazer com os seus filhos amados o que Abraão fez? Você os colocaria sobre o altar e diria: “Senhor, eu Te amo mais do que a estes”.

Quando Pedro perguntou: “Senhor, nós temos deixado tudo para segui-Lo; o que ganharemos por isto?” Jesus respondeu: “Ninguém há que tenha deixado casa, ou terras, ou pai, ou mãe, ou marido, ou esposa, ou filhos por amor de Mim e do evangelho, que não receba cem vezes mais, neste tempo presente, e a vida eterna no tempo por vir” (Mc 10:28-30). O que Deus está nos dizendo? Mantenha corretos os seus valores. Não ame a bênção que Ele criou, ou o relacionamento que Ele deu, ou o dom da Sua graça mais do que a Ele. Mesmo que seja um Isaque precioso, a quem Ele trouxe à luz pelo Seu poder miraculoso para abençoar os corações de um lar estéril, ainda assim você deve amá-Lo primeiro. Ele sempre tem que ser o primeiro! Não retenha nada de Deus; dê-Lhe tudo!

O segredo dos grandes ministérios que moverão o mundo para Deus encontra-se bem aqui: eles serão um povo que ama ao Senhor com todo o seu coração, com toda a sua alma, com toda a sua mente e com todas as suas forças. Tudo o mais será secundário ao seu amor por Deus. No Novo Testamento lemos a respeito daqueles que não amaram a própria vida até a morte (Ap 12:11). Eles consideraram tudo como nada, para entregarem suas vidas por amor ao Seu nome, com a finalidade de agradarem a Deus.

Davi foi um homem segundo o coração de Deus. Em seus Salmos nós vemos suas fraquezas, mas também vemos um acontecimento importante em sua vida: quando o profeta Samuel, com um chifre de azeite pendurado no pescoço, partiu numa caminhada penosa pelas montanhas para Belém, ele  disse: “Fui instruído para encontrar um dos filhos de Jessé, a quem ungirei para que seja rei sobre toda Israel”. Prontamente trouxeram-lhe homens fortes e altos, os de porte magnífico. Porém, quando os filhos de Jessé passaram, o profeta disse: “O Senhor não escolheu a este, tampouco aquele, nem qualquer um destes. Não há outro filho?” Jessé respondeu: “Oh, sim, há um pequeno garoto lá fora cuidando das ovelhas”. Samuel disse: “Traga-o”. E quando eles o trouxeram, Deus falou no ouvido de Samuel:  “Unja-o, pois a este escolhi”. O homem olha a aparência, mas Deus vê o coração (I Sm 16:7). Deus viu algo no coração do garoto Davi que o fazia tocar sua harpa e cantar: “Ó, Senhor, meu coração está firme, firme em Ti” (Salmo 57:7; 108:1; 112:7,8). Deus tinha visto algo que traria Davi ao lugar onde ele  canalizaria o seu amor para o Senhor e determinaria no seu coração servi-Lo. E esse foi o homem que Deus usou para construir um grande reino.

Sempre que você descobre Deus Se movendo, você encontra um coração onde o amor de Deus está focalizado; e esse coração humilde, como um espelho, o reflete, colocando o amor de toda a sua vida sobre o Senhor e dizendo: “Senhor, eu Te amo primeiro. O amor que sinto por Ti é o melhor de todos”.

Você O ama? Você deseja amá-Lo mais? A revelação do quanto Deus nos ama e do quanto nós vamos amá-Lo deixa o nosso coração quebrantado. Este é o fundamento que irá abençoar nossas igrejas, nossos lares e nossas vidas pelos dias e anos que virão.

 

voltar para Amor Divino

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||