01. Aconselhamento Básico

"Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu Reino a Sua Justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal." Mateus 6:33,34.

No seu caminhar com Deus, cada decisão tomada deve estar baseada numa busca e realização da vontade de Deus. É necessário mais do que sabedoria humana, ou até mesmo mais do que suas próprias convicções não confirmadas. é uma questão de se descobrir a vontade de Deus com confirmação de duas ou três testemunhas, e isto se consegue no aconselhamento. Por isto, muito aconselhamento está começando nas igrejas neotestamentárias que estão surgindo. Assim que as pessoas entram numa destas igrejas, descobrem que podem receber ajuda; logo todos pedirão aconselhamento e, por isso, há uma necessidade atual de mais homens que sejam treinados em aconselhamento. Os presbíteros precisam receber uma profunda instrução e encorajamento para o novo nível de aconselhamento, pois é imperativo que todos falem a mesma Palavra.

O apóstolo Paulo orou para que sabedoria e discernimento fossem dados ao Corpo de Cristo de forma que  pudesse captar claramente a vontade de Deus. "Por isso também eu, tendo ouvido da fé que há entre vós no Senhor Jesus, e o amor para com todos os santos, não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações para que o Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento d''Ele, iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do Seu chamamento, qual a riqueza da glória da Sua herança nos santos, e qual a supremo grandeza do Seu poder para com os que creram, segundo a eficácia da força do Seu Poder, o qual exerceu Ele em Cristo, ressuscitando-0 dentre os mortos, e fazendo-O sentar à Sua direita nos lugares celestiais". Efésios 1:15‑20.

Quando Paulo fala do "espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento d''Ele", e de ter "iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do Seu chamamento", ele está falando de uma revelação que as pessoas precisam. Um homem que não tem a revelação espiritual ou a sabedoria de Deus para ver do que o conselheiro está falando, continua sem aconselhamento. 0 seu espírito e entendimento precisam ser abertos a Deus, para que possa receber a ministração.

"Por esta razão, também nós não cessamos de orar por vós, e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento de Sua vontade, em toda sabedoria e entendimento espiritual; a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para a Seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra, e crescendo no pleno conhecimento de Deus" (Colossenses 1:9,10). Estas passagens nas Escrituras são básicas para o que você quer transmitir no aconselhamento.

Quando aconselhar a outras ou mesmo quando aplicar estes princípios de aconselhamento ao seu próprio coração, é essencial que você tenha a motivação correta. Se tentar induzir alguém a fazer algo com uma motivação menor que a de andar na vontade de Deus, você não pode esperar que ele se saia bem. Para ser bem claro, você não aconselha um casal simplesmente para remendar o seu casamento. Se eles vão fazer a vontade de Deus, tudo bem; caso contrário, não há motivação para fazer com que uma casa dividida contra si mesma, subsista - não com as pressões que estão sobre ela, pois o próprio Deus está abalando aquela casa para erguê-la sobre um fundamento correto. Se o casal não está motivado a fazer a vontade de Deus, também não deve ser aconselhado por motivações secundárias.

Os jovens são frequentemente orientados a se preservarem puros e imaculados do mundo porque um dia o príncipe encantado, ou a cinderela surgirá, e então eles estarão felizes por terem se guardado puros e limpos. E aí surge o príncipe e se casa com a moça. 0 que acontece se ela se desilude, por que ele não é um príncipe encantado? Ela dirá: "Mas, foi para isso que eu me guardei pura? Ele não me entende nem se preocupa comigo; não me ama!" Pronto, a motivação se foi. Era uma motivação secundária e inadequada.

Uma moça que se mantém pura para cumprir a vontade de Deus e andar com Ele, tem uma motivação que permanecerá, não importa o que o seu marido fará após o casamento. Precisa ser entre ela e Deus, caso contrário, não perdurará, e não haverá sucesso ao se tentar apenas remendar a coisa. A motivação humana falhará. Ao aconselhar, atinja a necessidade espiritual básica do indivíduo: a motivação de buscar o Reino de Deus e a Sua Justiça em primeiro lugar.

Trate do problema principal. Evite problemas secundários. Num caminhar com Deus tudo é provado. Se o problema principal de buscar a Deus (o que é uma questão de dedicação, revelação e andar na Sua vontade) for resolvido, as outras coisas se resolverão. Busque o Reino de Deus e a Sua Justiça em primeiro lugar, e as outras coisas serão acrescentadas.

Por vezes é necessário sacrificar um relacionamento para se quebrar um impasse espiritual. Por exemplo, um jovem pode ir morar em uma república, onde todos estão endireitando os seus passos no Senhor, ao invés de estarem vivendo com os seus pais, pois estes enfrentam dificuldades em saber como ajudá-lo a se relacionar com Deus e com o mundo em que ele deve viver. Quando os pais estão se esforçando para exercer a autoridade, mas estão em conflito com os seus filhos, e os jovens não podem abençoar os seus pais, o melhor a fazer é morar fora de casa. Neste caso os pais não descobriram a vontade de Deus nem para si próprios, embora estejam tentando dizer aos filhos o que fazer.

Estimule cada um a buscar um relacionamento com a Senhor e esquecer os outras relacionamentos. Então família após família será abençoada. A família de Deus irá aumentar, e esta é mais importante que as famílias individualmente nas igrejas. Apesar de que elas alcançarão um plano fantástico de restauração na mente de Deus, você pode não enxergar isto hoje ou amanhã. As pessoas poderão enfrentar problemas que você não será capaz de resolver, mas você pode movê-las para um fluir do Espírito, fazendo-as se dedicarem ao Senhor.

Alguns dos problemas, você não será capaz de resolver. Existem mulheres cujos maridos não as acompanham. Elas devem estabelecer o seu alvo em prosseguir com o Senhor, e esquecer o problema secundário. Pode ser que não haja resultado imediato; pode até ser que jamais haja resultado. Elas devem estar preparadas para serem boas esposa e mães e a fazerem o que estiver ao seu alcance, contanto que nunca elevem o problema secundário à importância principal, caso contrário estarão em apuros. Cada crente precisa primeiro buscar um caminhar  verdadeiro com Deus; esta é a prioridade. Que nada interfira nisto.

Aconselhamento não é uma questão de se tirar algumas brasas para evitar que a fogueira comece a queimar tudo. 0 aconselhamento deve ser um canal construtivo de ajuda para as pessoas descobrirem a vontade de Deus para as suas vidas, e para ajudá-las a descobrir qual é a necessidade básica que precisa ser alcançada. Os desejos ou frustações no nível humano, assim como as necessidades físicas e financeiras, não são necessidades básicas.

Por vezes a pessoa que vem buscar aconselhamento quer usar Deus, porque não quer sofrer as consequêcias de não ter andado com Ele. Você estará brincando com Deus, ao tentar impedir que aquela pessoa sofra as consequêncías que Ele determinou. Permita-lhe que ela colha os frutos disso. Deixe-a ser miserável. Deixe-a à beira do abismo se isto vai fazer com que ela se volte para Deus. Por que aliviar ou interromper os tratamentos de Deus? Não retire-a do altar. Esteja segura em discernir se ela foi trazida a esta situação por Deus.

Quando Deus dirige o Espírito Santo a trazer tratamentos sobre uma pessoa, não se atreva a removê-los. Ela poderá vir urrando e berrando, mas se ela não está pronta a se arrepender e mudar, deixe vir os tratamentos. Não preste auxílio nem conforte o inimigo, não arruíne um processo em que Deus está operando.

Todas as mudanças precisam vir por meio de Cristo pela graça de Deus. Transformações básicas e profundas da natureza só vêm por Deus, não pela razão humana de um indivíduo que está atormentado por problemas. Todo aconselhamento está baseado no encontro da pessoa com Deus e na mudança da sua natureza. Quando as pessoas estão em apuros, podem demonstrar o seu desejo por mudar, dizendo: "Ah, me desculpe, eu não queria que fosse assim!" Mas dirão a mesma coisa na próxima vez, e na outra seguinte. Leve-as a se arrepender e a buscar a Deus. Assim que isto acontecer, as mudanças começarão a surgir.

Como conselheiro, é seu dever dizer: “Enquanto não houver uma transformação básica em sua natureza, você não pode esperar que os problemas sejam resolvidas.” “Tendo começado no Espírito estais agora vos aperfeicoando na carne” (Gálatas 3:3). As transformações começam com uma nova natureza e continuam através dela, e tem que ser uma transformação operada por Deus.

Os cristãos estão sendo levados a situações em que Deus está expondo suas mais profundas necessidades. Não se esforce para resolver os problemas e atritos num aconselhamento em que tudo fica acertado e, se todos cooperarem, todos se sentirão melhor. Não vai funcionar, porque Deus está colocando Seu dedo na necessidade básica para provocar a mudança da natureza das pessoas envolvidas. Isto sim tem que acontecer. Quando a vida muda, a situação muda.

Abandone cada nível humano (ambições, objetivos, problemas básicos da natureza humana) e descubra qual é o propósito de Deus e o Seu plano. O crente se frusta muito quando Deus está operando algo nele, enquanto ele próprio quer ir por outra direção! Ele se torna como uma mula teimosa que quer ir para o sul, enquanto o dono quer que ela vá para o norte. Ao invés de lutar, precisa descobrir em que caminho Deus quer que ele vá e qual é o Seu plano e propósito.

Ao aconselhar procure a falha espiritual, e, depois, a incompatibilidade espiritual. Atualmente há uma tendência a se imprimir manuais sobre sexo e casamento, tentando com isso diminuir as incompatibilidades físicas; contudo as verdadeiras incompatibilidades são espirituais. Nunca se esqueça de que as dificuldades não estão em qualquer outro nível. Muitos casais são felizes, embora sexualmente insatisfeitos, porque têm amor um pelo outro. Isto pode parecer ultrapassado, mas é verdade. Quando duas pessoas se casam pela vontade de Deus, se amam e possuem uma compatibilidade espiritual, têm tudo que precisam. Qualquer outra coisa é acessório, mas não essencial. Tentar trabalhar com as pequenas coisas nas áreas de incompatibilidade é tolice. A consideração principal a ser feita é o desejo de dois corações de fazerem a vontade de Deus juntos.

0 objetivo de um aconselhamento é reduzir a questão até que ela seja entre o indivíduo e Deus. Nunca permita que seja transferida para o indivíduo e outra pessoa. Ore e busque o que Deus quer que aquela pessoa faça. Uma mulher poderá ter que voltar a viver num inferno vivo, porque é o que Deus quer para ela, mas ela o fará com uma motivação correta. Se um pastor espera que o povo lhe aprecie, sua motivação está errada. 0 próprio povo ao qual foi enviado para servir poderá crucificá-lo, mas o seu objetivo deve ser servir a Deus e realizar a Sua vontade.

Quanto àqueles que você aconselha, tudo deve estar baseado em um relacionamento pessoal com Deus. Se este relacionamento estiver errado, eles não serão bem sucedidos em se relacionarem com quem quer que seja. Porém se estiver correto, tudo concorrerá para que a vontade de Deus se realize em todas as outras áreas. Busque em primeiro lugar o Reino de Deus, e Ele lhe encherá com espírito de sabedoria e conhecimento, com a Sua vontade e com todo discernimento; esta é a sua base para o aconselhamento. Na verdade, esta é a base do seu próprio caminhar com Deus. Qualquer cristão pode tomar estas verdades e começar a solucionar seus problemas a partir deste ponto. Dê prioridade àquilo que é mais importante, e observe tudo o mais se encaixar.

Ao aconselhar, você enfrentará problemaS de ataques espirituais e de defesas espirituais abaixadas. Em cada problema enfrentado, procure descobrir qual é a base espiritual. Pode ser que você precise chamar um ou dois profetas para discernir se o problema é de origem hereditária ou não. As reações de um indivíduo podem parecer o verdadeiro problema, mas ao invés de tentar tratar disto, volte atrás e determine o que o levou ao canto da parede. Muitas situações não existiriam, se as pessoas não fossem colocadas sob a pressão de ataques demoníacos.

Os lares passam pela fogo porque o chamado de Deus está sobre alguém que Deus está tentando levar para a Sua vontade. Muitas pessoas não estariam em dificuldades, se nunca tivessem recebido uma Palavra de Deus. As profecias que revelam a vontade do Senhor as levam a um outro nível, e elas sofrem ataques espirituais porque estão em um novo nível cujos problemas terão que ser tratados.

Um outro fator gerador de problemas é a falta de submissão à autoridade espiritual designada. Algumas esposas farão de tudo para estar por perto em submissão, enquanto alguns maridos se retrairão ao invés de assumir o lugar em que Deus quer que estejam. As crianças e jovens também se tornam evasivos quanto à verdadeira submissão; todavia, na medida em que forem submissos, na mesma medida terão defesas espirituais. Muitos dos ataques acontecem porque não estão se relacionando corretamente com Deus.

Paulo escreve: “As mulheres sejam submissas a seus próprios maridos, como ao Senhor.” Efésios 5:22. A submissão deve estar sobre uma base espiritual. Pode haver um desentendimento geral em quase todas as áreas; contudo quando se trata de relacionamento espiritual, a submissão tem que estar lá. Então Deus cuidará das outras coisas e as resolverá. Área  das atitudes ou hábitos do seu marido, uma esposa tem que ser submissa "como ao Senhor".

Quando alguém não está se relacionando com o seu líder espiritual, fica amarrado e limitado. É preciso enfrentar o fato de que está colocado no Corpo como aprouve a Deus, e que o seu relacionamento com Ele engloba este fato. A partir daí é que os seus problemas se resolvem.

Ao aconselhar, acontece o perigo de se elevar o nível humano acima do nível divino, porque as pessoas ficam tão preocupadas com seus problemas neste nível que seu próprio caminhar com Deus fica relegado a um segundo plano. Uma mãe pode ficar tão perturbada por seu filho não fazer o que deveria que se desencoraja e se torna profundamente deprimida. Ela se afasta do Senhor por dar prioridade àquilo que pertence ao nível humano. Uma pessoa pode ter muitos problemas no nível humano, mas enquanto andar com Deus e puder ter um encontro com Ele, Ele poderá cuidar de todos aqueles problemas. Ela poderá passar bem pela meio do fogo, enquanto estiver caminhando com Deus. Ela não pode permitir que qualquer situação se eleve em sua mente ao ponto em que aquilo receba toda a atenção.

Você precisa ajudar as pessoas a terem um caminhar com o Senhor. Paulo escreveu: ... Se algum irmão tem mulher incrédula, e esta consente em morar com ele, não a abandone; e a mulher que tem marido incrédulo, e este consente em viver com ela, não deixe o marido. I Coríntios 7:12, 13. Do que Paulo está falando? "Busque a Deus, ponha-O em primeiro lugar. A situação pode estar feia, mas não se preocupe com isto; mova-se adiante e Deus lhe concederá graça." Quando você estiver sendo perturbado e rebaixado, fique sozinho e comece a buscar ao Senhor; cante um pouco e volte disposto, Talvez você pense que não deva se considerar seriamente, mas precisa. Ser um servo de Deus é uma questão séria. O que fazer com relação a isso? Ponha Deus em primeiro lugar, e tudo que está no nível humano se torna secundário.

Cuide para não ter, nem dar às pessoas, uma motivação inferior. Por exemplo, alguns dos jovens têm sido dirigidos pelo Senhor a cursar o segundo grau. Eles podem ir para a escola e não aprender nada. E daí? Eles estão ali porque Deus os colocou. Não lhes dê uma motivação inferior ou eles questionarão a sabedoria desta direção. Eles poderão olhar para o professor, pensando: "Esse super desmiolado, em pé aí, me ensinando, não sabe coisa alguma. Depois de tudo a que Deus já me ensinou, estou aqui sentado, sendo embotado por este palhaço." Eles não devem tomar esta atitude. Precisam saber que foi Deus quem os colocou ali.

Pelo que eu saiba, Daniel nunca se amargurou por ser escravo na Babilônia. A sua atitude era: "Eu estou servindo aqui. A minha motivação é fazer a vontade de Deus." Havia um propósito em seu coração de não se contaminar, pois ele queria servir a Deus. Os três hebreus não sabiam o que Deus faria, mas recusaram se curvar diante daquela imagem. Foram lançados na fornalha, mas isso não fez diferença alguma, pois a sua motivação era correta. Eles estavam ali para fazer a vontade de Deus, não para ocupar altos postos políticas da Babilônia.

A motivação correta é a única coisa que capacita um homem a passar pelo fogo e pela tribulação, e encarar o tremendo engano que o Corpo de Cristo terá que enfrentar em seus relacionamentos, nas famílias, e no mundo. Sua motivação tem que estar no Senhor: "Estou aqui para fazer a vontade de Deus". Hebreus 10:37 faz referência a homens que foram serrados ao meio, e recusaram a liberdade para poder obter uma melhor ressurreição. Os seus olhos estavam em algo além das circunstâncias temporárias. Não tentaram salvar suas peles, nem estavam preocupados com a situação humana. Ambição humana, auto-defesa, auto-preservação, nem uma dessas motivações menores estava neles. A sua única motivação era este desejo de cumprir a vontade de Deus.

As pessoas cuja maior motivação é a felicidade pessoal são infelizes por terem elevado sua alegria pessoal acima da perfeita vontade de Deus. Nunca serão felizes. Elas se fixam nisto e acabam ladeira abaixo na miséria de sempre tentar ser feliz. 0 homem feliz é aquele cujo prazer está no Senhor e em fazer a Sua vontade. Vamos  ser cheios da sabedoria de Deus e pensar como Deus pensa. Assim quando aconselharmos não daremos às pessoas sabedoria humana, mas sabedoria que vem de Deus. Deste modo, teremos igrejas cheias de pessoas cujo foco está no Senhor restaurando a Sião e reinando sobre todos como Rei e único Senhor de suas vidas. Há somente uma doutrina no Reino: 0 Senhorio de Jesus Cristo.

Quando você aconselha, as motivações se tornam conhecidas. Muitas pessoas são vingativas, amarguradas, ciumentas, e cheias de ressentimento, e podem ter motivações egoístas e objetivos físicos ou financeiros. Quando são confrontadas com problemas nestas áreas, é difícil ignorarem a dor e alegrarem-se em Jesus Cristo. Mas foi isso que Paulo e Silas fizeram na cadeia de Filipos. Os açoites que receberam doíam tanto que não podiam dormir, mas, ao invés de se tornarem amargurados e vingativos, se regozijaram, cantando louvores ao Senhor, à meia noite.

Será que um cristão pode ter um caminhar com Deus que é maior que a dor física? Será que ele pode ter um relacionamento com Deus que seja maior que qualquer perturbação ou circunstâncias pessoais, que seja maior que tentar se vingar, ou se tornar ressentido ou ciumento? Ele precisa descobrir isto, e o aconselhamento deve ajudá-lo a decidir o que realmente importa, de maneira que busque em primeiro lugar o Reino de Deus e a Sua justiça.

Lembre-se de que, ao aconselhar, você não pode se relacionar com quem quer que seja de acordo com as suas exigências, mas somente de acordo com a direção de Deus. Uma pessoa pode exigir que você se relacione com ela de um modo induzido a fazer o que ela quer fazer  e dizer-lhe o que ela quer ouvir. Se você se recusa, ela se torna brava ou se sente rejeitada. Talvez Deus esteja tratando de um problema em seu espírito que é maior que aqueles problemas dos quais ela quer falar. Permita que Deus trate com ela. A maneira como você se relaciona e ministra às pessoas deve ser como Deus instrui, mesmos que elas se tornem antagônicas, ao não conseguirem a atenção que querem. Precisam ser desmamadas e receber ministração nos termos de Deus e não em seus próprios termos. Ministre de acordo com o que Deus guiar, com o melhor da sua capacidade. Você é um servo de Deus, e serve ao povo, servindo ao Senhor completamente.

Às vezes um homem é culpado de tentar usar um ministério ou a igreja para tirar vantagem. Ele pode levantar uma questão, esperando que uma resposta o absolva da responsabilidade de uma situação. Os ministérios precisam conduzir tal pessoa a uma busca da vontade de Deus, e nunca permitir que ele use o seu aconselhamento para lhe dizerem o que deseja ouvir.

Ao aconselhar, cuidado para não cair na situação em que não há uma entrega, mas sim um dreno. Você precisa estar consciente de que uma igreja tem pessoas boas, fortes e espirituais que têm a tendência a dar, e outras que só recebem. Como parasitas espirituais, drenam muito da vida dos que são espirituais. Ajude as pessoas a se relacionarem da forma como Deus quer. É preciso haver mais aconselhamento para desmamar as pessoas de alguns poucos ministérios que podem ter o desejo de servir, mas que acabam logo ficando drenados até o ponto de seu caminhar com Deus sofrer por isto.

Temos que eliminar o desequilibrio nos relacionamentos. Sempre haverá os mais fracos que precisam de mais ajuda. Mas não deve haver uma dependência dos ministérios fortes, pois isto os prende e os drena demasiadamente, apenas por não haver por parte dos mais fracos um desejo de andarem com Deus pessoalmente. 0 Corpo não pode edificar-se e prosperar em fazer a vontade de Deus se mais da metade de seus membros não têm um caminhar espiritual e vivem da vida da minoria. Os ministérios vão bem, mas o Corpo todo precisa se relacionar com Deus e se apropriar dEle. Os ministérios não foram concedidos para prolongar a infantilidade, mas para nos ajudar a não sermos mais como crianças, para que cresçamos todos.

Muitas situações se tornam ineficazes pela dedicação de cada membro ao ser bondoso e cortês. Não seja rápido em julgar um irmão em qualquer situação; você nem sabe pelo que ele está passando. Tente entender o que a geração mais jovem pensa e sente, para que você possa conversar nos termos deles e saber exatamente o que estão passando. Não fique chocado com qualquer coisa que lhe digam ou façam, e não julgue. Ter  um profundo entendimento e compaixão por eles, não significa que você esteja concordando com o que fizeram; apresente a eles a vontade de Deus, e os conduza a andar na justiça de Deus.

Você não tem que ser escupuloso, mas também não deve ser tolerante. Não julgue, apenas conduza-os. Bondade e consideração têm muito a ver com guiar os jovens a um caminhar com Deus e a torná-los novas criaturas e servos do Senhor. É difícil lidar com aqueles que chegam de modo super-espiritual. Uma pessoa nos deu como desculpa, por ter uma relação sexual extraconjugal, ter recebido uma revelação de Deus para fazê-lo. Quando estiver aconselhando, não permita que alguém venha com nomes super-espirituais para concupiscências da carne. Esteja sempre observando isto, pois alguns estarão escondendo suas culpas sendo super-religiosos, sem contudo possuírem em seus corações um desejo de realizar a vontade de Deus.

Tudo volta sempre ao relacionamento que devem ter com o Senhor. Todas as transformações na vida de uma pessoa são realizadas por Cristo através da graça, e estas mudanças precisam ser buscadas sincera e profundamente. Por hereditariedade, pela natureza, pela força do meio ambiente, e pelas circunstâncias na vida de uma pessoa, ela se tornou o que é; e se ela tem de mudar, acontecerá por que fervorosamente busca a Deus para que Ele invada sua vida e mude a sua natureza. Quando Deus transforma toda a situação se transforma. Os problemas são causados pelo que está nas pessoas. Transforme-as, e então os problemas desaparecerão. Esta é a chave importante do aconselhamento.

Palavra Vivente

voltar para Aconselhamento

left show tsN fwR normalcase|left tsN fwR uppercase bsd b01s|left show fwR uppercase bsd b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase c05|tsN fwR uppercase b01 bsd|fwR uppercase bsd b01|content-inner||